Esporte

Promotoria romena investiga médica após morte de jogador camaronês

STRINGER/AFP
Imagem: STRINGER/AFP

30/06/2016 16h00

A promotoria de Bucareste, na Romênia, anunciou nesta quinta-feira que abriu uma investigação por homicídio contra uma médica acusada de não ter tentado reanimar o jogador camaronês Patrick Ekeng, do Dínamo de Bucareste, que morreu de parada cardíaca durante um jogo do Campeonato Romeno no dia 7 de maio.

Elena Duta, especialista em medicina de emergência e funcionária de um serviço de ambulância privado, "não avaliou de maneira completa o estado de saúde do paciente, nem iniciou qualquer manobra para reanimar" o jogador que, como única medida, foi transferido para um hospital de Bucareste, afirmou a promotoria em comunicado.

A passividade da médica "anulou qualquer possibilidade de sobrevivência" do jogador, acrescentou a promotoria na nota.

Segundo os médicos legistas citados pela promotoria, mais de 95% das pessoas que sofrem de arritmia sobrevivem a uma parada cardíaca se a desfibrilação é realizada até 60 segundos depois da mesma.

"As chances de sobreviver diminuem 5,5% para cada minuto que passa", destacou o órgão judicial em comunicado.

Ekeng, de 26 anos, desmaiou pouco depois de entrar em campo no segundo tempo da partida contra o Viitorul Constanta. Sua morte foi confirmada duas horas depois.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo