Topo

Esporte

Dirigente afirma que morte de Muhammad Ali encerra um ciclo no boxe

04/06/2016 13h48

Cidade do México, 4 jun (EFE).- O presidente do Conselho Mundial de Boxe (CMB), o mexicano Mauricio Sulaimán, expressou neste sábado suas condolências pela morte de Muhammad Ali e considerou que com ela se encerra um capítulo na história do pugilismo.

"Hoje se fecha um capitulo e se abre outro", disse Sulaimán à Agência Efe, ao comentar a morte de Ali. "É um desses momentos históricos nos quais não se pode deixar de fazer uma profunda reflexão", completou.

O dirigente destacou que Ali "será sempre a figura máxima do boxe, será sempre o maior e que hoje nasce uma nova etapa de sua vida, virando uma lenda".

O mexicano destacou que Ali sempre foi o maior representante do CMB e seu rosto está presente em todos os cinturões que os pugilistas recebem ao conquistar seus campeonatos.

Sulaimán ressaltou ainda que "Ali transformou a maneira de ver o esporte e a sociedade por sua forma de viver e de atuar com a firmeza de suas convicções e seus princípios durante a luta contra a segregação racial e a Guerra do Vietnã".

O dirigente declarou que o CMB está de luto pela morte de Ali e que a entidade continuará com seu projeto de desenvolver o Muhammad Ali Center, embora agora com uma motivação diferente.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte