Esporte

Real Madrid acaba com invencibilidade do Barça e ofusca homenagens a Cruyff

02/04/2016 17h27

Barcelona (Espanha), 2 abr (EFE).- O Real Madrid venceu de virada neste sábado o Barcelona por 2 a 1, e derrubou, em pleno estádio Camp Nou, a invencibilidade de 39 jogos do rival, em clássico pelo Campeonato Espanhol que foi marcado por homenagens ao holandês Johan Cruyff.

Todos os gols da partida foram marcados no segundo tempo, com o zagueiro espanhol Gerard Piqué abrindo o placar aos 11 minutos. O atacante francês Karim Benzema, aos 17, e o atacante português Cristiano Ronaldo, aos 39, quando a equipe da capital já atuava com um homem a menos, definiram o marcador.

O zagueiro espanhol Sergio Ramos, capitão do Real, foi expulso de campo pouco antes da definição do placar, pouco depois de uma decisão complicada para a arbitragem comandada por Alejandro José Hernández, na anulação de gol do galês Gareth Bale, que poderia ter decretado a virada mais cedo.

A derrota encerra série invicta do Barcelona que começou em 3 de outubro do ano passado, após revés diante do Sevilla por 2 a 1. Somados os jogos pelo Espanhol, Copa do Rei da Espanha, Liga dos Campeões da Europa e Campeonato Mundial de Clubes, eram 39 jogos sem perder.

Com 77 pontos na tabela da competição nacional, o time catalão agora vê mais perto o Atlético de Madrid, que chegou aos 70, com goleada sobre o Betis por 5 a 1, hoje mais cedo, e o próprio Real Madrid, que foi a 69 pontos.

Além do duelo entre duas das melhores equipes do mundo, 'El Clásico', como chamam os espanhóis, foi marcado por homenagens ao holandês Johan Cruyff, que morreu na sexta-feira da semana passada, em decorrência de um câncer pulmonar.

Nos telões do estádio Camp Nou, foram exibidos depoimentos de antigos comandados de Cruyff, como Josep Guardiola, Hristo Stoichkov, Michael Laudrup, Ronald Koeman, entre outros. Quando os times entraram em campo, foi montado um mosaico nas arquibancadas, camisa 'blaugrana' de número 14, além com a mensagem "Gràcies, Johan", a mesma que os jogadores levaram no uniforme.

Para o jogo, o único time que apresentou mudanças na escalação considerada ideal foi o Real Madrid, a partir de duas mudanças feitas por Zidane, que apostou em Casemiro no meio, substituindo o colombiano James Rodríguez, e no espanhol Dani Carvajal na lateral-direita, deixando Danilo na reserva.

No Barça, o técnico Luis Enrique pôde contar com o lateral-esquerdo Jordi Alba e o meia Andrés Iniesta, depois de ambos apresentarem problemas físicos enquanto defendiam a seleção espanhola. A situação foi a mesma do croata Ivan Rakitic, que também começou jogando.

Depois do apito inicial e de todas as emoções pelas homenagens a Cruyff, o clássico começou muito disputado, com muitas divididas ríspidas, briga pela posse de bola e provocações dos dois lados, como vem acontecendo nos últimos encontros entre os rivais.

Aos 9 minutos, o time da casa teve a primeira chance clara de gol, quando Neymar disparou pela esquerda e serviu Suárez. O atacante uruguaio, artilheiro do Barça no Espanhol, vacilou, no entanto, e furou a finalização, para desespero da torcida anfitriã.

Quando o relógio marcou 14 minutos, o ídolo 'blaugrana' foi lembrado de novo, com longo período de aplausos. Logo depois, o Real Madrid quase estragou o momento solene, quando Bale disparou pela direita e soltou a bomba para o meio da área, procurando Benzema. Piqué, contudo, desviou, permitindo que Bravo ficasse com a bola.

O Barça assustou muito aos 19, quando Rakitic recuperou bola perdida por Pepe e bateu forte da entrada da área, obrigando Navas a fazer grande defesa. Pouco depois, houve polêmica, quando Messi foi derrubado por Sergio Ramos, e os donos da casa pediram pênalti, que o árbitro Alejandro José Hernández não marcou.

O jogo seguiu pegado no decorrer da etapa inicial, e só aos 41 minutos, surgiu nova chance de gol, quando Daniel Alves pegou sobra na intermediária, e bateu forte, por cima do gol de Navas, no último grande lance antes do intervalo.

A etapa complementar começou mais franca, com as duas equipes buscando o gol mais intensamente, ao mesmo tempo em que encontravam dificuldades para superar as defesas bem postadas. Aos 6 minutos, Modric finalizou, a bola desviou em Bale, e parou nas mãos de Bravo.

A resposta do Barcelona veio três minutos depois, em lance que Messi pegou sobra quase que na linha da grande área, e bateu com imensa categoria, obrigando Navas a voar no ângulo esquerdo e fazer excepcional defesa.

O lance iniciou uma verdadeira blitz 'blaugrana', e aos 11 minutos, Daniel Alves cobrou escanteio na cabeça de Piqué, justamente o jogador mais perseguido pela torcida adversária, que testou para o fundo das redes, abrindo o placar.

Disposta a estregar a especial noite do Barcelona, o Real Madrid buscou o empate aos 17, em jogada de Marcelo, que serviu Kroos na direita, para que o alemão cruzasse para a área. Na típica posição de centroavante, Benzema concluiu de forma acrobática, em belo voleio, estufando as redes.

O gol empolgou os visitantes e desnorteou os donos da casa. Aos 23, na base do toque de bola, o Real avançou, até que Bale recebesse na entrada da área, em condições de finalizar. O chute do galês, no entanto, saiu fraco, permitindo que Bravo evitasse o gol sem problemas.

Aos 34, foi a vez do Barça ficar perto de marcar outra vez, quando Messi lançou na medida, achou Suárez no lado esquerdo da área, e o uruguaio soltou a bomba de primeira, no canto oposto do gol do Real Madrid.

No lance seguinte, surgiu a grande polêmica da partida, quando, após cruzamento da esquerda, Bale subiu e testou para o fundo das redes. A arbitragem, no entanto, marcou falta do galês sobre Jordi Alba no lance, gerando muitos protestos dos visitantes.

Disposto a virar, o Real teve ótima oportunidade aos 36, com Cristiano Ronaldo, que recebeu na esquerda, clareou e soltou uma bomba, que explodiu no travessão de Bravo. Minutos depois, no entanto, o time ficou com um a menos, quando Sergio Ramos fez falta em Suárez e foi expulso.

Mesmo com dez em campo, a equipe madrilenha conseguiu virar o placar aos 39 minutos da etapa final, quando Bale cruzou da direita, Cristiano Ronaldo recebeu no lado oposto, cortou Daniel Alves e bateu por entre as pernas do goleiro chileno no Barcelona.

Nos instantes finais, o Barcelona até tentou se lançar ao ataque para buscar o gol, mas não conseguiu ameaçar o adversário, que, até o último apito do árbitro, parecia mais próximo de marcar o terceiro do que ceder o empate.



Ficha técnica:.

Barcelona: Bravo; Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Alba; Rakitic (Turan), Busquets e Iniesta; Messi, Suárez e Neymar. Técnico: Luis Enrique.

Real Madrid: Navas; Carvajal, Pepe, Ramos e Marcelo; Casemiro, Kroos e Modric; Bale (Vázquez), Cristiano Ronaldo e Benzema (Jesé). Técnico: Zinedine Zidane.

Árbitro: Alejandro José Hernández.

Gols: Piqué (Barcelona); Benzema e Cristiano Ronaldo (Real Madrid).

Cartões amarelos: Suárez, Mascherano e Rakitic (Barcelona); Ramos e Carvajal (Real Madrid).

Cartão vermelho: Ramos (Real Madrid).

Estádio: Camp Nou, em Barcelona (Espanha).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo