Esporte

Renovadas, seleções de EUA e Colômbia abrem Copa América em Santa Clara

02/06/2016 21h20

Santa Clara (EUA), 2 jun (EFE).- A seleção dos Estados Unidos, que entra em campo na condição de anfitriã, e a Colômbia, ambas em processo de renovação, disputarão nesta sexta-feira a partida de abertura da Copa América no Levi's Stadium, em Santa Clara, no estado americano da Califórnia.

Sorteadas no grupo A, considerado o grupo da morte na edição especial de centenário da competição continental, os americanos partem sem a pressão de fazer grande campanha, mesmo jogando em seu território, enquanto os colombianos são frequentemente colocados entre os candidatos ao título. A chave tem ainda Costa Rica e Paraguai.

Os 'Cafeteros' têm grande expectativa em torno do meia James Rodríguez, craque do elenco dirigido pelo técnico José Pekerman. O artilheiro da última Copa do Mundo se apresentou mais tarde devido à disputa da final da Liga dos Campeões, no último sábado, em que ficou no banco de reservas do Real Madrid na vitória sobre o Atlético de Madrid nos pênaltis em Milão.

O jogador de 24 anos disputará a terceira grande competição de seleções na carreira, depois da Copa de 2014, em que foi Chuteira de Ouro e ainda marcou o gol mais bonito, e da Copa América do ano passado, em que decepcionou. A Colômbia caiu ainda na primeira fase em uma chave com Brasil, Venezuela e Peru.

James tem de espantar a desconfiança gerada desde a competição continental do ano passado e que aumentou na temporada recém encerrada pelo Real, em que perdeu espaço para Casemiro, que se tornou titular, e até mesmo para Isco, que se tornou uma espécie de 12º jogador para o treinador Zinedine Zidane.

Pekerman abriu mão de vários figurões, como os atacantes Jackson Martínez e Falcao García, e agora aposta em jovens como Roger Martínez, Cristian Bonilla, Felipe Aguilar e Andrés Roa, que foram chamados para ganhar bagagem de olho nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Campeã da Copa América em 2001, como anfitriã, a Colômbia venceu o Haiti por 3 a 1 no domingo passado, em Miami, no último amistoso de preparação.

O adversário sonha realizar o mesmo feito dos colombianos 15 anos atrás. No entanto, a principal missão dos EUA nesta edição da competição da Conmebol será dar bagagem a jovens convocados por Jürgen Klinsmann, com destaque para o meia Christian Pulisic, de apenas 17 anos.

Contudo, a responsabilidade por liderar o time da casa ainda é de velhos conhecidos, como o volante Michael Bradley, capitão da seleção, e o meia-atacante Clint Dempsey, líderes após a aposentadoria de Landon Donovan.

A renovação acontece após o começo irregular nas Eliminatórias para a Copa de 2018 e o desempenho ruim na Copa Euro do ano passado, em que os EUA ficaram com a quarta colocação.

Os americanos já participaram de três edições da Copa América, em 1993, 1995 e 2007. A melhor campanha aconteceu há 21 anos, com um quarto lugar no Uruguai.



Prováveis escalações:

Estados Unidos: Guzan; Cameron, Orozco, Brooks e Besler; Bradley, Bedoya e Jones; Dempsey, Wood e Zardes. Técnico: Jürgen Klinsmann.

Colômbia: Ospina; Arias, Zapata, Murillo e Díaz; Pérez, Torres e Cardona; Cuadrado e James Rodríguez; Bacca. Técnico: José Pekerman.

Árbitro: Roberto García (México), auxiliado pelo compatriota José Camargo e Alberto Morín.

Estádio: Levi's Stadium, em Santa Clara (Califórnia, EUA).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo