Esporte

França pretende proibir venda de álcool nas cidades-sedes da Eurocopa

12/06/2016 15h01

Paris, 12 jun (EFE).- A França pretende ampliar a proibição da venda e do consumo de álcool nos perímetros sensíveis das cidades-sedes da Eurocopa, o que deve ser imposto tanto nos dias de jogo como na véspera.

O ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, afirmou à imprensa que, após os distúrbios de ontem em Marselha entre torcedores ingleses e russos, pediu aos governadores regionais que apliquem essas proibições "na véspera e nos dias de jogos e nos dias de abertura das zonas de torcedores".

O objetivo é impedir "a venda, o consumo e o transporte de bebidas alcoólicas nos perímetros sensíveis", na rua, nas lojas e em estabelecimentos autorizados.

Cazeneuve também acrescentou que os governadores regiões poderão estabelecer interdições nos terraços de bares e restaurantes para evitar o acesso a objetos "suscetíveis de serem utilizados como projéteis".

Além disso, os torcedores que forem identificados participando de incidentes serão impedidos de se aproximar de estádios, fã zones e outras áreas que as autoridades considerarem potencialmente conflituosas nas cidades-sede da Eurocopa.

Ontem, oito pessoas foram presas devido aos confrontos entre torcedores russos e ingleses em Marselha. Outros sete acabaram detidas pelo mesmo motivo na sexta-feira. Alguns deles serão julgados a partir de amanhã pela Justiça, indicou a Procuradoria.

Também foram registrados enfrentamentos na noite de ontem em Nice, com vários feridos. Na tarde deste domingo, os agentes constataram atacantes de torcedores alemães contra ucranianos no centro de Lille, poucas horas antes das seleções dos dois países se enfrentarem na estreia da Eurocopa.

Cazeneuve defendeu o esquema de segurança de Marselha ao afirmar que ele estava "corretamente dimensionado". Além disso, destacou que as autoridades "foram reativas e conseguiram restabelecer a calma em uma hora e meia ao separar os protagonistas fortemente alcoolizados e prestar imediatamente socorro as feridos", disse.

Diante das críticas por improvisação, o ministro indicou que não aceitará a ideia de transformar os centros das cidades em fortalezas durante uma competição de futebol. Para ele, os grupos violentos "tomam o esporte como pretexto" e não merecem "complacência".

"É absolutamente necessário que as federações nacionais dos países cujos torcedores estejam em incidentes desta natureza sejam penalizados", disse Cazeneuve, elogiando a ameaça feita pela Uefa de eliminar Rússia e Inglaterra da Eurocopa em caso de nova violência.

Os enfrentamentos de ontem entre ingleses e russos em Marselha, que terminaram com 35 feridos, entre eles quatro em estado grave, alimentaram a polêmica medida de proibir o consumo de bebidas alcóolicas, já que muitos dos envolvidos estavam bêbados.

Havia ontem restrições à venda de álcool nas regiões próximas ao estádio Vélodrome, palco do jogo, e na área de torcedores perto da praia, mas não no centro histórico da cidade de Marselha. Na região do Porto Velho, várias centenas de torcedores entraram em confronto, utilizando garrafas, pedaços de pau, cadeiras e mesas dos bares contra os rivais.

Em Lens, no norte do país, outra das sedes da competição, as autoridades municipais tinham estabelecido de antemão uma proibição de vendas de bebidas alcóolicas nos dias da partida.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo