Esporte

Sofrimento e superação levaram Atlético a revanche contra o Real na Champions

26/05/2016 14h04

Madri, 26 mai (EFE).- Em busca de um título inédito, o Atlético de Madrid é finalista da Liga dos Campeões pela terceira vez na história e obteve essa condição de uma maneira sofrida, com direito a disputa de pênaltis nas oitavas, contra o PSV Eindhoven e penalidade desperdiçada nos últimos instantes nas semifinais, diante do Bayern de Munique.

Três campeões nacionais nesta temporada cruzaram no mata-mata o caminho da equipe 'rojiblanca', que antes, na fase de grupos, dominou uma chave com o Benfica, que viria a conquistar o tri em Portugal, e o Astana, dono do título no Cazaquistão, além do Galatasaray.

Em todo esse trajeto, o Atlético somou seis vitórias, quatro delas na fase de grupos, uma diante do Barcelona nas quartas de final e uma sobre o Bayern nas semifinais. Contra a equipe bávara, sofreu até o último minuto para segurar a derrota por 2 a 1 em Munique, depois de ter feito 1 a 0 no estádio Vicente Calderón.

A campanha ainda inclui três empates, dois deles em 0 a 0 com o PSV, o que levou a decisão nas oitavas de final para os pênaltis, em que os 'Colchoneros' levaram a melhor por 7 a 6. Houve também três derrotas, todas insuficientes para interromper a caminhada até Milão.

A primeira - e mais inesperada - foi a única em casa, contra o Benfica, por 2 a 1. Nas quartas, perdeu para o Barça por 2 a 1 no Camp Nou, mas avançou com um 2 a 0 no Calderón. Na sequência, veio o 2 a 1 para o Bayern, que não foi suficiente para evitar a classificação 'colchonera'.

Curiosamente, o time bávaro foi o adversário na primeira final de 'Champions' do Atlético, em 1974. Exatos 40 anos depois, a equipe 'rojiblanca' voltou a ser vice-campeã, contra o Real Madrid.

O ataque montado pelo técnico Diego Simeone marcou 16 gols em 12 partidas pela Liga dos Campeões: sete de Antonie Griezmann, três de Saúl Ñíguez e três de Fernando Torres. Luciano Vietto, Ángel Correa, Jackson Martínez - negociado com o Guangzhou Evergrande - e Óliver Torres marcaram um gol cada.

Na defesa, foram sete gols sofridos, três nos dois jogos contra o Benfica, dois na derrota para o Barcelona no Camp Nou e dois para o Bayern no revés na Allianz Arena. Nos outros oito compromissos, o goleiro Jan Oblak se manteve imbatível.



CAMPANHA DO ATLÉTICO DE MADRID ATÉ A FINAL DA LIGA DOS CAMPEÕES:.

================================================================.



FASE DE GRUPOS.

--------------.

Galatasaray 0 - Atlético de Madrid 2 (Griezmann 2x).

Atlético de Madrid 1 - Benfica 2 (Correa).

Atlético de Madrid 4 - Astana 0 (Saúl, Jackson Martínez, Óliver Torres e Dedechko contra).

Astana 0 - Atlético de Madrid 0.

Atlético de Madrid 2 - Galatasaray 0 (Griezmann 2x).

Benfica 1 - Atlético de Madrid 2 (Saúl e Vietto).



Oitavas de final.

----------------.

PSV Eindhoven 0 - Atlético de Madrid 0.

Atlético de Madrid 0 - PSV Eindhoven 0 (8 a 7 nos pênaltis).



Quartas de final.

----------------.

Barcelona 2 - Atlético de Madrid 1 (Fernando Torres).

Atlético de Madrid 2 - Barcelona 0 (Griezmann 2x).



SEMIFINAIS:

--------------

Atlético de Madrid 1 - Bayern de Munique 0 (Saúl)

Bayern de Munique 2 - Atlético de Madrid 1 (Griezmann).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo