Esporte

Alemanha bate Itália nos pênaltis, quebra escrita e é semifinalista da Euro

02/07/2016 19h13

Bordeaux, 2 jul (EFE).- Após quatro eliminações nos quatro confrontos anteriores entre as duas seleções em mata-matas, a Alemanha em fim foi à forra contra a Itália neste sábado ao vencer por 6 a 5 na disputa de pênaltis no estádio Matmut Atlantique, após empate em 1 a 1 em 120 minutos, e se tornou a terceira semifinalista da Eurocopa.

A atual campeã mundial havia caído para os italianos nas semifinais das Copas de 1970 e 2006, na decisão de 1982 e novamente nas semis da última Euro, há quatro anos. Desta vez, porém, a história foi diferente.

Os dois gols da partida disputada em Bordeaux aconteceram na segunda etapa do temo normal. Os alemães saíram na frente, com Özil, mas Bonucci converteu cobrança de pênalti cometido por Boateng e deixou tudo igual.

A classificação do time do técnico Joachim Löw veio em penalidades emocionantes. Apenas quatro dos dez batedores da disputa principal converteram. Nas alternadas, o goleiro Neuer acabou sendo herói ao defender o chute de Darmian.

Dessa forma, o 'Nationalelf' emplaca uma sequência de seis semifinais em competições importantes em dez anos e fica esperando o vencedor do jogo entre Islândia e França, que acontecerá neste domingo no Stade de France, em Saint-Denis. O finalista será decidido na próxima quinta-feira, em Marselha.

À Itália, resta dizer que nunca perdeu para a rival em competições oficiais, já que o revés de hoje veio nos pênaltis. São agora quatro vitórias da campeã continental de 1968 e cinco empates.

Mesmo sem desfalques, a Alemanha entrou em campo com novidades. Löw mudou o esquema e "copiou" a adversária, adotando o esquema com três zagueiros e deixando Draxler de fora. Khedira se machucou logo no começo e deu lugar a Schweinsteiger.

Já Antonio Conte teve problemas para escalar a Itália. O volante De Rossi sofreu uma lesão e ficou fora do jogo, assim como seu substituto imediato, o brasileiro naturalizado Thiago Motta, suspenso. Já Candreva, que sentiu um problema ainda na fase de grupos, ainda não se recuperou e mais uma vez foi substituído por Florenzi.

A 'Azzurra' atuou com uma faixa preta no uniforme em sinal de luto pelo ataque a um restaurante de Bangladesh na sexta-feira, que deixou 28 mortos, incluindo nove italianos. Antes de a bola rolar, houve um minuto de aplausos.

As duas seleções se respeitaram bastante desde o pontapé inicial. As finalizações eram raras e, quando aconteciam, não levavam muito perigo. Foi o que aconteceu aos cinco minutos do primeiro tempo, quando Giaccherini girou e bateu, mas acertou Boateng e ficou com o escanteio.

A Itália arriscava um pouco mais, mas nenhum dos goleiros tinha trabalho. Aos 14 minutos, Florenzi levou pela direita, cortou para o meio e chutou sem força. Neuer segurou tranquilamente. Cinco minutos depois, a Alemanha enfim incomodou, em lançamento para Gómez, mas o centroavante não pegou em cheio e praticamente recuou para Buffon.

A rede até balançou na etapa inicial, mas o lance foi corretamente anulado. Aos 27, Hummels lançou da meia esquerda na cabeça de Schweinsteiger, que cabeceou tirando de Buffon, mas a arbitragem marcou falta do capitão alemão sobre De Sciglio.

O clássico esquentou um pouco nos últimos cinco minutos do primeiro tempo, com chances para os dois lados. Aos 40, Kimmich cruzou da direita e Gómez cabeceou para fora, e aos 42 Müller pegou sobra na área, mas não arrematou bem e parou no goleiro. A resposta italiana veio aos 44, com Giaccherini, que tocou para o meio da área até Sturaro, que foi bloqueado por Boateng.

As equipes se soltaram um pouco mais na volta do intervalo. A 'Azzurra' começou um pouco mais presente no ataque, mas quem levou real perigo foi o 'Nationalelf'. Gómez entrou na área e passou para Müller, que levou para o pé esquerdo e concluiu com força. Florenzi salvou praticamente em cima da linha de maneira acrobática.

Aos poucos, a Alemanha foi ganhando território até fazer 1 a 0, aos 19 minutos. Florenzi errou no domínio após chutão de Neuer, e a bola chegou até Gómez na ponta esquerda. O jogador do Besiktas enfiou para Héctor, que cruzou para Özil completar para a rede.

O segundo poderia ter saído quatro minutos depois, mas Buffon operou um milagre. Özil ajeitou de cabeça para o meio da pequena área, Chiellini e Gómez dividiram e o arqueiro italiano espalmou no puro reflexo.

A Itália pareceu morta em alguns instantes, mas voltou a carga aos 27, quando De Sciglio escapou pela esquerda e cruzou por baixo. Pellè se antecipou a Boateng e bateu firme, tirando tinta da trave direita.

O empate veio pouco depois, aos 32 minutos, em pênalti até certo ponto infantil cometido por Boateng. Florenzi cruzou, o zagueiro ergueu os braços e acabou bloqueando o cabeceio de Chiellini cometendo infração. Bonucci foi para a bola, cobrou com categoria, no canto esquerdo, e deixou tudo igual.

O gol empolgou a campeã continental de 1968, e a virada poderia ter acontecido aos 35. Éder encarou a marcação na direita da área e passou para Pellè, que tentou de primeira. A bola desviou e saiu em escanteio.

Os alemães pareciam mais interessados em matar o confronto no tempo normal, mas a última boa oportunidade antes da prorrogação foi de De Sciglio, que arriscou de fora da esquerda e acertou a rede, mas pelo lado de fora.

O equilíbrio prevaleceu no tempo extra, com as defesas levando a melhor sobre os ataques. Aos dez minutos da primeira etapa, Müller foi acionado na grande área e tentou duas vezes, mas a defesa não deu espaço e cedeu o escanteio.

Depois da troca de lado, aos sete minutos, Insigne, que entrara em lugar de Éder, dominou dentro da área pela esquerda, driblou Höwedes e arriscou, mas Neuer segurou com tranquilidade e garantiu a igualdade. A Alemanha também ainda teve uma última tentativa, aos 13, mas Buffon agarrou em dois tempos após a conclusão de Özil.

Na primeira disputa de pênaltis da história entre as tetracampeãs mundiais, Zaza, que entrou apenas para cobrar, isolou a segunda cobrança italiana, mas Müller parou em Buffon logo em seguida, e Özil chutou na trave.

Pellè bateu para fora na quarta tentativa da 'Azzurra', e Neuer pegou a quinta, feita por Bonucci, que acertara no tempo normal. Schweinsteiger teve o "match point", mas também mandou por cima. Todos os quatro batedores seguintes balançaram a rede, até Neuer parar Darmian, e Héctor selar a classificação alemã.



Ficha técnica:.

Alemanha: Neuer; Boateng, Höwedes e Hummels; Kimmich, Khedira (Schweinsteiger), Kroos, Özil e Héctor; Müller e Gómez (Draxler). Técnico: Joachim Löw.

Itália: Buffon; Barzagli, Bonucci e Chiellini (Zaza); Florenzi (Darmian), Parolo, Sturaro, Giaccherini e De Sciglio; Éder (Insigne) e Pellè. Técnico: Antonio Conte.

Árbitro: Viktor Kassai (Hungria), auxiliado pelos compatriotas György Ring e Vencel Tóth.

Cartões amarelos: Hummels e Schweinsteiger (Alemanha); Sturaro, De Sciglio, Parolo, Pellè e Giaccherini (Itália).

Gols: Özil (Alemanha); Bonucci (Itália).

Nos pênaltis: Insigne, Barzagli, Giaccherini, Parolo e De Sciglio converteram - Zaza, Pellè, Bonucci e Darmian erraram (Itália); Kroos, Draxler, Hummels, Kimmich, Boateng e Héctor converteram - Müller, Özil e Schweinsteiger erraram (Alemanha).

Estádio: Matmut Atlantique, em Bordeaux (França).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo