Esporte

São Paulo elimina Atlético e será o brasileiro na semi da Libertadores

18/05/2016 23h49

Belo Horizonte, 18 mai (EFE).- Em confronto entre os dois últimos times brasileiros vivos na Taça Libertadores, o São Paulo perdeu para o Atlético-MG por 2 a 1 nesta quarta-feira na Arena Independência, em Belo Horizonte, mas se classificou devido ao gol marcado fora de casa, já que venceu por 1 a 0 na ida, e será o representante do país nas semifinais.

Os três gols da partida na capital de Minas Gerais aconteceram nos primeiros 15 minutos. O Galo até abriu 2 a 0, com Cazares e Carlos, mas Maicon diminuiu e garantiu a classificação do Tricolor. Os donos da casa lutaram contra o relógio por cerca de uma hora, mas, afobado, com incríveis 80 passes errados, segundo scout da Conmebol, não marcou o terceiro e foi eliminado.

A princípio, o tricampeão da Libertadores espera por Nacional de Medellín ou Rosario Central. Entretanto, caso a equipe argentina passe e o Boca Juniors elimine o Cerro Porteño, esses dois se enfrentaram, e o time de Edgardo Bauza pegará Independiente del Valle-EQU ou Pumas-MEX. As semifinais acontecerão em 6 e 13 de julho, após a Copa América, e os duelos da final, em 20 e 27 desse mês.

De quebra, o São Paulo quebrou um longo tabu. Desde 2005, ano do tri continental, a equipe sempre foi eliminada da Libertadores por adversários do Brasil. Foi assim diante de Internacional (2006 e 2010), Grêmio (2007), Fluminense (2008), Cruzeiro (2009 e 2015) e do próprio Atlético (2013).

O time mineiro teve de lidar com uma série de desfalques. Os volantes Rafael Carioca e Junior Urso ficaram fora por suspensão, já que receberam terceiro cartão amarelo em São Paulo, e deram lugar a Eduardo e Patric.

Diego Aguirre ainda tinha três dúvidas devido a problemas físicos. Carlos foi titular, enquanto Dátolo ficou no banco e Robinho sequer apareceu entre os reservas.

Já o São Paulo foi para o jogo apenas sem o atacante argentino Ricky Centurión, que é reserva e pegou três jogos de suspensão por cuspir em jogador do Toluca, na volta das oitavas de final. Por outro lado, Michel Bastos, que anotou o gol da vitória no Morumbi na semana passada, voltou a aparecer entre os titulares, depois de se recuperar de lesão na coxa direita. Com isso, Wesley voltou ao banco de reservas.

O jogo começou tenso, pegado, com a rispidez prevalecendo em relação à técnica. Contudo, logo na primeira chance, o Atlético abriu o placar. Em rápida descida pela direita, aos seis minutos, Pratto escorou e Marcos Rocha chutou cruzado. O goleiro Denis fez boa defesa, mas o rebote ficou limpo para Cazares, que emendou de primeira e fez 1 a 0.

Embalado pelo primeiro gol e empurrado pela massa no Horto, o Galo marcou o segundo pouco depois, aos 11. Douglas Santos teve toda a liberdade do mundo pela esquerda e cruzou na medida para Carlos escorar de cabeça e aumentar.

Mas a euforia se transformou em agonia três minutos depois, quando o São Paulo diminuiu e conseguiu o tão sonhado gol fora de casa. Kelvin bateu escanteio na primeira trave, Maicon ganhou da marcação pelo alto e, também de cabeça, deixou o placar em 2 a 1 para os donos da casa.

O resultado favorecia o Tricolor, mas nem os jogadores atleticanos nem a torcida desanimaram, e o campeão continental de 2013 foi para cima. Aos 16, Cazares também bateu escanteio no primeiro pau, Carlos resvalou para trás e a bola atravessou toda a área até sair em tiro de meta.

A pressão era intensa, e Pratto acertou a trave em bonito cabeceio, aos 22 minutos. Logo em seguida, aos 23, Hudson puxou Leonardo Silva na área de defesa dos visitantes, mas a arbitragem considerou que o lance foi legal e não marcou pênalti.

Bastante acionado no retorno ao time principal, depois de ter atuado pelo "mistão" no último sábado, Cazares era bastante acionado. Aos 28, o meia equatoriano sofreu falta pela região central e foi para a cobrança, mas acertou a barreira.

Aos poucos, o tricampeão da América foi conseguindo neutralizar as ações ofensivas do adversário e ainda incomodar no ataque. Aos 38, Paulo Henrique Ganso cobrou escanteio fechado, como o do gol tricolor, mas desta vez Victor salvou.

Ainda antes do intervalo, aos 45, Ganso deu trabalho mais uma vez na bola parada. O meia bateu falta na cabeça de Rodrigo Caio, que desviou de peixinho e acertou o pé da trave esquerda. No rebote, Calleri pegou mal e isolou.

Aguirre promoveu uma troca na volta do vestiário, a entrada de Carlos Eduardo, ex-jogador de Grêmio e Flamengo, na vaga de Carlos. A proposta era voltar a encurralar o adversário, e deu certo. Logo com um minuto, Patric arriscou de fora da área e mandou perto do travessão.

Aos cinco, Cazares levantou no escanteio, pegou a sobra após Denis afastar e soltou a bomba, mas o goleiro mais uma vez espalmou. Dois minutos depois, o equatoriano deixou Bruno e Rodrigo Caio na saudade e chutou com desvio, mas o árbitro assinalou tiro de meta.

O São Paulo tinha basicamente uma alternativa de criação, a bola parada. Aos 12 minutos, Ganso bateu mais um córner fechado. A defesa cortou, mas Michel Bastos soltou a bomba, mas carimbou a marcação.

Um contra-ataque organizado enfim aconteceu aos 19 minutos, quando Michel Bastos disparou pela esquerda e rolou para o meio. Calleri fez o corta-luz e Hudson adiantou na área até Ganso, que cortou para o pé esquerdo, mas chutou fraco, praticamente recuando para Victor, que encaixou.

O Atlético mantinha o controle das ações, mas, nervoso, errava muitos passes. Cazares, por exemplo, desperdiçou duas descidas seguidas, aos 28 e aos 29 minutos. Na primeira, o camisa 11 falhou no lançamento para Pratto; na segunda, deu um presente para Hudson ao tentar tocar de primeira para Clayton.

Por sua vez, o Tricolor era mais inteligente e mais incisivo. Aos 30 minutos, Wesley, que substituíra Thiago Mendes, soltou uma bomba pela meia, e Victor salvou com uma "manchete", como em uma partida de vôlei.

Com alguma técnica e bastante disposição, e contando ainda com um recuo do adversário, o Galo voltou a pressionar. Aos 33 minutos, Clayton ganhou de Maicon na raça dentro da área e bateu no canto esquerdo, mas errou a meta por centímetros. Dois minutos depois, Pratto pegou sobra na direita e chutou com força, mas prensado, e ficou com o escanteio.

Os instantes finais foram de drama e muita emoção. Aos 45, Leonardo Silva, como um centroavante, cabeceou firme para o chão. Denis largou, causando frio na espinha de todos os são-paulinos, mas caiu e pegou firme.

No último minuto, aos 50, Maicon cortou com a mão a um passo da área. Pratto então teve a chance na falta, mas bateu um "field goal" de futebol americano e isolou a bola e a chance de classificação atleticana.



Ficha técnica:.

Atlético-MG: Victor; Marcos Rocha, Léo Silva, Erazo e Douglas Santos; Leandro Donizete e Eduardo (Dátolo); Patric (Clayton), Cazares e Carlos (Carlos Eduardo); Lucas Pratto. Técnico: Diego Aguirre.

São Paulo: Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson e Thiago Mendes (Wesley); Michel Bastos (Matheus Reis), Paulo Henrique Ganso e Kelvin; Calleri (Alan Kardec). Técnico: Edgardo Bauza.

Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai), auxiliado pelos compatriotas Carlos Pastorino e Horacio Ferreiro.

Cartões amarelos: Eduardo, Leandro Donizete e Leonardo Silva (Atlético-MG); Michel Bastos, Maicon e Kelvin (São Paulo).

Cartão vermelho: Leandro Donizete (Atlético-MG).

Gols: Cazares e Carlos (Atlético-MG); Maicon (São Paulo).

Estádio: Independência, em Belo Horizonte.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo