Esporte

Alemanha pega Irlanda do Norte para confirmar liderança do Grupo C da Euro

20/06/2016 12h59

Paris, 20 jun (EFE).- Grande favorita ao título no início da Eurocopa, a Alemanha enfrenta a Irlanda do Norte nesta terça-feira, no estádio Parc des Princes, em Paris, para afastar as dúvidas sobre a qualidade do setor ofensivo da equipe e garantir a vaga nas oitavas de final do torneio como líder do Grupo C.

Faltando a terceira e última rodada da chave, a Alemanha é líder, com quatro pontos, empatada com a Polônia, seguida da própria Irlanda do Norte, com três pontos, e a já eliminada Ucrânia, sem pontuar até o momento na competição.

Um simples empate contra os modestos norte-irlandeses basta para que os atuais campeões do mundo se classifiquem, mas uma surpreendente derrota alemã combinada com uma vitória ou empate da Polônia contra a Ucrânia pode complicar a sequência do time no torneio, já que dependeria de estar entre as quarto melhores terceiras colocadas na Eurocopa para avançar à fase decisiva.

O grupo está tão aberto que a própria Irlanda do Norte, a "zebra" da chave, pode ficar com a primeira colocação. Por isso, os comandados de Joachim Löw terão que entrar em campo atentos também ao resultado do jogo no estádio Vélodrome, em Marselha.

Em um grupo tão indefinido, a Alemanha precisa afastar as dúvidas que pesam sobre seu setor ofensivo. Depois de vencer a Ucrânia na estreia, por 2 a 0, os alemães pararam na retranca polonesa no empate sem gols da última rodada, o primeiro da Eurocopa. A torcida se pergunta onde está a força ofensiva responsável pelos 7 a 1 sobre o Brasil nas semifinais da Copa do Mundo de 2014.

O atacante Thomas Müller, apagado e em branco nos dois primeiros jogos da seleção, reconheceu que as engrenagens do ataque não estão funcionando. "Temos alguns problemas no ataque. Desse ponto de vista, as críticas são justificadas. Mas é preciso manter a calma, senão ficaremos loucos. Evidentemente, gostaríamos de criar mais chances, e vamos trabalhar nisso para encontrar soluções", disse o artilheiro do Bayern de Munique.

Já o zagueiro Mats Hummels afirmou que a Alemanha terá que assumir mais riscos diante da Irlanda do Norte. "Teremos que assumir mais riscos no um contra um ou nos lançamentos longos. Tentaremos fazer gols, queremos o primeiro lugar", disse o jogador, destacando que o saldo pode decidir a liderança do grupo.

Löw não tem problemas para escalar a equipe e pode ganhar um reforço. O meia Bastian Schweinsteiger, que chegou para a Eurocopa se recuperando de lesão, jogou na parte final da estreia, marcou um gol, mas permaneceu no banco durante o empate contra a Polônia. A expectativa é que ele entre no time no lugar de Sami Khedira, que está pendurado após receber cartão amarelo no último jogo.

Frente a uma Alemanha poderosa em uma fase questionável, a desconhecida Irlanda do Norte tentará sua sorte. Uma seleção que nunca tinha se classificado para uma Eurocopa, mas disputado as Copas do Mundo de 1958, na qual inclusive empatou com a Alemanha, por 2 a 2, e chegou às quartas de final, e no Mundial de 1982.

Apenas alguns dos jogadores norte-irlandeses jogam em equipes de primeira divisão, como Paddy McNair (Manchester United) e Stephen Davis (Southampton). Mas a grande estrela do time na Eurocopa é Will Grigg, que não saiu do banco de reservas, graças à música cantada pela torcida "Will Grigg is on fire", para o atacante do Wigan.

Se na primeira partida contra a Polônia os comandados de Michael O'Neill apresentaram um futebol ruim, o técnico fez cinco mudanças para a partida contra a Ucrânia e elas surtiram efeito, garantindo a vitória por 2 a 0, com gols de Gareth McAuley e Niall McGinn. Por isso, a escalação deve ser mantida diante da Alemanha.

Quem ainda está devendo é a estrela do time, o atacante Kyle Lafferty, do Norwich, responsável por quase 40% dos gols que colocaram a Irlanda do Norte pela primeira vez na Eurocopa. Na França, porém, o artilheiro ainda está em branco.

Os jogadores da Irlanda da Norte podem oferecer amanhã a esse pequeno país de 2 milhões de habitantes uma classificação histórica para uma equipe que há 30 anos não disputava a fase final de um campeonato internacional.



Prováveis escalações:.

Alemanha: Neuer; Höwedes, Boateng, Hummels e Hector; Khedira (Schweinsteiger), Kroos; Müller, Özil e Drexler; Götze. Técnico: Joachim Löw.

Irlanda do Norte: McGovern; Hughes, Cathcart, McAuley e J. Evans; Ward, C.Evans, S. Davis, Norwood e Dallas; Washington. Técnico: Michael O'Neill.

Árbitro: Clément Turpin (França); auxiliado pelos compatriotas Frédéric Cano e Nicolas Danos.

Estádio: Parc des Princes, em Paris (França).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo