Esporte

Bale e companhia tentam "vingar" geração de Giggs e avançar na Euro

19/06/2016 19h08

Marselha (França), 19 jun (EFE).- Segundo colocado do grupo B da Eurocopa, o País de Gales enfrentará a Rússia nesta segunda-feira e buscará uma vitória não só para garantir a classificação para as oitavas de final, mas também vingar a geração de Ryan Giggs, eliminada pelos russos na repescagem das Eliminatórias para a edição de 2004 do torneio continental.

Em 2003, a seleção galesa ficou fora da Euro do ano seguinte ao empatar com a Rússia em 0 a 0 em Moscou e depois perder em casa, em Cardiff, por 1 a 0. Bale, então um garoto de 14 anos, estava entre os 73.026 presentes no estádio Millenium durante a derrota amarga.

"Eu estava lá com meu pai e alguns dos meus amigos. Eu era muito jovem, mas ainda me lembro bem. Mas isso é passado, ninguém tem de pensar nessa experiência. Queremos ir com a cabeça fresca. Queremos jogar como temos jogado e espero conseguir a vitória", declarou o craque do Real Madrid.

Aquela seleção tinha a liderança técnica de Giggs e era treinada por Mark Hughes. A confiança era grande, mas o gol de Vadim Yevseyev no segundo tempo a adiou a estreia do País de Gales na Eurocopa para este ano.

O desgosto de Bale aumentou quando a Uefa não admitiu o recurso dos galeses pela escalação irregular de Igor Titov, que deu positivo em exame antidoping no jogo de ida e mesmo assim participou da volta.

Agora, o atacante tem a oportunidade de vingar Giggs, de quem é admitidamente fã, e ainda classificar sua seleção, segunda colocada no grupo B, com três pontos, atrás apenas da Inglaterra, que tem quatro. O time treinado por Leonid Slutsky segura a lanterna, com um, atrás ainda da Eslováquia, que também tem três.

O retrospecto é favorável aos russos, que venceu seis dos dez confrontos diretos e perdeu apenas um, nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1966.

Da Rússia, falou-se mais da selvageria dos torcedores, que levou à possibilidade de desclassificação da seleção do país, que de seu futebol. O único ponto conquistado veio em um empate no qual foi bastante inferior à Inglaterra. Dessa forma, só a vitória interessa para obter a classificação, que pode vir com a vice-liderança da chave ou com um lugar entre os quatro melhores terceiros colocados.

Em relação à repescagem de 2003, dois integrantes do elenco atual fizeram parte do confronto. O goleiro Igor Akinfeev era reserva, enquanto o zagueiro Sergei Ignashevich esteve em campo durante os 180 minutos.



Prováveis escalações:.

Rússia: Akinfeev; Smolnikov, Vasili Berezutski, Ignashevich e Schennikov; Glushakov e Neustädter; Kokorin, Shatov e Smolov; Dzyuba. Técnico: Leonid Slutsky.

País de Gales: Hennessey; Chester, Ashley Williams e Davies; Gunter, Allen, Ramsey, Ledley e Taylor; Bale e Robson-Kanu. Técnico: Chris Coleman.

Árbitro: Jonas Eriksson (Suécia), auxiliado pelos compatriotas Mathias Klasenius e Daniel Wärnmark.

Estádio: Municipal, em Toulouse.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo