Esporte

Técnico dos EUA ainda tem missão de conquistar o 3º ouro nos Jogos Olímpicos

21/07/2016 18h47

Las Vegas (Nevada, EUA), 21 jul (EFE).- O técnico da seleção masculina de basquete dos Estados Unidos, Mike Krzyzewski, o 'Coach K', sabe que está vivendo a reta final de um trabalho histórico e triunfal, mas também está ciente de que tem uma última missão no cargo: obter a terceira medalha de ouro olímpica consecutiva.

Após o término dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, Krzyzewski será substituído por Gregg Popovich, técnico do San Antonio Spurs, mas afirmou que só está pensando na preparação da equipe que virá ao Brasil para defender o título olímpico.

"Não tenho problemas com a nostalgia até que as coisas ocorram. Pensar que seu momento já passou é um dos maiores erros que qualquer corrente pode cometer", afirmou 'Coach K' em Las Vegas, onde os EUA estão treinando e enfrentarão a Argentina amanhã, no primeiro amistoso de preparação para os Jogos do Rio.

O técnico da Universidade de Duke, de 69 anos, que chegou à seleção após o fracasso de Atenas 2004, quando os EUA foram derrotados pela Argentina nas semifinais e ficaram com o bronze, afirma que tem a mesma vontade que tinha quando chegou para trabalhar pela primeira vez com a equipe.

"Sinto que estou treinado como se fosse a primeira vez em minha carreira e esse é o caminho que eu quero mostrar para meus jogadores", destacou Krzyzewski.

Após dez anos na frente da seleção norte-americana, 'Coach K' perdeu apenas uma das 53 partidas que disputou em competições internacionais, incluindo os Jogos Olímpicos. O único tropeço ocorreu em 2006, diante da Grécia, por 101 a 95, nas semifinais do Campeonato Mundial de Basquete.

Apesar do clima de despedida, Krzyzewski está feliz de trabalhar com seu sucessor porque os dois mantêm uma relação única, segundo o técnico. "Entendemos melhor do que ninguém como se deve trabalhar em equipe. Conosco não há espaço para o individualismo. Somos dois grandes amigos, que sentem que o basquete dos EUA pode conseguir coisas ainda mais grandiosas", afirmou.

"Estou aqui para conhecer e aprender tudo o que fizeram de bom durante uma década. Devo entender ao máximo como funciona e trabalha o programa dele", completou Popovich.

O diretor-executivo da seleção dos EUA, Jerry Colangelo, revelou que o 'Coach K' seguirá com outra função na equipe após deixar o cargo de técnico. "Na minha idade, 76 anos, preciso ter um assistente. E é lógico que ele será o Krzyzewski", disse o dirigente.

Talvez seja por isso que o histórico técnico ainda não esteja sentindo os efeitos da nostalgia de deixar o cargo de técnico.

"Já me encarreguei de avisar quando meu tempo dentro do mundo do basquete chegar ao final, mas agora sei que tenho uma grande quantidade de trabalho a fazer e estou concentrado nisto", concluiu 'Coach K'.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo