Esporte

Alemanha e França fazem duelo cheio de história na semifinal da Eurocopa

06/07/2016 17h41

Marselha, 6 jul (EFE).- A campeã mundial Alemanha e a anfitriã França se enfrentarão nesta quinta-feira, às 16h (horário de Brasília), no estádio Vélodrome, em Marselha, decidindo a segunda vaga na decisão da Eurocopa, reeditando um dos grandes jogos da Copa do Mundo de 2014.

Dois anos atrás, no Maracanã, as duas seleções jogaram pelas quartas de final. O zagueiro Mats Hummels, aos 13 minutos do primeiro tempo, definiu o marcador a favor dos germânicos, que voltariam ao mesmo estádio nove dias depois, para conquistar o tetracampeonato mundial.

O confronto só ampliou um tabu que completa 58 anos em 2016, o de ausência de vitórias dos 'Bleus' sobre o rival em competições oficiais. A última aconteceu na disputa do terceiro lugar da Copa de 1958, com goleada por 6 a 3.

Depois disso, em 13 de novembro do ano passado, franceses e alemães voltaram a se encontrar, em amistoso disputado no Stade de France, em Saint-Denis. Os donos da casa levaram a melhor por 2 a 0, mas o jogo acabou ofuscado pelos atentados realizado na entrada do estádio, que fizeram parte de um dia negro da história do país.

As ações, que também aconteceram em Paris, deixaram mais de 130 mortos. Uma das cenas emblemáticas aconteceu durante a partida entre as seleções, quando o lateral-esquerdo 'bleu' Patrice Evra percebe o estrondo de uma das explosões ocorridas em um dos acessos do Stade de France.

O temor por novos incidentes, talvez seja o motivo de o assunto não surgir em entrevista coletivas, diferente do tabu dos donos da casa diante dos alemães, tema que o técnico Didier Deschamps preferiu exorcisar na véspera do duelo de Marselha.

"Não podemos mudar a história, mas esta é uma página em branco. O que aconteceu nas outras competições não importa", afirmou o comandante dos 'Bleus'.

Para o jogo desta quinta-feira, Deschamps não tem qualquer problema de suspensão e lesão, mas apresenta duas dúvidas, quanto aos retornos do zagueiro Adil Rami e do volante N'Golo Kanté, que não atuaram na partida com a Islândia.

Se ambos forem escalados entre os titulares, o jovem Samuel Umtiti e Moussa Sissoko, respectivamente, voltariam ao banco de reservas.

As principais estrelas do 'Bleus', por outro lado estão confirmadas, como o goleio Hugo Lloris, o meia Paul Pobga, e os atacantes Antoine Griezmann, artilheiro da competição com quatro gols, e Dimitri Payet.

Os alemães, por sua vez, chegam para mais a segunda semifinal de grande competição em que o adversário é a seleção anfitriã. Em 2014, logo depois de bater a França, o 'Nationalelf' massacrou o Brasil por 7 a 1, no Mineirão.

Nesta edição da Euro, a vaga no 'top-4' da competição continental foi selada com sofrida vitória nos pênaltis sobre a Itália por 6 a 5, após empate em 1 a 1 nos 120 minutos de tempo normal e prorrogação. Ao descartar favoritismo na semifinal, o técnico Joachim Löw admitiu esperar um confronto mais aberto nesta quinta.

"Não acho que haja favorito, pois somos duas seleção de grande nível tático e de muita qualidade. Acho que será mais aberto que o duelo contra a Itália. Haverá mais ocasiões e temos que aproveitá-las", avaliou o comandante campeão mundial.

Para a partida, Löw tem muitos problemas de ordem física, além da da suspensão de Mats Hummels, algoz dos franceses em 2014. O volante Sami Khedira e o atacante Mario Gómez estão fora do torneio por causa de lesões.

Bastian Schweinsteiger, que foi dúvida até a véspera do duelo, e Julian Draxler serão os substitutos da dupla de contundidos, enquanto Benedikt Howedes, que chegou a ser poupado de treino durante a semana, entra na zaga.

Os desfalques exigirão uma mudança tática na Alemanha, com Thomas Müller, que ainda não marcou gol nesta edição. passando a atuar mais avançado, como centroavante.



Prováveis escalações:.

Alemanha: Neuer; Kimmich, Boateng, Höwedes e Hector; Schweinsteiger, Kroos, Draxler, Götze e Özil; Müller. Técnico: Joachim Löw.

França: Lloris; Sagna, Rami (ou Umtiti), Koscielny e Evra; Matuidi, Kanté (ou Sissoko) e Pogba; Griezmann, Payet e Giroud. Técnico: Didier Deschamps.

Árbitro: Nicola Rizzoli (Itália), auxiliado pelos compatriotas Elenito Di Liberatore e Mauro Tonolini.

Estádio: Vélodrome, em Marselha (França).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo