Esporte

"Geração de ouro" da Bélgica tem oportunidade de conquistar 1º título

08/06/2016 19h54

Jaime Ojeda.

Bruxelas, 8 jun (EFE).- Uma das melhores gerações da história do futebol da Bélgica tem a oportunidade de confirmar as expectativas e conquistar seu primeiro título internacional na Eurocopa de 2016.

Atual vice-líder do ranking da Fifa, a Bélgica chega à França como uma das favoritas a conquistar o torneio nas casas de aposta, atrás dos anfitriões, da Alemanha, atual campeã mundial, e da Espanha, que tenta o tricampeonato.

E chega com uma seleção com poucas ausências, jovem - a média de idade é de 26 anos - e mais rodada em relação à Copa do Mundo de 2014, na qual caiu nas quartas de final. Apesar do bom desempenho, a seleção mostrou inexperiência no momento da decisão.

Um dos mais confiantes no triunfo é o técnico da equipe, Marc Wilmots, que mostrou ambição diante das possibilidades da Bélgica e afirmou que poderá chegar "sem grandes acidentes" às semifinais.

Os comandados de Wilmots, no entanto, terão que encarar a ausência do capitão, o zagueiro Vincent Kompany, lesionado durante a semifinal da Liga dos Campeões contra o Real Madrid.

Apesar de contar com grandes nomes entre os titulares, Wilmots poderia promover algumas supresas, já que algumas estrelas belgas, como Christian Benteke e Eden Hazard, não vivem seu melhor momento.

Além disso, a Bélgica está em um grupo complicado, ao lado da sempre favorita Itália, da Suécia de Zlatan Ibrahimovic e de uma Irlanda que, sem nada a perder, pode surpreender.

O talento na parte final do campo de Kevin De Bruyne, após um bom ano no City, e de Hazard, que teve uma temporada irregular, mas espera se recuperar na Eurocopa, são as principais forças da equipe, que aposta na posse de bola e no perfil decisivo dos meias.

Aos dois se somaram à velocidade e à técnica de Yannick Carrasco, do Atlético de Madrid, e de Dries Mertens, do Napoli, que inicialmente terão um papel secundário, mas podem ser determinantes.

Radja Nainggolan, da Roma, Alex Witsel, do Zenit São Petersburgo, Maroune Fellaini, do Manchester United, e Moussa Dembelé, do Tottenham, podem fornecer um bom balanço no meio-campo.

A criatividade de Hazard e De Bruyne será aproveitada pelo poderio dos dois principais atacantes da Bélgica, Christian Benteke, do Liverpool, e Romelu Lukaku, do Everton.

O artilheiro dos 'Reds', porém, chega ao torneio em má fase e após anotar apenas sete gols na última temporada, sendo substituído no clube inglês por seu companheiro de seleção, Divock Origi, uma mudança que também pode ser feita por Wilmots.

Na zaga, Toby Alderwireld, eleito jogador do ano no Tottenham, terá a responsabilidade de comandar o setor com a ausência de Kompany ao lado do veterano Jan Vertonghen. Ele, no entanto, costuma ser escalado na lateral-direita - Witsel já foi testado - e Vertoghen de esquerdo, o que deve provocar mudanças no setor.

As vagas no miolo da defesa devem ser disputadas por Thomas Vermaelen, que pouco joga pelo Barcelona, e por Jason Denayer, emprestado pelo Manchester City ao Galatasaray, jovem jogador que o próprio Wilmots considera como substituto natural de Kompany.

Thibaut Courtois segue como titular no gol da Bélgica, apesar de não ter tido sua melhor temporada com o Chelsea, com Simon Mignolet, do Liverpool, como seu reserva imediato.

Além dos lesionados, Wilmots deixou de fora alguns nomes importantes que faziam parte do grupo que disputou a Copa do Mundo de 2014, como o meia Nacer Chadli, do Tottenham, e o atacante Kevin Mirallas, do Everton.

Wilmots costuma apostar em um 4-3-3 para aproveitar a velocidade de seus pontas, apesar de optar às vezes por jogar no 4-2-3-1. Em algumas ocasiões, o técnico ainda chegou a utilizar dois atacantes de área - Lukaku e Benteke -, no clássico 4-4-2.



Confira a lista de convocados da Bélgica para a Eurocopa:.



Goleiros: Thibaut Courtois (Chelsea/ING), Jean-François Gillet (Mechelen/BEL) e Simon Mignolet (Liverpool/ING)

Defensores: Toby Alderweireld (Tottenham/ING), Laurent Ciman (Montreal Impact/CAN), Jason Denayer (Galatasaray/TUR), Christian Kabasele (Genk/BEL), Jordan Lukaku (Ostende/BEL), Thomas Meunier (Club Brugge/BEL), Thomas Vermaelen (Barcelona/ESP) e Jan Vertonghen (Tottenham/ING).

Meias: Yannick Carrasco (Atlético de Madrid/ESP), Kevin De Bruyne (Manchester City/ING), Mousa Dembélé (Tottenham/ING), Marouane Fellaini (Manchester United/ING), Eden Hazard (Chelsea/ING), Radja Nainggolan (Roma/ITA) e Axel Witsel (Zenit São Petersburgo/RUS).

Atacantes: Michy Batshuayi (Olympique de Marselha/FRA), Christian Benteke (Liverpool/ING), Romelu Lukaku (Everton/ING), Dries Mertens (Napoli/ITA) e Divock Origi (Liverpool/ING).



Time base: Courtois; Witsel, Alderweireld, Vermaelen e Vertonghen, Dembelé, Fellaini e De Bruyne; Hazard, Mertens (Carrasco) e Romelu Lukaku. Técnico: Marc Wilmots.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo