Esporte

Fifa realiza Congresso quase 1 ano após escândalo de corrupção vir à tona

11/05/2016 18h09

Cidade do México, 11 mai (EFE).- A Fifa realizará a partir desta quinta-feira o primeiro Congresso da gestão Gianni Infantino, na Cidade do México, quase um ano após a reunião de cúpula que levou vários dirigentes à prisão na Suíça, entre eles José Maria Marin, então presidente da CBF.

Na ocasião, uma ação liderada pela Procuradoria de Nova York, apoiada pela justiça do país europeu, resultou na detenção de nove dirigentes em um hotel de Zurique, poucas horas antes do encontro que seria fechado com eleições presidenciais da entidade, que acabaram sendo vencidas pelo suíço Joseph Blatter.

Desde aquele 27 de maio de 2015, houve muitas mudanças na Fifa, desde a queda de diversos dirigentes, acusados de corrupção, até a do líder máximo e seu potencial sucessor, o francês Michel Platini, então presidente da Uefa. Além disso, houve mudanças no modelo de gestão e na constituição do Comitê Executivo.

Agora, o órgão é chamado de Conselho da Fifa, sendo constituído por 37 membros, com mandatos de, no máximo, 12 anos, e é peça central da gestão da federação internacional. A principal preocupação nas reformas foi separar a política da administração no grupo de dirigentes.

O Conselho já se reuniu na Cidade do México nos últimos dias, e agora suas decisões serão colocadas em votação pelo Congresso. As principais dizem respeito a escolha da sede da Copa do Mundo de 2026.

Segundo a proposta que será analisada a partir de amanhã, entre maio desde ano e maio de 2017, acontecerá uma primeira fase de consultas das candidaturas apresentadas, em que serão avaliados aspectos de direitos humanos, proteção do meio ambiente, e em que serão descartadas projetos que descumpram requisitos técnicos.

Neste primeiro período, haverá definição do número de seleções participantes da Copa do Mundo, do formato de disputa e da distribuição de vagas por continente, conforme divulgou a própria Fifa.

A segunda etapa, que avaliará os preparativos das candidaturas, vai de julho de 2017 até dezembro de 2018, e a terceira, em período de avaliação, de janeiro de 2019 até fevereiro de 2020. A última fase será a eleição, em maio de 2020.

Outras votações importantes serão a dos pedidos de admissão de Kosovo e Gibraltar à Fifa. Caso ambos sejam aprovados, a entidade alcançará a marca de 211 filiados, e as respectivas seleções poderão disputar as Eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2018.

O Conselho da Fifa confirmou que revisará no fim do Congresso os procedimentos para designação dos membros das comissões permanentes e os candidatos para os cargos de presidentes e membro da Comissão de Governança.

Ainda será colocada em consideração na reunião, a suspensão das federações nacionais da Indonésia, Kuwait e Benin. Também entrará na pauta o pedido do Wellington Phoenix, time da Nova Zelândia, de passar a disputar o Campeonato Australiano, durante quatro temporadas.

Além disso, no Congresso será confirmada a escolha do Uruguai como país-sede da Copa do Mundo feminina sub-17, que acontecerá entre 20 de novembro e 13 de dezembro de 2018.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo