Esporte

Em jogo emocionante, Colômbia vence EUA e fica com 3º lugar da Copa América

25/06/2016 23h09

Glendale (EUA), 25 jun (EFE).- Em um jogo aberto, com três bolas na trave e muitas outras chances desperdiçadas, a Colômbia acabou levando a melhor sobre os Estados Unidos, venceu por 1 a 0, em duelo realizado neste sábado, no estádio da Universidade de Phoenix, e se despediu da Copa América com o terceiro lugar.

O único gol da partida foi marcado ainda no primeiro tempo. Aos 31 minutos, James Rodríguez encontrou Santiago Arias nas costas da zaga americana com um passe espetacular pelo alto. O lateral só ajeitou de cabeça para Carlos Bacca, que apareceu entre os defensores e completou de carrinho.

O placar, porém, não refletiu o que foi o jogo. Os dois times tiveram uma série de chances marcar, as melhores delas em sequência.

Aos 15 minutos do segundo tempo, Juan Cuadrado recebeu na entrada da área, percebeu o goleiro Tim Howard adiantado e tocou por cima, mas a bola bateu no travessão. No contra-ataque, os EUA quase empataram com Clint Dempsey, que recebeu livre e chutou firme, acertando a trave esquerda de David Ospina, batido no lance.

Com a vitória, a Colômbia obtém seu melhor resultado na Copa América desde 2001, quando conquistou o título. Já os americanos repetem a quarta posição de 1995, ano em que também foram derrotados na disputa do terceiro lugar pelos colombianos, por 4 a 1.

Amanhã, Argentina e Chile reeditam a final do torneio no ano passado e decidem quem será o campeão em jogo que será disputado no Metlife Stadium, em Nova Jersey.

As duas equipes já tinham se enfrentado na primeira rodada da atual edição do torneio, que também terminou com triunfo da Colômbia, por 2 a 0, com gols de James e Cristian Zapata.

Para o duelo decisivo, o técnico José Pekerman manteve o lateral-esquerdo Frank Fabra na equipe principal, apesar das críticas ao jogador na derrota na semifinal, por causa da lesão do titular Farid Díaz. No meio-campo, Guillermo Celis ficou com a vaga de Carlos Sánchez, expulso na partida contra o Chile.

Os anfitriões também vieram com mudanças para a partida. Se despedindo da seleção, o veterano goleiro Howard ficou com a vaga de Brad Guzan. Além disso, o técnico Jürgen Klismann promoveu o retorno ao time de Alejandro Bedoya, Jermaine Jones e Bob Wood, após os três terem cumprido suspensão contra a Argentina.

O jogo começou e se manteve aberto durante toda a etapa inicial, com as duas equipes buscando o ataque. A Colômbia foi a primeira a assustar, aos 11 minutos, quando James chutou forte da entrada da área para a defesa de Howard.

Os donos da casa responderam na sequência, aos 15. Bedoya foi à linha de fundo pela esquerda e cruzou rasteiro para Dempsey, que foi travado por Zapata na hora da finalização.

Apesar do equilíbrio nas chances até então, os colombianos abriram o placar após uma jogada magistral de James. Aos 31 minutos, o meia do Real Madrid recebeu na entrada da área e deu um toque de categoria por cima da defesa, ao observar a passagem de Arias. O lateral-direito tocou de cabeça para o meio, onde Bacca surgia livre entre os zagueiros para tocar de carrinho para o gol vazio.

Os comandados de Klinsmann quase empataram aos 36, em um lance que gerou muita reclamação. Depois de cruzamento da direita, Jones pegou de primeira na área. Zapata bloqueou o chute com braço colado no corpo, mas os americanos pediram pênalti. Na sobra, Bedoya pegou esquisito, a bola subiu e quase encobriu Ospina.

Os EUA ainda desperdiçaram outra chance aos 42. Jones cruzou da esquerda, Arias desviou e a bola foi na direção do gol, mas acabou batendo pelo lado de fora da rede. Ospina estava batido no lance.

Empolgados por quase terem igualado o jogo no primeiro tempo, os anfitriões voltaram decididos a encerrar a participação no torneio de cabeça erguida, colocando o goleiro colombiano para trabalhar.

Logo aos 5 minutos, Dempsey sofreu falta na entrada da área. Ele mesmo cobrou no capricho, no ângulo, mas Ospina se esticou e fez a defesa de mão trocada.

Sumido no jogo desde o lance genial no gol, James apareceu outra vez com perigo aos 11, aproveitando espaço nas costas de DeAndre Yedlin. O meia recebeu lançamento de Edwin Cardona, invadiu a área e chutou cruzado, mas acabou pegando mal, sem assustar Howard.

Cuadrado quase fez uma pintura na sequência, aos 15. O meia da Juventus recebeu na área, viu Howard adiantado e tocou com estilo por cobertura. A bola caprichosamente tocou no travessão, em cima da linha e foi afastada pela zaga americana.

Os EUA responderam de imediato. Na sequência, Wood recebeu na área e chutou firme de perna esquerda. Ospina, sem nada poder fazer, apenas olhou a bola explodir na trave e sair da área da Colômbia.

Wood tentou de novo aos 20. O atacante dominou na entrada da área, tentou passar pelos zagueiros e acabou desarmado. A sobra, contudo, acabou nos pés de Michael Bradley, que chutou firme, e a bola passou tirando tinta da trave direita de Ospina.

O jogo que já era aberto se tornou ainda mais. Os EUA pressionavam em busca do empate, enquanto a Colômbia aproveitava os espaços para tentar matar o jogo no contra-ataque. Os anfitriões, contudo, não tiveram forças para reverter o placar.

Quem ainda teve chance de ampliar foi a Colômbia. Aos 41, Marlos Moreno, que tinha entrado pouco antes no lugar de Cuadrado, recebeu cruzamento da direita, limpou a marcação e chutou rasteiro, acertando a trave esquerda de Howard, que só olhou.

Já nos acréscimos, Arias fez falta dura em Orozco, que não gostou da entrada e revidou. O árbitro estava em cima do lance e acabou expulsando os dois jogadores de campo.



Ficha técnica:.

Estados Unidos: Howard; Yedlin, Cameron, Besler e Orozco; Bradley (Nagbe), Jones e Bedoya (Pulisic); Wood, Dempsey e Zardes. Técnico: Jürgen Klinsmann.

Colômbia: Ospina; Arias, Zapata, Murillo e Fabra; Celis, Torres e Rodríguez; Cuadrado (Moreno), Cardona e Bacca (Martínez). Técnico: José Pekerman.

Árbitro: Daniel Fedorczuk (Uruguai), auxiliado por Richard Trinidad (Uruguai) e Luis Sánchez (Venezuela).

Gols: Bacca (Colômbia).

Cartões Amarelos: Murillo, Cuadrado e Arias (Colômbia); Besler, Jones e Orozco (Estados Unidos).

Cartões Vermelhos: Orozco (Estados Unidos); Arias (Colômbia).

Estádio da Universidade de Phoenix, em Glendale (Estados Unidos). EFE

lvl/rd

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo