Esporte

Griezmann resolve, França despacha Alemanha e vai encarar Portugal na final

07/07/2016 18h07

Marselha (França), 7 jul (EFE).- A França fez valer o fator casa nesta quinta-feira no estádio Vélodrome, em Marselha, e contou com grande atuação do atacante Antoine Griezmann para vencer a Alemanha por 2 a 0 e se classificar para a final da Eurocopa pela terceira vez na história.

A equipe tetracampeã mundial dominou o primeiro tempo, mas um pênalti infantil cometido por Schweinsteiger permitiu que Griezmann abrisse o placar instantes antes do intervalo. Na etapa final, foi o goleiro Neuer que errou, e o camisa 7 dos 'Bleus' marcou mais um.

O jogador do Atlético de Madrid se tornou o primeiro jogador a marcar mais de cinco gols em uma edição da Euro desde 1984, quando Michel Platini balançou a rede nove vezes. Coincidentemente, naquela ocasião, o ex-presidente da Uefa conduziu a seleção francesa ao título como anfitriã.

O próximo - e último passo - para que Griezmann e companhia igualem o feito de Platini e seus parceiros em 1984, além de Zinedine Zidane e outros em 2000, tem de ser dado no próximo domingo, no Stade de France, onde a equipe dirigida por Didier Deschamps enfrentará Portugal, que na quarta-feira eliminou o País de Gales.

De quebra, os franceses quebraram um antigo jejum, o de não vencer a Alemanha em competições oficiais desde a disputa de terceiro lugar da Copa do Mundo de 1958, na qual levou a melhor por 6 a 3. Desde então, foram três partidas, com duas vitórias da 'Mannschaft', incluindo a pelas quartas de final do último Mundial, por 1 a 0, e um empate.

Na Alemanha, Joachim Löw teve muitos problemas para escalar os titulares. Além da suspensão de Mats Hummels, autor do gol da vitória sobre os franceses no Maracanã há dois anos, o volante Sami Khedira e o atacante Mario Gómez não puderam jogar devido a lesões.

Um dos que ganharam espaço entre os titulares foi Bastian Schweinsteiger, que com isso se tornou o jogador com mais partidas por Copas do Mundo e Eurocopas, com 38 no total. Além disso, foi o segundo a disputar três semifinais de Euro (2008, 2012 e 2016), um dia depois de Cristiano Ronaldo ter se tornado o primeiro (2004, 2012 e 2016).

O técnico da França, Didier Deschamps, não pôde contar com o zagueiro Adil Rami, que não se recuperou de contusão. Outro que estava machucado é o volante N'Golo Kanté, que até ficou à disposição, mas foi deixado no banco e entrou no segundo tempo.

O primeiro lance de perigo da partida foi do ataque francês, aos sete minutos de bola rolando. Griezmann tabelou com Matuidi e chutou firme buscando o canto, mas o goleiro Neuer se esticou todo e espalmou.

No entanto, a etapa inicial foi de domínio da Alemanha, que teve 64% de posse de bola, mas finalizava pouco. Aos 12 minutos, Can foi ao fundo e tocou para trás até Müller, que não pegou bem e mandou à direita do alvo. Pouco depois, aos 14, a bola foi de pé em pé no ataque da tetracampeã mundial até chegar a Can, que também não acertou em cheio, mas mesmo assim obrigou Lloris a fazer grande intervenção.

Aos 20 minutos, houve a primeira polêmica do duelo. Müller passou para Kroos, que invadiu a área, foi calçado por Pogba e pediu pênalti, mas Nicola Rizzoli considerou que a jogada foi legal. Quatro minutos depois, o italiano marcou falta em Griezmann, Payet cobrou, e Neuer segurou sem maiores problemas.

Na sequência, o que se viu foi a equipe visitante imprimindo um ritmo mais forte, mas ainda faltava finalizar. Aos 32, Kimmich recebeu na direita e levantou para Draxler, que preferiu o passe para Müller, mas Umtiti se antecipou e cortou.

Lloris enfim voltou a trabalhar aos 38, para corrigir um erro de Matuidi. O volante do Paris Saint-Germain saiu jogando errado pela esquerda, Müller aproveitou e progrediu pela direita, mas tentou de muito longe e facilitou o trabalho do goleiro francês.

Em seguida, aos 42 minutos, o erro foi de Boateng, que perdeu a divida pelo alto no meio de campo. Giroud partiu livre, mas não conseguiu imprimir grande velocidade e, dentro da área, foi travado por Höwedes.

Quando tudo indicava que o placar seria de 0 a 0 no intervalo, Schweinsteiger cometeu pênalti infantil, aos 47, colocando a mão na bola após escanteio da direita. Griezmann bateu em um canto, Neuer caiu para o outro, e o atleta do Atlético de Madrid fez 1 a 0, balançando a rede pela quinta vez nesta Euro.

Os 'Bleus' tentaram surpreender bem no começo do segundo tempo, aos dois minutos, mas errou por centímetros. Griezmann tocou para Giroud, que fez o pivô e tocou. O camisa 7 então bateu, a bola desviou no bico da chuteira de Boateng e saiu por cima.

A partida então ficou mais truncada, e as chances de gol foram reduzindo. Os alemães, que já não contaram com Hummels, perdeu Boateng, que, machucado, deu lugar a Mustafi.

Löw então se viu obrigado a ousar e colocou Götze na vaga de Can, mas era a França que continuava atacando. Aos 17 minutos, Griezmann bateu escanteio, e Koscielny cabeceou para fora. Quatro minutos depois, Payet foi levando da esquerda para o meio, mas finalizou sem força, e Neuer encaixou.

Merecidamente elogiada a exaustão nos últimos anos, a seleção alemã demonstrou que também tem suas vulnerabilidades, e uma série de erros defensivos permitiu que a seleção anfitriã marcasse o segundo, aos 27. Kimmich e Mustafi se enrolaram na saída de jogo dentro da área, e Pogba levantou da esquerda. Neuer saiu mal de sua meta e não conseguiu espalmar para longe. Griezmann ficou com a sobra e marcou mais um.

A campeã mundial de 2014 não se entregou e acertou a trave logo no lance seguinte. Kimmich tentou com o pé esquerdo da entrada da área e não diminuiu por centímetros. Em seguida, aos 30, Draxler chutou em cobrança de falta ensaiada e tirou tinta do poste.

A essa altura, o jogo se passava totalmente no campo de defesa da França, que, contudo, poderia ter marcado o terceiro em contra-ataque, aos 40. Griezmann acelerou pelo meio, driblou Mustafi e poderia ter tocado para Gignac, mas preferiu o chute e praticamente recuou para Neuer.

Na base do desespero, a equipe visitante poderia ter ao menos descontado, mas os donos da casa se seguraram. Aos 47 minutos, Mustafi levantou, Kimmich cabeceou no canto, e Lloris operou um milagre. Na sequência, Draxler arrematou cruzado, e a bola caprichosamente atravessou a área até sair à esquerda da meta.



Ficha técnica:.

Alemanha: Neuer; Kimmich, Boateng (Mustafi), Höwedes e Hector; Can (Götze) e Schweinsteiger (Sané); Özil, Kroos e Draxler; Müller. Técnico: Joachim Löw.

França: Lloris; Sagna, Koscielny, Umtiti e Evra; Pogba e Matuidi; Sissoko, Griezmann (Cabaye) e Payet (Kanté); Giroud (Gignac). Técnico: Didier Deschamps.

Árbitro: Nicola Rizzoli (Itália), auxiliado pelos compatriotas Elenito Di Liberatore e Mauro Tonolini.

Cartões amarelos: Can, Schweinsteiger, Özil e Draxler (Alemanha); Evra e Kanté (França).

Gols: Griezmann (2x) (França).

Estádio: Vélodrome, em Marselha (França).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo