Esporte

Após vencer pobreza e falta de apoio, Marta vai em busca de ouro inédito

02/08/2016 20h48

Lucía Santiago.

Rio de Janeiro, 2 ago (EFE).- Para a atacante Marta, principal esperança da seleção brasileira feminina de futebol na busca por uma inédita medalha de ouro olímpica, relembrar a infância representa, frequentemente, um motivo para se emocionar.

Ela se define como uma mulher de choro fácil fora do campo, e viajar para sua infância, no pequeno municipio de Dois Riachos (AL), é reviver a dor que ainda carrega por causa do tratamento machista que teve de suportar.

Nessa pequena cidade de cerca de 10 mil habitantes, a jogadora cresceu tendo que ouvir insultos dos vizinhos e dos próprios irmãos, que não suportavam vê-la jogando bola.

Ser menina e se divertir jogando futebol era algo inadmissível em um lugar incapaz de compreender que Marta preferia uma bola do que uma boneca para brincar.

Assim, ela teve que suportar comentários ofensivos que tentavam desestimulá-la da prática do esporte, considerado exclusivamente para homens.

Ela, porém, jamais desistiu. Começou a sonhar em construir seu futuro no futebol após perceber que isso poderia trazer uma vida mais próspera para ela e para sua família, de origem humilde.

As críticas, ao invés de derrubá-la, reforçaram seu empenho em corrigir o papel que a sociedade tinha reservado para a mulher e, com determinação, lutou pelo sonho de chegar a ser profissional.

Hoje ela atua no Rosengard, da Suécia - um país em que ela diz se sentir em casa - e possui tantas Bolas de Ouro quanto o atacante argentino Lionel Messi. Cinco, conquistadas de maneira consecutiva entre os anos 2006 e 2010.

Atuando por clubes, Marta tem em seu currículo, entre outros títulos, uma Liga dos Campeões com o Umea (Suécia), em 2004, além de diversas premiações individuais.

Dedicar-se ao esporte lhe permitiu não só escapar de uma infância difícil, mas emergir como grande ícone do futebol feminino mundial.

Com ou sem a bola, a jogadora precisou ser autodidata. Até os nove anos, dada a falta de recursos de sua família, não pôde ir à escola. Os jornais, livros e gibis foram sua principal fonte de conhecimento. O futebol, pouco depois, a recuperou.

A vida humilde da atacante brasileira começou a mudar aos 14 anos quando, durante a disputa de um torneio misto, um "olheiro" ofereceu uma oportunidade de jogar no Rio de Janeiro pelo Vasco.

Aquela viagem de três dias de ônibus até a capital fluminense mudou sua perspectiva e aumentou seu nível. Ela ficou no clube carioca de 2000 a 2002. Em seguida, transferiu-se para o Santa Cruz-MG, onde ficou até 2004, quando foi contratada pelo Umea, da Suécia, e começou a ter grande projeção no cenário europeu.

Antes disso, Marta liderou a conquista da medalha de ouro no Pan de Santo Domingo, em 2003, repetindo o feito no Pan do Rio, em 2007, quando foi artilheira, com sete gols. Em 2015, a craque não esteve presente na edição de Toronto, na qual o Brasil também foi campeão.

Habitual nas premiações da Fifa há uma década, Marta destaca, no entanto, suas conquistas fora dos gramados. Como Embaixadora da Boa Vontade da ONU, ela milita pela diminuição da pobreza e pela autonomia feminina.

Essas são as duas bandeiras que voltará a defender entre os dias 3 e 19 de agosto no Brasil, onde irá liderar a seleção feminina em busca do ouro inédito, que escapou em Atenas (2004) e Pequim (2008), quando o país ficou com a medalha de prata. A grande vitória de Marta, no entanto, será liquidar a falta de aceitação que motivou sua saída de Dois Riachos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo