Campeã do mundo, Alemanha quer quebrar jejum de 20 anos sem título da Euro

Berlim, 8 jun (EFE).- Foram 24 anos de espera até a conquista do tetracampeonato mundial, obtido em 2014 no Brasil, mas a Alemanha não se acomodou e, com novidades, almeja agora vencer a Eurocopa na França e quebrar uma sequência vigente desde 1996 sem o título continental.

Por décadas, o 'Nationalelf' reinou soberano no Velho Continente. Há 20 anos, tornou-se tricampeã europeia sem que houvesse uma concorrente com ao menos dois troféus. Porém, 20 anos depois, divide o topo do ranking com a Espanha, que faturou o troféu nas duas últimas edições.

O técnico da seleção alemã é o mesmo de 2006, Joachim Löw, e a base tetracampeã com direito a 7 a 1 sobre o Brasil nas semifinais foi mantida. Apenas três titulares da campanha em território brasileiro não estarão na França, o lateral Philipp Lahm, o zagueiro Per Metesacker e o atacante Miroslav Klose, maior artilheiro da história das Copas do Mundo.

O maior vazio foi deixado por Lahm. Löw ainda não encontrou um substituto a altura para o versátil jogador do Bayern de Munique, capitão no último Mundial e que atua tanto na lateral direita quanto no meio.

Olhando a convocação, salta à vista a ausência de laterais "puros". O único é Jonas Hector, que joga pelo lado esquerdo.

O problema, no entanto, não é novo para o treinador, que em alguns jogos da Copa escalou Benedikt Höwedes e Shkodran Mustafi nessa função. Os dois estão novamente relacionados, mas Löw vem preferindo um esquema com três zagueiros.

No meio-campo, tudo depende da recuperação de Bastian Schweinsteiger e Sami Khedira, que não estão 100% fisicamente. Caso se recuperem a tempo, provavelmente serão titulares ao lado de Toni Kroos.

Para o ataque, as opções são tantas que apenas um jogador é visto como titular indiscutível, Thomas Müller, que pode atuar tanto pelo lado direito quanto centralizado.

Com a baixa de Marco Reus, como já havia acontecido há dois anos, abre-se um leque de opções. O mais provável é que Julian Draxler e Mesut Özil comecem jogando e deixem Lukas Podolski, o "queridinho" das redes sociais, no banco.

Na última hora, já com o elenco treinando na França, a Alemanha perdeu o zagueiro Antonio Rüdiger, que rompeu ligamento do joelho direito. Com isso, foi convocado o jovem Jonathan Tah, de 20 anos, revelação do Bayer Leverkusen.

Em entrevista ao jornal alemão "Süddeutsche Zeitung", Löw disse que vê a Eurocopa claramente dividida em duas fases. Na primeira, que envolve a fase de grupos - com Ucrânia, Polônia e Irlanda do Norte - e será vigente até as oitavas de final, a Alemanha deverá ter pela frente equipes que tentarão se fechar e contra-atacar. A partir das quartas, os oponentes tentarão jogar de igual para igual.

O treinador acredita que precisará de uma equipe para cada um desses períodos. No primeiro, os jogadores mais brigadores, como Podolski, terão maior importância, enquanto no segundo deverão se sobressair os de maior técnica, como Özil.



Confira a lista de convocados da Alemanha para a Eurocopa:.



- Goleiros: Manuel Neuer (Bayern de Munique/ALE), Marc-André ter Stegen (Barcelona/ESP) e Bernd Leno (Bayern Leverkusen/ALE).

- Defensores: Jérôme Boateng (Bayern de Munique/ALE), Mats Hummels (Borussia Dortmund/ALE), Jonas Hector (Colônia/ALE), Benedikt Höwedes (Schalke 04/ALE), Shkodran Mustafi (Valencia/ESP) e Jonathan Tah (Bayer Leverkusen/ALE).

- Meias: Joshua Kimmich (Bayern de Munique/ALE), Julian Weigl (Borussia Dortmund/ALE), Emre Can (Liverpool/ING), Julian Draxler (Wolfsburg/ALE), Andre Schürrle (Wolfsburg/ALE), Mario Götze (Bayern de Munique/ALE), Sami Khedira (Juventus/ITA), Toni Kroos (Real Madrid/ESP), Mesut Özil (Arsenal/ING), Leroy Sané (Schalke 04) e Bastian Schweinsteiger (Manchester United/ING).

- Atacantes: Mario Gómez (Besiktas/TUR), Thomas Müller (Bayern de Munique/ALE) e Lukas Podolski (Galatasaray/TUR).



Time base: Neuer; Höwedes, Hummels, Boateng, Hector; Kroos, Khedira; Müller, Özil, Draxler; Gomez. Técnico: Joachim Löw.

UOL Cursos Online

Todos os cursos