Esporte

Em jogo truncado, Alemanha e Polônia amargam primeiro empate sem gols da Euro

16/06/2016 17h54

Paris, 15 jun (EFE).- No duelo mais truncado da atual edição da Eurocopa, Alemanha e Polônia protagonizaram o primeiro empate sem gols do torneio, no encerramento da segunda rodada do Grupo C, em jogo disputado no Stade de France, nos arredores de Paris.

Depois de um primeiro marcado pelo predomínio das defesas sobre os ataques, as duas seleções foram em busca da vitória etapa final, mas pararam na falta de pontaria de seus principais nomes. Robert Lewandowksi e Arkadiusz Milik não conseguiram superar Manuel Neuer. Já pelo lado alemão, Mario Götze e Mesut Özil tiveram suas melhores oportunidades defendidas por Lukasz Fabianski.

Com o resultado, Alemanha e Polônia chegam a quatro pontos, mas os alemães ocupam a liderança da chave por terem melhor saldo de gols. A Irlanda do Norte, que venceu a Ucrânia mais cedo, por 2 a 0, subiu para a terceira posição, com três pontos. Os ucranianos agora ficam na lanterna do grupo, ainda sem pontuar.

A rodada decisiva do Grupo C ocorre na próxima terça-feira. A Polônia viaja até Marselha, onde encara a Ucrânia no estádio Vélodrome. Já os atuais campeões mundiais seguem na capital francesa, onde enfrentarão a Irlanda do Norte, no Parc des Princes.

Ambas as equipes começaram a partida com uma mudança cada em relação às estreias no torneio. Pelo lado alemão, Mats Hummels, recuperado de lesão, retornou ao comando da zaga, substituindo Shkodran Mustafi, que abriu o placar na vitória sobre a Ucrânia.

Na Polônia, o técnico Adam Nawalka perdeu seu goleiro titular. Wojciech Szczesny sofreu uma lesão no duelo contra a Irlanda do Norte e foi substituído por Fabianski.

Havia também a expectativa de que Bastian Schweinsteiger, capitão da Alemanha e que também sofreu com lesão, estivesse na equipe principal. O técnico Joaquim Löw, porém, preferiu manter Sami Khedira no time, apesar do gol marcado pelo meia do Manchester United no duelo contra o Ucrânia, após sair do banco de reservas.

A rivalidade entre os dois países vizinhos se fez presente em campo desde os primeiros minutos. Com forte marcação de ambos os lados, os times tinham dificuldade de marcar e abusavam das faltas. Khedira, inclusive, acabou sendo punido com cartão amarelo logo aos 3 minutos, após duas entradas duras sobre os rivais.

Apesar das posturas cautelosas, a Alemanha jogava melhor, dominava a posse e tentava ameaçar o gol defendido por Fabianski. Aos 4 minutos, após cruzamento de Julian Draxler, Götze surgiu livre e cabeceou com estilo, mas a bola acabou subindo.

Pelo lado polonês, as poucas ações ofensivas se concentravam nos pés de Lewandowski. O atacante do Bayern de Munique, porém, era marcado de perto por Hummels, ex-Borussia Dortmund e agora companheiro de equipe do artilheiro, que já o conhece pelos inúmeros clássicos entre as duas principais equipes da Alemanha.

Aos 20 minutos, Lewandowski recebeu pela esquerda da área, tentou limpar a marcação e foi travado por exatamente Hummels, que apareceu fazendo a cobertura do lateral-direito Benedikt Höwedes.

Animada com a pouca criatividade do ataque alemão, a Polônia começou a gostar do jogo e passou a se arriscar mais no setor ofensivo depois da metade do primeiro tempo. Apesar do avanço, os comandados de Nawalka não se descuidavam da defesa e mantinham uma forte retranca quando o adversário estava com a bola.

No ataque, porém, os poloneses enfrentavam o mesmo problema que os rivais e não conseguiam superar a defesa montada por Löw.

O jogo travado de ambos os lados se repetiu nos números. A Alemanha chutou seis vezes ao gol, mas não acertou nenhuma no alvo. Já a Polônia tentou finalizar apenas duas vezes, bloqueadas pelos zagueiros adversários.

Mesmo com a falta de efetividade ofensiva das duas equipes no primeiro tempo, os técnicos mantiveram os mesmos jogadores em campo para a etapa final. Mas a conversa de vestiário serviu para sacudir os ânimos e teve resultados concretos logo no início.

Aos 40 segundos, a Polônia teve a melhor oportunidade de abrir o placar. Depois de cruzamento da direita de Kamil Grosicki, Milik apareceu livre entre os zagueiros e se esticou para desviar de cabeça. A bola passou muito perto da trave esquerda de Manuel Neuer, que já estava batido no lance.

A Alemanha respondeu aos 2 minutos. Thomas Müller deu belo passe para Götze, que invadiu a área com espaço e chutou firme. Fabianski, bem posicionado, espalmou a bola para a linha de fundo.

Com posturas mais ofensivas dos dois lados, o jogo ganhou em emoção. A Alemanha seguia com mais posse de bola, mas conseguia criar mais espaços na forte retranca polonesa. Os comandados de Nawalka, por sua vez, também se arriscavam mais no ataque.

Aos 13 minutos, a Polônia teve mais duas chances de marcar, a primeira delas em cobrança de falta perto da entrada da área. Em jogada ensaiada, Lewandowski rolou para Milik, que finalizou rasteiro e a bola bateu na rede pelo lado de fora.

Na sequência, a Alemanha saiu jogando errado. O próprio Milik recuperou e tocou para Lewandowski, completamente livre. O artilheiro, porém, demorou a chutar e foi bloqueado por Jerome Boateng, que corrigiu o vacilo da zaga com um corte impecável.

Aos 23 minutos, Grosicki foi à linha de fundo pela esquerda e cruzou rasteiro para Milik, que vinha de trás. O atacante, livre, furou feio, desperdiçando mais uma ótima oportunidade.

A Alemanha respondeu no mesmo minuto. Em uma jogada muito semelhante, Draxlez cruzou da esquerda para Özil, que pegou de primeira, obrigando Fabianski a fazer grande defesa.

Com a proximidade do apito final, a Polônia voltou a recuar e o cenário do primeiro tempo se repetiu. A Alemanha dominava o jogo, trocava passes na intermediária, mas tinha dificuldades para penetrar na zaga adversária. Ansiosos, os alemães começaram a levantar a bola na área, porém sem ameaçar Fabianski.



Ficha Técnica:.

Alemanha: Neuer; Höwedes, Boateng, Hummels e Hector; Khedira, Kroos, Müller, Özil e Draxler (Gomez); Götze (Schürrle). Técnico: Joachim Löw.

Polônia: Fabianski; Piszczek, Glik, Pazdan e Jedrzejczyk; Blaszczykowski (Kapustka), Krychowiak, Maczynski (Jodlowiec) e Grosicki (Peszko); Milik e Lewandowski. Técnico: Adam Nawalka.

Árbitro: Björn Kuipers (Holanda), auxiliado pelos compatriotas Sander van Roekel e Erwin Zeinstra.

Cartões Amarelos: Khedira, Özil e Boateng (Alemanha); Maczynski, Grosicki e Peszko (Polônia).

Estádio: Stade de France, em Saint-Denis (França).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo