Esporte

Grupo empresarial investe 200 milhões de euros para formar jogadores chineses

11/03/2016 16h37

Santiago Aparicio.

Madri, 11 mar (EFE).- A escola de futebol Evergrande tem como objetivo mudar a situação do esporte na China com base no potencial econômico do país, um investimento de 200 milhões de euros para formar jogadores e aumentar a competitividade do campeonato nacional em comparação com as principais ligas do mundo.

O Guangzhou Evergrande, pertencente ao mesmo grupo empresarial da escola, já é o melhor clube na China, com sobras. Atual campeão do Campeonato Chinês, título que conquistou nos cinco últimos anos, e vencedor da Liga dos Campeões Asiática em 2013 e 2015, o time é treinado pelo técnico Luiz Felipe Scolari e conta com jogadores renomados, como o colombiano Jackson Martínez e os brasileiros Paulinho e Ricardo Goulart.

O investimento inicial de 200 milhões de euros feito para construir uma escola de futebol na China vai além, pois a manutenção da estrutura montada custa mais de 10 milhões de euros ao ano.

"O objetivo é mudar a situação do futebol chinês, que é fraco. A China é um país muito forte em economia e esporte. Nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, fomos o país com mais medalhas conquistadas. Mas no futebol, o maior esporte do mundo, o nível é preciso melhorar. Isso não está bem", explicou Liu Jiangnan, presidente da escola de futebol Evergrande em um encontro com a Agência Efe.

De acordo com o dirigente, uma das principais metas para o futebol chinês é desenvolver um trabalho de excelência nas categorias de base.

"Todos queremos mudar esta situação para que o nível de futebol seja maior. O motivo? Há vários. O principal é que não temos um plano concreto de formação para as crianças. Então vamos investir dinheiro nos clubes da primeira divisão e também na formação de jovens", acrescentou o responsável pela escola, que desde sua criação forneceu 72 jogadores à seleção chinesa.

A iniciativa, que começou na China, hoje já possui uma unidade estabelecida na Espanha, em Madri, que promove a formação de novos talentos chineses no país.

"A Espanha é um dos países com nível de futebol mais alto no mundo. Real Madrid e Barcelona são os maiores clubes do mundo. Então nos associamos com a empresa Soxna (especializada em negócios do futebol) para a construção da escola na China. Agora também estamos em Madri", explicou Liu Jiangnan.

A intenção do Grupo Evergrande com a Soxna é que as crianças chinesas possam ser formadas em um país com grande tradição futebolística, uma das potências mundiais do esporte.

Assim nasceu a escola de futebol Evergrande na Espanha, localizada em Madri há mais de um ano e que no fim de março terá 75 crianças dispostas a melhorar sua formação futebolística e acadêmica.

"As crianças estão em situação absolutamente legal. Com seus vistos de estudo devidamente autorizados, e com tutores e professores que vêm da China. Elas vivem em apartamentos bem equipados e o que mais deu trabalho foi encontrar um lugar para manter o sistema educacional chinês, pois esse é o único projeto no mundo no qual as crianças vêm para se formar através do futebol. O lugar escolhido foi o Colegio Liceo Europeo, no bairro de La Moraleja", explicou Luis Alsina, presidente da Soxna.

Além das matérias tradicionais e das atividades esportivas, os alunos da instituição também têm aulas de reforço de espanhol e inglês.

"Desse modo, quando voltarem à China, teremos conseguido fazer com que as crianças que vêm aqui dominem três idiomas e tenham suas vidas bem encaminhadas. Essas crianças não estão sob a tutela de nenhum clube de elite. Por isso, o governo chinês é o único modelo e projeto que os ampara através da embaixada", esclareceu Alsina.

"Damos muita importância ao estudo na escola, combinamos futebol com estudo. Tradicionalmente, na China, quando se joga futebol não se estuda. Aqui as crianças têm que estudar, além de receber a formação de futebol. Enviamos professores da China à Espanha para manter o sistema educacional chinês no local. Se a criança não se tonar um profissional, estará preparada para as provas para entrar na universidade", analisou Liu Jiangnan.

De acordo com Luis Alsina, "tudo começou anos atrás, com o sonho de construir um grande colégio particular no sul da China".

"Assim construímos o que é a maior escola de futebol do mundo. São mais de 50 campos de futebol e 3000 crianças. É uma escola, não uma categoria de base. O presidente da China (Xi Jinping) é um apaixonado por futebol e em todas as vezes que veio à Europa mostrou interesse em fazer com que as crianças pudessem vir para melhorar sua formação, por se tratar do melhor lugar para isso", relatou o presidente da Soxna.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo