Esporte

Bolívia encara Copa América com misto de expectativa e pessimismo

01/06/2016 19h32

Gina Baldivieso.

La Paz, 1 jun (EFE).- A seleção da Bolívia disputará a Copa América com um elenco empolgado em fazer um bom papel no torneio disputado nos Estados Unidos, mas, ao mesmo tempo, com um pessimismo travestido em cautela, com pleno conhecimento de que o futebol do país não está em seu melhor momento.

Sob o comando do técnico Júlio César Baldivieso, os bolivianos têm pela frente um grande desafio, já que está no grupo D, o mesmo do atual campeão, o Chile, e da vice no ano passado, a Argentina. A chave tem ainda o Panamá, adversário da estreia, na próxima segunda-feira, em Orlando.

A seleção boliviana não é das mais tradicionais e venceu a Copa América apenas uma vez, em 1963, como anfitriã. Também em casa, foi derrotada pelo Brasil na final em 1997. No ano passado, quebrou uma sequência de cinco eliminações na primeira fase ao avançar às quartas de final, mas foi eliminada pelo Peru no mata-mata.

Desde que Baldivieso assumiu 'La Verde', em setembro, notou-se uma mudança de atitude, embora os resultados, até o momento, não convenceram torcedores e imprensa bolivianos. Contudo, os dirigentes não perderam a confiança no treinador e esperam surpreender em território americano.

O técnico garantiu estar esperançoso para a Copa América, mas foi cauteloso - ou pessimista - ao falar das reais chances da Bolívia no torneio, tanto pela falta de grandes nomes quanto pelo pouco tempo de preparação.

Baldivieso vem tentando renovar a equipe e repetiu apenas sete nomes que disputaram o torneio da Conmebol em 2015, no Chile: o goleiro Romel Quiñónez, os defensores Marvin Bejarano, Ronald Eguino e Edward Zenteno, e os meio-campistas Martin Smedberg-Dalence, Walter Veizaga e Jhasmani Campos.

Smedberg, do IFK Göteborg, e Campos, que defende o Kazma, do Kuwait, são dois dos cinco "estrangeiros" da convocação, da qual ficou fora o meia Damián Lizio, do Botafogo. O atleta do Alvinegro ficou fora por opção do técnico, enquanto volante Alejandro Chumarcero, ex-Sport, é desfalque por lesão.

Já o atacante Juan Carlos Arce, que também defendeu o Leão e jogou no Corinthians, está recuperado de problemas físicos e é uma aposta, enquanto o centrovante Marcelo Moreno, que no Brasil vestiu as camisas de Vitória, Cruzeiro, Grêmio e Flamengo, brigou com o treinador em setembro e desde então não vem sendo chamado.

Uma das novidades será a estreia do zagueiro paraguaio Nelson Cabrera, que se naturalizou boliviano para defender o país que o acolheu há três anos. Também é destaque a inclusão do jovem atacante Bruno Miranda, de apenas 18 anos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo