Esporte

Sem um chute certo, Corinthians escapa de derrota e empata com o Nacional-URU

27/04/2016 23h45

Montevidéu, 26 abr (EFE).- Eliminado nas semifinais do Campeonato Paulista pelo Audax no último sábado nos sábados nos pênaltis, o Corinthians voltou a ter uma atuação ruim nesta quarta-feira, desta vez diante do Nacional-URU em Montevidéu, em jogo de ida pelas oitavas de final da Taça Libertadores, mas ao menos segurou o empate em 0 a 0.

Chamaram a atenção na atuação do time comandado por Tite os erros defensivos no segundo tempo, que quase culminaram com a derrota no estádio Parque Central, e principalmente a falta de inspiração e incisão do ataque. Os visitantes tiveram cinco finalizações, todas para fora.

Livre de um prejuízo maior, o campeão brasileiro do ano passado jogará por uma vitória por qualquer placar na volta, na Arena Corinthians, na próxima quarta-feira, para avançar às quartas e manter o sonho do bi da América. Um empate com gols beneficiará o Nacional, enquanto um novo 0 a 0 levará a pênaltis.

O Corinthians entrou em campo na capital uruguaia com apenas uma modificação em relação revés diante do time de Osasco no fim de semana. Rodriguinho ganhou a preferência de Tite e foi escalado como titular no lugar de Guilherme, contestado pela torcida.

Pelo lado do Nacional, o técnico Gustavo Munúa teve força máxima. A caxumba tirou três titulares da equipe nos últimos dias, mas todos se recuperaram da doença e foram para o jogo.

O campeão da América de 2012 levou um susto logo no primeiro minuto de partida. Ramírez levantou para a área, Felipe não afastou e Cássio ficou com a bola, mas não segurou. López estava pronto para guardar, mas Bruno Henrique rechaçou com um chutão para a frente.

O primeiro lance de perigo a favor do Timão aconteceu aos sete minutos, em cobrança de escanteio de Rodriguinho. Lucca resvalou e Felipe ficou com a bola, mas desviou de mão e desperdiçou o ataque.

A defesa corintiana não fazia um bom começo de partida e vacilou novamente aos 15. Fernández foi lançado nas costas de Felipe e arrematou cruzado, tirando tinta da trave. Dois minutos depois, foi López quem apareceu com liberdade, mas cabeceou em cima de Cássio, que segurou.

Jogada comum no futebol atual, mas bastante criticada pelos torcedores, o lateral para área quase rendeu frutos ao atual campeão brasileiro. Aos 18, Fagner arremessou e Bruno Henrique soltou uma bomba a centímetros da meta.

Com competência e se aproveitando do momento de fragilidade da retaguarda adversária, o 'Bolso', com a equipe mandante também é conhecida, esteve perto do gol duas vezes consecutivas, aos 28 e aos 29 minutos. Na primeira, López ficou cara a cara com Cássio e bateu à direita do gol; na segunda, Romero escorou depois de cruzamento e encobriu o travessão.

O Nacional até exercia certa pressão, mas, como em muitos casos nesta Libertadores, na base de lançamentos e do chuveirinho. Aos 39, López bateu escanteio e Cássio cortou de soco. O próprio atacante devolveu para o meio e Uendel afastou.

A tônica não mudou muito no começo do segundo tempo, e o Corinthians lidava bem com os passes longos do adversário. Os lances de maior destaque não eram os de bola rolando ou viajando pelo alto, mas sim os mais ríspidos. Aos dez minutos, o árbitro teve intervir em discussões entre Felipe e López e entre Fagner e Espino.

Aos 19 minutos, enfim, o tricampeão da Libertadores deu um pouco de graça ao duelo. Barcia alçou na área, Fernández cabeceou e Cássio espalmou estranho, para o meio. Para sorte do goleiro e de todos os corintianos, Fagner afastou.

Antes intransponível, a defesa do Timão aos poucos demonstrava certa vulnerabilidade. Aos 24, Fernández bateu falta e Victorino, ex-zagueiro de Cruzeiro e Palmeiras, cabeceou livre. Cássio interceptou e evitou que o placar fosse aberto.

A fiel torcida prendeu a respiração duas vezes seguidas, aos 35 e aos 36, devido a erros da zaga. Primeiro Felipe furou feio, mas conseguiu consertar. Depois, López cruzou na medida para Romero, que completou de pé direito por cima do travessão.

Passado o susto, o Timão ainda poderia ter saído com a vitória, mas Romero, depois de ter sido lançado por Elias, aos 45 minutos, errou o passe para Marlone, que chegava livre para concluir.



Ficha técnica:.

Nacional: Conde, Fucile, Victorino, Polenta e Espino; Romero, Gonzalo Porras, Barcia e Ramírez; Nico López e Fernández. Técnico: Gustavo Munúa.

Corinthians: Cássio, Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique; Alan Mineiro (Marlone), Elias, Rodriguinho e Lucca; André (Romero). Técnico: Tite.

Árbitro: Patrício Loustau (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Gustavo Rossi e Ariel Scime.

Cartões amarelos: Polenta, Fernández e Porras (Nacional); Elias e Felipe (Corinthians).

Estádio: Parque Central, em Montevidéu (Uruguai).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo