Esporte

AI critica "graves problemas de segurança" a cem dias dos Jogos Olímpicos

27/04/2016 13h43

São Paulo, 27 abr (EFE).- A ONG Anistia Internacional (AI) criticou nesta quarta-feira os "graves problemas de segurança pública", a "violência policial" no Rio de Janeiro e a "resposta insuficiente das autoridades" faltando apenas cem dias para o início dos Jogos Olímpicos.

"Apesar da promessa de legado de uma cidade segura para ser sede dos Jogos Olímpicos, as mortes recorrentes de operações policiais cresceram progressivamente nos últimos anos no Rio", ressaltou o diretor-executivo da organização no Brasil, Atila Roque, em comunicado de imprensa.

Pelo menos 11 pessoas morreram pelas mãos de agentes neste mês na capital carioca e em 2015 foram contabilizadas outras 307 vítimas, segundo AI.

No entanto, apontou Roque, "até o momento, a maioria dos homicídios cometidos pela polícia não foi nem sequer investigada, a regulamentação de armas menos letais e o treino dos agentes não foram implementados e as autoridades ainda tratam manifestantes como inimigos públicos".

Por isso, recalcou, "é preocupante ver que homicídios recorrentes de intervenções policiais continuam acontecendo diariamente no Rio e em outras cidades brasileiras enquanto as respostas das autoridades continuam sendo insuficientes".

A ONG reconheceu que "não é possível relacionar diretamente o aumento dos homicídios cometidos por policiais com os preparativos para os Jogos Olímpicos", mas afirmou que a estratégia de "disparar primeiro e perguntar depois" está demonstrando um "uso desnecessário e excessivo de força" policial.

"As estatísticas revelam um claro censo de violência e impunidade que coloca em xeque as instituições responsáveis pela segurança pública", afirmou Roque, que também censurou que a maioria de vítimas sejam "jovens, negros, moradores de favelas e da periferia".

Por outro lado, a AI carregou contra a repressão dos protestos pacíficos, que terminam frequentemente com "pessoas gravemente feridas por balas de borracha, bombas de efeito moral e inclusive armas de fogo usadas pelas forças policiais".

Um cenário que, na opinião de Roque, reflete que "as autoridades falharam não só em investigar e levar estes crimes à justiça, mas também em optar por reforçar a repressão às manifestações pacíficas".

No entanto, a AI reconheceu que "ainda há tempo nos próximos cem dias para que as autoridades e o comitê organizador dos Jogos Olímpicos assegurem que nenhuma operação policial viole os direitos humanos", antes do Rio acolher em agosto a máxima competição esportiva do mundo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo