Esporte

Márquez defende liderança em traçado favorável a pilotos da Yamaha

04/05/2016 14h17

Le Mans (França), 4 mai (EFE).- O espanhol Marc Márquez (Honda) chega ao circuito francês de Le Mans para a disputa do Grande Prêmio da França de MotoGP com a intenção de defender a liderança do campeonato, mas terá de levar a melhor em uma pista que costuma favorecer os pilotos da Yamaha, o compatriota Jorge Lorenzo e o italiano Valentino Rossi.

Márquez, que soma 82 pontos no Mundial, assinalou os melhores tempos dos treinamentos no circuito francês nos três últimos anos, ou seja, desde que subiu para a categoria principal da Motovelocidade, mas venceu apenas uma vez, em 2014. Foi terceiro colocado em 2013 e no ano passado sequer subiu ao pódio, terminando na quarta posição.

Os concorrentes têm resultados melhores em Le Mans. Lorenzo, vice-líder do campeonato, com 65 pontos, soma quatro vitórias, incluindo a de 2015. Já Rossi, que soma 58 pontos e é terceiro na temporada, já subiu ao ponto mais alto do pódio três vezes.

Em seu blog oficial, Márquez disse esperar dificuldades para este fim de semana, mas não mencionou os concorrentes, e sim a variação climática em relação à prova anterior, em Jerez de la Frontera, onde cruzou a linha de chegada em terceiro. Rossi foi o vencedor, e Lorenzo, o segundo colocado.

"Em relação a Jerez, há sim uma grande diferença: a mudança do calor para o frio. E inclusive pode chover, não seria a primeira vez. Nesse sentido, é mais difícil se preparar para este Grande Prêmio e encontrar o acerto adequado", comentou o bicampeão.

Lorenzo é quem chega imediatamente atrás de Márquez no campeonato, mas quem está com moral mais elevado é Rossi, que triunfou na Espanha há duas semanas. O italiano também não espera por vida fácil, mas acredita que pode repetir o sucesso da última prova.

"No ano passado, meu ritmo não foi suficientemente bom para superar Jorge, mas vamos tentar novamente agora. Quero fazer como em Jerez, onde encontramos um bom acerto na sexta, o que foi importante para a corrida", disse o heptacampeão da categoria rainha, que também se mostrou preocupado com as condições climáticas.

"O clima em Le Mans sempre é instável. Há a possibilidade chuva e, além disso, geralmente faz muito frio. São muitos fatores com os quais temos de nos preocupar", alertou.

Nas outras categorias, há um ponto em comum: nem o líder da Moto2, o britânico Sam Lowes (Gresini Kalex), nem o primeiro colocado da Moto3, o sul-africano Brad Binder (Red Bull KTM Ajo), já subiram ao pódio na França.

Lowes, que tem no currículo um nono e um quarto lugares em Le Mans, soma 72 pontos no campeonato, dez de vantagem para o segundo colocado, o espanhol Álex Rins (Pons Kalex). O ítalo-brasileiro Franco Morbidelli (Marc VDS Kalex) é apenas décimo, com 24.

Binder, por sua vez, acumula uma oitava posição, uma 14ª e dois abandonos no circuito francês. Nesta temporada da Moto3, o sul-africano tem 77 pontos, 15 a mais que o vice-líder, o espanhol Jorge Navarro (Estrella Galicia 0,0 Honda).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo