Esporte

Pratto decide, Atlético bate Racing e agora pega São Paulo na Libertadores

04/05/2016 23h38

Belo Horizonte, 4 mai (EFE).- O Atlético Mineiro sofreu, mas na base do coração, principalmente o do atacante argentino Lucas Pratto, venceu nesta quarta-feira o Racing por 2 a 1, no estádio Independência, e se garantiu nas quartas de final da Taça Libertadores.

O camisa 9 foi o grande nome da partida, já que marcou o gol da classificação, aos 26 minutos do segundo tempo, deu assistência para Carlos marcar aos 16 da primeira etapa, e ainda mostrou raça, em carrinhos, desarmes ou comandando contra-ataques do Galo. O "Urso", como é conhecido, ainda perdeu pênalti, em que o time brasileiro poderia ter feito o terceiro.

O gol do Racing foi marcado por Lisandro López, que no ano passado já havia marcado no estádio, contribuindo para que o Internacional eliminasse o Atlético Mineiro nas oitavas. Hoje, o argentino balançou as redes aos 21 do primeiro tempo, igualando o jogo em um gol, placar que era favorável aos visitantes.

A classificação do campeão de 2013 decreta o primeiro confronto brasileiro nesta edição da Libertadores, já que o próximo adversário será o São Paulo. A equipe paulista avançou hoje, mesmo com derrota para o Toluca, do México, após vitória na ida por 4 a 0.

O Galo veio para a partida com alguns problemas, entre eles, Dátolo, que se machucou no jogo de ida. Júnior Urso, que saiu de campo na final do Campeonato Mineiro com problemas físicos, foi liberado, e formou trio de meias ofensivos com Robinho e Carlos.

No Racing, o atacante Gustavo Bou, um dos principais jogadores do time, que teve recaída de lesão muscular nos últimos dias, começou o confronto no banco, já que o técnico Facundo Sava optou por esquema apenas com Lisandro López no setor de frente.

Em casa, o Atlético tentou sufocar o adversário, em estratégia que já tornou hábito. Quem quase marcou primeiro, no entanto, foi o time visitante, logo aos 8 minutos, com Lisandro López, que ficou cara a cara com Victor, mas errou o alvo.

Aos 16, quando os donos da casa começavam a apresentar dificuldades para criar ações ofensivas, o Independência explodiu quando Pratto fez a jogada pelo lado direito do ataque e cruzou para a área, onde encontrou Carlos, que desviou para o fundo das redes.

O Racing precisou de apenas cinco minutos para igualar o placar e ficar em vantagem na série eliminatória, quando Leandro Donizete derrubou Lisandro López na área. O próprio centroavante foi para a cobrança e calou mais uma vez o estádio.

Nervoso, o Galo quase levou o segundo gol aos 28, quando Erazo saiu jogando errado, acabou permitindo que Aued tomasse a bola e finalizasse, levando muito perigo, em bola que saiu muito perto da trave.

Aos 32 minutos, a oportunidade de balançar as redes esteve nos pés de Pratto, que recebeu belo passe de Carlos, ficou em boas condições, mas também acabou errando o alvo.

Já nos acréscimos da primeira etapa, Racing e Lisandro López voltaram a provocar calafrios na torcida atleticana. O centroavante finalizou de cabeça e, por muito pouco, não ampliou o marcador antes do intervalo.

No segundo tempo, o Atlético partiu para cima e quase abriu o placar aos 7 minutos, quando Pratto encheu o pé e acertou a trave. No rebote, Robinho saltou para tentar marcar de peixinho, mas concluiu para fora.

A resposta dos visitantes veio logo no minuto seguinte, quando Romero, no último lance antes de dar lugar para Bou, invadiu a área e obrigou Victor a fazer grande defesa. Aos 10, foi a vez do goleiro do Galo parar Lisandro López, em nova ação ofensiva do Racing.

Sofrendo muito com o adversário, o Atlético ficou mais ofensivo aos 24 do segundo tempo, quando o técnico uruguaio Diego Aguirre colocou Clayton, que entrou na vaga de Leandro Donizete - antes, Hyuri já havia substituído Carlos.

Dois minutos após a mudança, o time mineiro voltou a mexer no placar, quando Rafael Carioca cobrou falta, colocando a bola na medida para Pratto cabecear e fazer o segundo gol.

O atacante argentino teve oportunidade para deixar a classificação ainda mais próxima aos 35 minutos, quando o árbitro uruguaio Daniel Fedorczuk marcou toque de mão de Sánchez na área. O camisa 9 cobrou, mas parou na defesa de Ibáñez.

Em desvantagem, o Racing apostou em Lisandro López para voltar a igualar o marcador. Aos 41, Milito, que havia entrado no lugar de Noir, serviu o companheiro, que bateu com categoria, mas não acertou o gol defendido por Victor.



Ficha técnica:.

Atlético Mineiro: Víctor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo e Douglas Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete (Clayton), Júnior Urso, Robinho (Eduardo) e Carlos (Hyuri); Pratto. Técnico: Diego Aguirre.

Racing: Ibáñez; Pillud, Sánchez, Vittor e Grimmi; Aued, Videla, Noir (Milito), Romero (Bou) e Acuña (Pereyra); Lisandro López. Técnico: Facundo Sava.

Árbitro: Daniel Fedorczuk (Uruguai) auxiliado pelos compatriotas Mauricio Espinosa e Richard Trinidad.

Gols: Carlos e Pratto (Atlético Mineiro); Lisandro López (Racing).

Cartões amarelos: Leandro Donizete, Rafael Carioca, Júnior Urso (Atlético Mineiro); Romero, Bou e Acuña (Racing).

Estádio: Independência, em Belo Horizonte.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo