Esporte

Clássico terá chance de nocaute do Barça, duelo de trios e emoção por Cruyff

01/04/2016 16h05

Barcelona/Madri, 1 abr (EFE).- Barcelona e Real Madrid se enfrentarão neste sábado, a partir de 15h30 (horário de Brasília), em jogo pela 31ª rodada do Campeonato Espanhol que promete fortes emoções ainda antes do apito inicial, com homenagens a Johan Cruyff, e ainda mais em seguida, com desfile de dois dos times mais valiosos do mundo.

A vantagem antes do confronto está toda com o time catalão, que além de atuar em casa, lidera a competição com folga, tendo 76 pontos, nove a frente do vice-líder, Atlético de Madrid, e dez distante dos 'blancos'. Para o técnico 'blaugrana' Luis Enrique, a vitória representará reduzir a concorrência pela taça.

"Daríamos o golpe final no Real Madrid, e o Atlético de Madrid seria o único rival na luta pelo título", avaliou o comandante espanhol, em entrevista coletiva, concedida na véspera do Superclássico.

No outro banco de reservas, o francês Zinedine Zidane garantiu que o confronto não afeta seu sono. A frieza deve vir do retrospecto como atleta, já que em cinco jogos no estádio rival, só perdeu uma vez, tendo conquistado vitória histórica em 23 de abril de 2002, por 2 a 0, pelas semifinais da Liga dos Campeões da Europa.

"Esta noite vou dormir tranquilo de verdade, pois é um jogo de futebol, então, o que temos que fazer é pensar que se trata apenas disso e jogar. Vamos enfrentar bons jogadores e duelar com o Barça, nada mais. Dormirei como sempre e vou aproveitar meu primeiro clássico como técnico", disse o ex-meia.

No primeiro turno, em pleno estádio Santiago Bernabéu, o Barcelona levou a melhor por 4 a 0, na parte inicial de uma arrancada que já dura seis meses, em que a equipe não perde para qualquer outro adversário. O zagueiro do Real, Sergio Ramos, preferiu deixar o passado de fora e lembrar apenas do tamanho do confronto de sábado.

"Este tipo de jogo sempre tem sido muito especial. Se enfrentarão, para mim, o melhor time do mundo, contra outro que, nos últimos anos, tem demonstrado ser o melhor em quase todas as competições. A rivalidade tem aumentado e, no Superclássico, isso se percebe ainda mais", disse o capitão dos visitantes.

Andrés Iniesta, capitão do Barcelona, concordou com o compatriota e companheiro de seleção, sobre o apelo do duelo, mas descartou que este seja o compromisso mais importante do clube catalão na reta final da temporada.

"Esses jogos são diferentes, não importa a situação dos times. Entendemos assim: se ganharmos, será um jogo a menos no campeonato, mas não consideramos esse jogo uma final, é uma das muitas que ainda faltam para nós", avaliou o craque, em entrevista coletiva concedida na quinta-feira.

O confronto de número 172 no Campeonato Espanhol será uma nova chance de o mundo assistir o confronto entre os trios de ataque mais badalados da atualidade, ou seja Lionel Messi, Neymar e Luis Suárez versus Gareth Bale, Karim Benzema e Cristiano Ronaldo.

Nos números, os barcelonistas levam vantagem na atual temporada, com 106 gols marcados, levando-se em conta todas as competições, 43 a mais que os homens do setor ofensivo do Real Madrid.

O time visitante, por sua vez, conta com atletas mais descansados, já que Bale não jogou por País de Gales e Benzema não jogou pela França, enquanto CR7 precisou viajar apenas para o vizinho Portugal, para encarar amistosos contra Bulgária e Bélgica.

Messi, Neymar e Suárez, por outro lado, encararam longos voos para representar Argentina, Brasil e Uruguai, respectivamente, em partidas pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2016.

A semana de "datas Fifa", aliás, causou problemas para Luis Enrique, que, se terá o badalado "trio MSN" em campo, não poderá contar com o zagueiro francês Jéremy Mathieu, que sofreu grave lesão no período em que ficou disponível para a seleção. O lateral-esquerdo Adriano é outro que não atuará.

No Real, o único desfalque também é um defensor que estava com a equipe nacional da França, Raphael Varane, que se contundiu. A única dúvida de Zidane é quanto ao lateral-direito que será utilizado, com Dani Carvajal tendo favoritismo sobre Danilo, justamente por não ter viajado para defender a seleção espanhola.

Além de Neymar, dois brasileiros tem presença certa no duelo, o lateral-direito Daniel Alves, no time da casa, e o lateral-esquerdo Marcelo, na equipe visitante. A novidade deverá ficar por conta de Casemiro na escalação do Real, na vaga do colombiano James Rodríguez, formando meio com o alemão Toni Kroos e o croata Luka Modric.

Antes do apito inicial, estão programadas diversas homenagens para o holandês Johan Cruyff, ex-jogador e ex-técnico do Barça, que morreu na sexta-feira, 25 de março, em decorrência de um câncer de pulmão, aos 68 anos.

Na camisa que utilizará no clássico, o clube catalão substituiu momentaneamente o emblema de campeão mundial, colocado no início deste ano, após o título conquistado em dezembro, no Japão, pela frase "Gràcies Johan" (Obrigado Johan, em catalão).



Prováveis escalações.

Barcelona: Bravo; Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Alba; Rakitic, Busquets e Iniesta; Messi, Suárez e Neymar. Técnico: Luis Enrique.

Real Madrid: Navas; Carvajal, Pepe, Sergio Ramos e Marcelo; Casemiro, Kroos e Modric; Bale, Cristiano Ronaldo e Benzema. Técnico: Zinedine Zidane.

Árbitro: Alejandro José Hernández Hernández.

Estádio: Camp Nou, em Barcelona (Espanha).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo