Esporte

Mundial Indoor abre ano olímpico do atletismo sem presença de atletas russos

17/03/2016 17h32

José Antonio Diego.

Madri, 17 mar (EFE).- O Campeonato Mundial Indoor de Atletismo volta aos Estados Unidos 29 depois da primeira edição no país, em 1987, em Indianápolis, e a partir desta quinta-feira abre o ano olímpico para algumas de suas modalidades com provas disputadas no Centro de Convenções do Oregon, em Portland.

Esta será a primeira grande competição internacional de atletismo que não contará com a participação de atletas russos. A Federação Internacional de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) manteve a suspensão ao país devido às recentes denúncias de corrupção e doping. Caso a punição não seja revogada, a Rússia poderá ficar de fora dos próximos Jogos Olímpicos.

A ausência da Rússia, quarta maior medalhista na última edição do Mundial, reforça as chances dos Estados Unidos, que dominou a competição há dois anos em Spot (Polônia), com oito medalhas de ouro, duas de prata e duas de bronze, à frente da Polônia e da Grã-Bretanha.

A grande estrela do atletismo atual, o jamaicano Usain Bolt, não participará das competições, por considerar a prova de 60 metros rasos curta demais. Por outro lado, nomes como decatleta americano Ashton Eaton, a velocista holandesa Dafne Schippers, a fundista etíope Genzebe Dibaba, o saltador francês Renaud Lavillenie e a lançadora de peso neozelandesa Valery Adams estão confirmados.

Schippers, por exemplo, é a favorita para ficar com a medalha de ouro nos 60 metros rasos. A ex-heptatleta, de 23 anos, vem dominando a atual temporada indoor ao lado da americana Barbara Pierre, com quem divide a melhor marca do ano (7s00).

Cerca de 600 atletas de 148 países disputarão, ao longo de quatro dias, as 26 medalhas de ouro em jogo. O Campeonato Mundial Indoor de Atletismo promete algumas novidades para incendiar a competição, que muitos atletas, sobretudo europeus, preferiram evitar, já pensando nos Jogos Olímpicos de 2016, disputados em agosto no Rio de Janeiro.

As novidades da edição de Portland começam com a programação. Hoje, por exemplo, dia de abertura do evento, já serão disputadas as duas finais do salto com vara, exatamente as provas em que há maior possibilidade de quebra de recorde mundial.

Lavillenie, campeão olímpico e recordista mundial, e o canadense Shawnacy Barber já superaram neste ano a barreira dos 6 metros, apesar de neste caso específico, a marca do próprio francês ainda estar um pouco longe (6,16 metros).

Os brasileiros Thiago Braz e Augusto Dutra participam da prova, marcada para as 23h05 (horário de Brasília). Thiago, que tem a terceira melhor marca da temporada indoor (5,93 metros, novo recorde sul-americano), é a principal esperança de medalha para o país. Augusto, por outro lado, com o melhor salto de 5,57 metros em 2016, tem o pior desempenho do ano entre os 14 finalistas.

Entre as mulheres, a chance de recorde é maior do que no masculino, especialmente devido à atual forma de Jennifer Surh. A americana, campeã olímpica, já estabeleceu o novo recorde mundial indoor neste ano, com um salto de 5,03 metros, superando a russa Yelena Isinbayeva (5,01 metros). E pode repetir o feito com o apoio da torcida.

Fabiana Murer, que disputa o seu quinto Mundial Indoor e tem duas medalhas - bronze em Valencia (2008) e ouro em Doha (2010) -, quer voltar a subir ao pódio. A atleta, porém, está abaixo das adversárias em 2016: seu melhor salto até então foi de 4,71 metros.

Além dos três saltadores, a delegação brasileira no Mundial Indoor de Atletismo tem mais sete atletas: Fabiana Moraes, João Vitor de Oliveira e Fabio Vaz dos Santos, nos 60 metros com barreiras; Rosângela Santos, nos 60 metros rasos; Darlan Romani, no arremesso de peso; Eliane Martins, no salto em distância; e Keila Costa, no salto triplo.

A grande ausência entre os brasileiros é a de Mauro Vinicius da Silva, o Duda. Bicampeão mundial indoor no salto em distância - ganhou as edições de 2012 e 2014 -, ele passou por uma cirurgia no joelho esquerdo no ano passado e, após se recuperar, não conseguiu o índice para ir a Portland e tentar o tri.

Outras mudanças desta edição do Mundial Indoor de Atletismo afetam, especialmente, o arremesso de peso e os saltos em distância e triplo. Após cinco rodadas, os quatro primeiros da classificação terão uma sexta tentativa para obter as medalhas.

A cerimônia de premiação será realizada fora do centro de convenções. Os vencedores receberão na pista um ramo de flores e darão a volta olímpica, mas terão que se deslocar à Praça dos Pioneiros, no centro de Portland, para receber suas medalhas em meio a uma grande festa do atletismo planejada pelos organizadores.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo