Esporte

"Fantasmas" voltam a atormentar e Corinthians é eliminado na Libertadores

04/05/2016 23h59

São Paulo, 4 mai (EFE).- O Corinthians voltou a conviver com dois fantasmas nesta quarta-feira, das eliminações em casa e dos pênaltis perdidos, e foi eliminado nas oitavas de final da Taça Libertadores, ao empatar com o Nacional, do Uruguai, em 2 a 2, uma semana após outra igualdade, sem gols, no estádio do adversário.

O atacante Nico López, logo aos 4 minutos do primeiro tempo, abriu o placar e colocou o campeão brasileiro em situação difícil. Lucca igualou dez minutos depois. Aos 11 da etapa complementar, o meia Santiago Romero recolocou o time de Montevidéu na frente. O segundo empate só veio nos acréscimos, com Marquinhos Gabriel, em cobrança de pênalti.

Esta foi a 11º cobrança do Timão neste ano, mas a décima, de André, aos 38 minutos do tempo final, contribuiu para a queda. A penalidade desperdiçada, defendida pelo goleiro Esteban Conde, foi a sétima que a equipe paulista perdeu em 2016.

A eliminação, que ocorreu pelo critério de gols marcados fora de casa, foi a quinta do dono da Arena Corinthians. No ano passado, os fracassos foram no Paulistão, para o Palmeiras, na própria Libertadores, para o Guaraní, do Paraguai, e na Copa do Brasil, para o Santos. Neste ano, houve nova queda no estadual, para o Audax.

Agora, o Nacional aguarda o vencedor do confronto entre Boca Juniors e Cerro Porteño, que será definido amanhã. Na ida, o time argentino levou a melhor, fora de casa, por 2 a 1, largando na frente na eliminatórias.

O Timão veio para o jogo de hoje com Giovanni Augusto entre os titulares, depois de 15 dias de afastamento do meia por lesão. O zagueiro Yago, flagrado recentemente em exame antidoping, atuou por ainda não ter sido resultado de contra-prova.

O confronto se iniciou com atraso devido decisão do trio de arbitragem comandado pelo argentino Néstor Pitana, por causa do acendimento de sinalizadores nas arquibancadas da Arena Corinthians, realizado pela torcida anfitriã.

Quando a bola rolou, quem esteve aceso foi o Nacional, que abriu o placar logo aos 4 minutos, quando Ramírez ganhou da zaga no alto após cruzamento da direita, Fernández dividiu com Cássio e, na sobra, Nico López bateu para o gol praticamente aberto.

Os visitantes seguiram atrevidos e, aos 7, o autor do gol esteve perto de marcar novamente, quando soltou uma bomba de fora da área e parou na defesa do goleiro corintiano.

O Timão começou a ameaçar na base da bola parada. Aos 11, Giovanni Augusto cobrou escanteio da direita, e Yago, sem qualquer marcação, testou com força, mas sem acertar o alvo, em bola que saiu à esquerda da meta protegida por Conde.

Para explosão da torcida que lotou a Arena Corinthians, dez minutos após sair atrás do placar, Lucca empatou. Em bola cruzada da direita, em que André não conseguiu dominar, o meia-atacante foi esperto e apareceu por trás da zaga para marcar.

A igualdade tornou o jogo ainda mais brigado, inclusive com algumas jogadas mais ríspidas. Felipe, em cabeçada, e Uendel, em chute de fora da área, até tentaram levar perigo ao gol de Conde, mas sem sucesso.

Aos 33, o Corinthians teve ótima chance para virar, quando Elias recebeu na entrada da área, fez fila na zaga do adversário e rolou para Lucca, que apareceu batendo de primeira, obrigando ao goleiro do Nacional a fazer ótima defesa com os pés.

Cinco minutos depois do lance, o campeão brasileiro levou perigo outra vez, quando Fagner cruzou da direita e encontrou Rodriguinho na área. O meia subiu, conseguiu ganhar da zaga, mas a conclusão não acertou o alvo.

Nos acréscimos da etapa inicial, Cássio teve que se esticar todo para fazer ótima defesa em finalização de Fernández. O lance gerou muita confusão, já que começou com uma bola que um jogador do Nacional caiu, mas o Corinthians interrompeu o jogo, e depois houve reclamação dos alvinegros de uma falta em Felipe.

Para o segundo tempo, o time da casa voltou mais organizado, impondo um ritmo mais forte no setor ofensivo, sem dar tantos espaços na defesa. Logo aos 4 minutos, Fagner recebeu na direita, disparou e bateu à direita do gol de Conde.

No minuto seguinte, em nova ação, dessa vez pela esquerda, Elias brigou com dois defensores e conseguiu fazer com que a bola sobrasse para André, que errou na hora de finalizar, errando o alvo. O lance foi anulado na origem, contudo, por falta do volante do Timão.

O Nacional, no entanto, voltou a pular na frente do placar aos 11 minutos, com Romero, que aproveitou rebote de Cássio em finalização de Fernández, para estufar de novo as redes do Corinthians.

O golpe não abateu o campeão brasileiro, que seguiu lutando pela classificação. Aos 18, Elias bateu da entrada da área por cima do gol. Aos 21, foi a fez de Romero - que havia acabado de substituir Lucca -, acertar bela cabeçada, mas parar na defesa de Conde.

A partir da metade final do segundo tempo, o nervosismo corintiano foi só aumentando, e isso se viu refletido nas inúmeras opções erradas no ataque, com bolas diretas na área, série de impedimentos.

Aos 36, começou a brilhar a estrela do goleiro do Nacional, primeiro com defesa em finalização de Rodriguinho, que bateu com estilo, colocado, mas não conseguiu balançar as redes.

No minuto seguinte, André foi derrubado por Polenta e, Néstor Pitana marcou pênalti. O próprio camisa 9 foi para a bola, fez duas paradinhas, mas bateu fraco, facilitando a defesa segura de Conde, na sétima cobrança desperdiçada pelo time em 2016.

Já nos acréscimos, Fagner deu um pontapé em adversário, após disputa de bola e foi expulso de maneira direta pela arbitragem, deixando o Timão com um homem a menos.

Na base do desespero, o Corinthians foi com tudo para cima e empatou o jogo aos 48 minutos do segundo tempo. Pitana marcou pênalti polêmico em Felipe, que Marquinhos Gabriel cobrou com categoria, sem dar chances a Conde.

Instantes após a saída de bola, Romero teve a oportunidade de classificar o Corinthians, após receber cruzamento da direita, aparecer nas costas da zaga, de frente para o gol, mas finalizar muito mal, à direita da trave.



Ficha técnica:.

Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique (Danilo), Elias, Giovanni Augusto (Marquinhos Gabriel), Rodriguinho e Lucca (Romero); André. Técnico: Tite.

Nacional: Conde; Fucile, Victorino, Polenta e Espino; Romero, Porras (Eguren), Barcia (Tabó) e Ramírez; Fernández (Carballo) e Nico López. Técnico: Gustavo Múnua.

Árbitro: Néstor Pitana (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Diego Bonfa e Cristian Navarro.

Gols: Lucca e Marquinhos Gabriel (Corinthians); Nico López e Romero (Nacional).

Cartões amarelos: Felipe, Bruno Henrique (Corinthians); Ramírez, Romero, Tabó, Porras, Polenta e Eguren (Nacional).

Cartão vermelho: Fagner (Corinthians).

Estádio: Arena Corinthians, em São Paulo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo