Esporte

Com goleiro inspirado e pênalti perdido de CR7, Áustria empata com Portugal

18/06/2016 17h55

Paris, 18 jun (EFE).- Inspirado, protegido por uma forte retranca e com uma grande dose de sorte, o goleiro Robert Almer parou Cristiano Ronaldo e garantiu o empate sem gols entre Áustria e Portugal neste sábado, no Parc des Princes, em Paris, um resultado ruim para ambições das duas equipes no Grupo F da Eurocopa.

No dia em que igualou o recorde de jogos disputado em Eurocopas do francês Liliam Thuram e do holandês Edwin van der Sar - 16 partidas -, o craque português esperava também se tornar no primeiro jogador a marcar gols em quatro edições diferentes do torneio. Mas Almer roubou os holofotes e, com grande atuação, foi o nome do jogo.

Cristiano tentou com os pés, de cabeça e em cobranças de falta. E teve a oportunidade de dar a vitória a Portugal em cobrança de pênalti, aos 34 minutos do segundo tempo, mas chutou na trave direita, para sorte de Almer. A mesma trave impediu tentativa de Nani ainda na etapa inicial, quando o goleiro já estava batido.

O craque do Real Madrid superou Almer uma única vez, aos 39 minutos. Após cobrança de falta, subiu mais alto que a zaga e cabeceou firme, mas a arbitragem apontou impedimento no lance.

O resultado foi ruim para as duas equipes e deixou a decisão das vagas para as oitavas de final para a última rodada. Com o empate, Portugal ficou na terceira posição do grupo, com apenas dois pontos. Já a Áustria amarga a lanterna, com um único ponto conquistado. Mais cedo, a Hungria assumiu a ponta da chave ao chegar a quatro pontos, após empate com a Islândia, vice-líder com dois pontos, por 1 a 1.

Na próxima quarta-feira, Portugal encara a Hungria, no Parc Olympique Lyonnais, em Lyon, e precisa vencer para se manter vivo na Eurocopa. No mesmo dia e horário, a Áustria pega a Islândia no Stade de France, nos arredores de Paris, ainda com chances de avançar.

O técnico Fernando Santos apresentou uma equipe bem modificada em relação à estreia. William Carvalho ganhou o lugar de Mário no meio-campo, enquanto o volante Danilo deixou o time para a entrada do veterano Ricardo Quaresma. Dessa forma, Portugal passou a atuar em um 4-3-3, com Quaresma pelo lado direito do campo, Nani pela esquerda, e Cristiano centralizado no comando do ataque.

Também insatisfeito com a primeira partida de seu time na Euro, Koller promoveu alterações, uma delas provocadas por lesão. Zlakto Junuzovic, meia de criação, sentiu um problema contra a Hungria e foi substituído pelo volante Stefan Ilsanker. Assim, David Alaba foi avançado para a função de meia-atacante.

Além disso, o técnico da Áustria fez mais duas mudanças. Marcel Sabitzer ganhou a vaga de Marc Janko no ataque. Na zaga, o suspenso Aleksandar Dragovic deu lugar a Sebastian Prödl.

As alterações de Santos, porém, pareceram surtir mais efeito. Com mais poder ofensivo, Portugal dominou a partida desde o primeiro minuto e desperdiçou várias chances de abrir o placar.

A primeira dela ocorreu aos 11 minutos, em jogada individual. Nani passou pela marcação e invadiu a área livre, mas Almer impediu o primeiro gol do jogo. No rebote, Vierinha arriscou de longe, obrigando o goleiro austríaco a fazer outra grande defesa.

Dez minutos mais tarde, foi a vez de Cristiano desperdiçar. Depois de tabela entre Nani e Raphaël Guerreiro, o experiente meia-atacante, ex-Manchester United, foi à linha de fundo pela esquerda e cruzou. CR7 apareceu livre entre os zagueiros e tocou de chapa, no contrapé do goleiro, mas a bola passou ao lado da trave.

A mesma trave impediria outra oportunidade portuguesa, aos 30 minutos, depois de Nani completar outro cruzamento pela esquerda. Na sequência, Quaresma ainda tentou, mas errou a pontaria.

O craque do Real Madrid teve nova chance de marcar aos 34. Quaresma puxou contra-ataque e tocou para Nani na direita. O meia cruzou na medida para Cristiano, que subiu mais alto que o zagueiro e cabeceou firme, mas Almer fez defesa em dois tempos.

A Áustria só foi assustar aos 39 minutos, após falta cometida por Pepe pela direita da área. Alaba cobrou firme em direção ao gol, Rui Patrício tentou cortar e não achou a bola, mas Vieirinha surgiu em cima da linha para afastar o perigo.

A equipe de Koller iniciou o segundo tempo com uma postura mais ofensiva. Antes mesmo do primeiro minuto, a Áustria colocou Patrício para trabalhar. Ilsanker avançou pela intermediária e soltou a bomba de longe, obrigando o goleiro português a se esticar para defender.

Portugal, porém, em pouco tempo recuperou o controle da partida e recomeçou o bombardeio contra o gol defendido por Almer. Aos 9 minutos, Cristiano saiu da área, limpou a marcação e chutou muito forte. O goleiro austríaco se esticou e tocou para escanteio.

Na sequência, após a cobrança, o craque subiu livre, tocou de cabeça para o chão, para nova grande defesa de Almer.

Sem conseguir com a bola rolando, CR7 também tentava em cobrança de falta. Aos 20 minutos, o artilheiro bateu com categoria da entrada da área, mas a bola subiu e tocou na rede superior do gol.

Determinado a se tornar no primeiro jogador a marcar gols em quatro edições de Eurocopa, Cristiano Ronaldo continuava a incomodar a defesa austríaca. Aos 34 minutos, o craque foi derrubado por Martin Hinteregger na área, e o árbitro marcou pênalti. O artilheiro foi confiante para a bola, mas acertou a trave direita de Almer.

O ídolo português ainda teria outra frustração quatro minutos mais tarde, aos 40. Depois de falta cobrada pela direita, Cristiano subiu mais alto que os zagueiros, cabeceou firme e, enfim, superou o goleiro austríaco. Mas a arbitragem anulou o lance corretamente, já que o atacante estava impedido na jogada.



Ficha Técnica:.

Portugal: Rui Patrício; Vieirinha, Pepe, Carvalho e Guerreiro; Gomes (Éder), William Carvalho e Moutinho; Quaresma (Mário), Nani (Rafa Silva) e Cristiano Ronaldo. Técnico: Fernando Santos.

Áustria: Almer; Klein, Prödl, Hinteregger e Fuchs; Alaba (Schöpf), Baumgartlinger, Harnik; Ilsanker (Wimmer) e Arnautovic; Sabitzer (Hinterseer). Técnico: Marcel Koller.

Árbitro: Nicola Rizzoli (Itália), auxiliado pelos compatriotas Elenito Di Liberatore e Mauro Tonolini.

Cartões Amarelos: Pepe e Quaresma (Portugal); Fuchs, Hinteregger e Harnik (Áustria).

Estádio: Parc des Princes, em Paris (França).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo