Esporte

Consagrado pelas viradas, Atlético recebe Racing precisando "só" do 1 a 0

03/05/2016 16h15

Belo Horizonte, 3 mai (EFE).- O torcedor do Atlético Mineiro passou a crer que perder em jogo de ida por 2 a 0, fora de casa, era uma vantagem, após viradas na Taça Libertadores de 2013 e Copa do Brasil de 2014, por isso, há quem acredite que o time entra em campo nesta quarta-feira em vantagem no duelo com o Racing, da Argentina.

Na semana passada, o Galo foi até o Cilindro de Avellaneda e voltou com empate sem gols. Com isso, no Independência, uma vitória simples valerá a vaga. Caso o placar do primeiro encontro se repita, o confronto irá para os pênaltis. Os visitantes, por outro lado, buscarão igualdade com gols, pelo menos.

Em 2013, além do pênalti defendido nos instantes finais do confronto com o Tijuana por Victor, o time mineiro passou sufoco na semi e na final, quando perdeu para Newell's Old Boys e Olimpia, respectivamente, por 2 a 0, mas devolveu o placar na volta e garantiu a taça.

No ano seguinte, a situação se repetiu nas quartas e semi da Copa do Brasil. A diferença é que a equipe atropelou Corinthians e Flamengo, respectivamente, por 4 a 1, e se garantiu na decisão, em que bateu o Cruzeiro, em clássicos históricos.

Para a partida desta quarta-feira com o Racing, o Atlético teve um susto de última hora, com Douglas Santos saindo do duelo com o América Mineiro, pela ida da final do Mineiro, com dores no joelho direito. O lateral-esquerdo foi examinado e liberado, depois que nenhum problema mais grave foi detectado.

Júnior Urso, que não atuou no domingo, se recupera de lesão muscular e ainda é dúvida. O técnico uruguaio Diego Aguirre já não conta com Luan e Jesús Dátolo, ambos contundidos. O meia argentino atuou na ida, mas acabou sofrendo estiramento na coxa esquerda.

No Racing, que teve que atuar nesta segunda-feira pelo Campeonato Argentino, vencendo o Huracán por 1 a 0, a grande novidade é o retorno do atacante Gustavo Bou após um mês de afastamento. O destaque da equipe teve recaída de lesão muscular sofrida há mais de um mês.

O artilheiro da edição passada da Libertadores é o grande trunfo do time de Avellaneda para marcar gols no Brasil, apesar da "democracia" da equipe, que tem Lisandro López e o atacante reserva Roger Martínez como goleadores, ambos tendo balançado as redes três vezes - Bou e o lateral Leandro Grimi fizeram dois, cada.

A única dúvida do técnico Facundo Sava é quanto a presença do meia Luciano Aued, que chegou a perder treino no início de semana por causa de uma pancada na coxa esquerda. Rodrigo de Paul e o próprio Martínez são os possíveis substitutos.



Possíveis escalações:.

Atlético Mineiro: Víctor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo e Douglas Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete, Júnior Urso (ou Hyuri), Cazares e Robinho; Pratto. Técnico: Diego Aguirre.

Rácing: Saja; Pillud, Sánchez, Vittor e Grimmi; Aued, Videla, Noir e Romero; Lisandro López e Bou. Técnico: Facundo Sava.

Árbitro: Daniel Fedorczuk (Uruguai) auxiliado pelos compatriotas Mauricio Espinosa e Richard Trinidad.

Estádio: Independência, em Belo Horizonte.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo