Esporte

Paciência e frango garantem vitória de Portugal sobre Argentina no Engenhão

04/08/2016 20h03

Bruno Guedes.

Rio de Janeiro, 4 ago (EFE).- Com apoio da maioria da torcida brasileira presente no Estádio Olímpico Nílton Santos, o Engenhão, a seleção de Portugal derrotou nesta quinta-feira a Argentina por 2 a 0 e assumiu a liderança do grupo D do torneio masculino de futebol dos Jogos do Rio de Janeiro.

À época do sorteio das chaves, a expectativa era por um confronto entre Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, os dois maiores jogadores da atualidade. No entanto, a dupla ficou fora da competição, tendo participado de Eurocopa e Copa América, respectivamente. A ausência dos astros, no entanto, não esfriou o público, que não lotou o estádio, mas compareceu em bom número.

Os dois gols do jogo saíram no segundo tempo, com o atacante Gonçalo Paciência abrindo o placar aos 21 minutos. Pouco depois, aos 39, veio a definição do marcador, com o meia Pité, que contou com um frango "clássico" de Gerónimo Rulli, que levou bola entre as pernas.

O argentino, aliás, foi mais um goleiro a sofrer nesta quinta-feira. Mais cedo, o argelino Farid Chaal falhou em dois dos gols da vitória de Honduras por 3 a 2 sobre a Argélia, na abertura da chave.

Portugal agora volta a jogar neste domingo, contra os hondurenhos, em duelo de líderes. A Argentina tentará a reabilitação contra os argelinos. As duas partidas serão disputadas também no Engenhão.

Na escalação da 'Albiceleste', nesta quinta-feira, os destaques eram os atacantes Ángel Correa, do Atlético de Madrid, e Jonathan Calleri, ex-São Paulo, ambos titulares. O volante Lucas Romero, do Cruzeiro, iniciou o duelo na reserva.

Pela seleção europeia, a principal esperança era o talentoso meia-atacante Bruno Fernandes, da Udinese. Outras apostas foram depositadas no lateral-esquerdo Ricardo Esgaio, do Sporting, e no experiente meia André Martins, um dos três atletas com mais de 23 anos, e que, atualmente, está sem clube.

Para delírio dos brasileiros, Portugal balançou as redes logo aos 3 minutos, justamente com o camisa 10, Bruno Fernandes. A arbitragem comandada pelo guatemalteco Walter López, no entanto, invalidou o lance, marcando impedimento do luso, o que rendeu inúmeras vaias e xingamentos ao trio.

A resposta dos argentinos veio aos 9 minutos, em veloz trama ofensiva, que resultou com bola aberta para Gómez. O lateral-direito, escalado como meia, apareceu como homem surpresa, livre do lado destro da área, e bateu à esquerda do gol defendido por Bruno Varela.

Pouco acionado na partida, Calleri apareceu bem aos 27, quando saiu da área e trocou passes com Gómez, que, por sua vez, cruzou na medida para Ángel Correa. O atacante bateu de primeira, mas acabou bloqueado pela defesa lusa, que cortou para escanteio.

O ritmo do confronto entre argentinos e portugueses foi intenso, de muita velocidade e alguns momentos de troca de golpes. Aos 30, após ótima jogada de Esgaio, Fernandes apareceu de novo e bateu travado na defesa. Aos 34, foi a vez de Cuesta tentar de cabeça, muito perto do gol de Varela.

Pouco depois, aos 36, o goleiro luso tomou um grande susto, quando Gómez foi lançado na área mais uma vez e, ao dominar mal a bola, perdendo o controle dela, transformou o lance desajeitado em chute, que saiu muito perto da trave direita.

O segundo tempo começou frenético no Engenhão e, por pouco, não teve golaço de Calleri. Lançado na direita, o atacante disparou, deixou a marcação para trás e deu leve toque para encobrir Varela. A bola, contudo, tocou caprichosamente no travessão.

Aos 8 minutos, o grito de 'uh' soou alto nas arquibancadas no momento em que os argentinos eram melhores, mas foi Portugal que assustou, com bolas cruzadas dos dois lados para área que não encontraram, no entanto, alguém que finalizasse para o gol.

No decorrer do segundo tempo, as duas seleções mostraram forte desgaste físico. Aparentemente mais inteiros, os lusos passaram a controlar o jogo no setor ofensivo, mas apresentavam dificuldade no último passe antes da finalização.

Aos 20 da etapa final, a Argentina até balançou as redes, mas, assim como Portugal no primeiro tempo, teve gol anulado, quando Calleri recebeu na área e bateu no canto direito de Varela.

No lance seguinte, enfim, houve bola entrando para valer, quando Gonçalo Paciência recebeu passe na entrada da área e finalizou com categoria, sem dar qualquer chance para Rulli, que teve que buscar a bola no fundo do gol.

Pouco depois de abrir o marcador, aos 24, os lusos tiveram nova oportunidade clara, dessa vez quando Bruno Fernandes foi acionado na área e, de primeira, bateu forte, parando na defesa do goleiro da Argentina.

O clima entre as duas equipes esquentou aos 25, após a entrada de Pité no lugar de Sérgio Oliveira. Os sul-americanos tentaram apressar a saída de campo do português e chegou a haver empurra-empurra entre Edgar Ié e Giannetti.

Pavón, que havia entrado um pouco antes no lugar de Magallán, teve boa oportunidade aos 27, quando recebeu na direita, mas bateu fraco, nas maõs de Varela. No lance seguinte, foi Rulli quem trabalhou, em ótima intervenção para evitar gol de Agra.

O desespero na busca pelo gol fez com que a Argentina se lançasse toda ao ataque, criando chances em sequência, mas sempre com dificuldades na definição. Enquanto isso, os lusos foram se fechando cada vez mais. Aos 36, o zagueiro Tiago Ilori substituiu Paciência, que foi ovacionado pela torcida na ida para o banco.

A vitória de Portugal foi definida aos 39 minutos do segundo tempo, com o terceiro frango do dia no Engenhão. Após receber bola sozinho na direita, Pité cortou para o meio e bateu de longe, meio sem pretensão, mas Rulli acabou deixando que a bola passasse entre suas pernas.

A 'Albiceleste', pressionada pela torcida contra, seguiu lutando muito em busca do primeiro gol. Já nos acréscimos, Giovanni Simeone, filho do técnico do Atlético de Madrid, Diego Simeone, que havia entrado na vaga de Correa, teve a chance em uma bicicleta, mas Tobias Figueiredo salvou em cima da linha.



Ficha técnica:.

Portugal: Varela; Fernando Fonseca, Edgar Ié, Tobias Figueiredo e Esgaio; Tomás, Sérgio Oliveira (Pité), André Martins (Tiago Silva) e Bruno Fernandes; Agra e Paciência (Ilori). Técnico: Rui Jorge.

Argentina: Rulli; Magallán (Pavón), Gianetti, Cuesta e Soto; Ascaciabar, Martínez, Gómez e Espinosa (Lo Celso); Correa (Simeone) e Calleri. Técnico: Julio Olarticoechea.

Árbitro: Walter López (Guatemala), auxiliado pelos compatriotas Leonel Leal e Gerson López.

Gols: Gonçalo Paciência e Pité (Portugal).

Cartões amarelos: Gianetti e Magallán (Argentina); Tobias Figueiredo e Sérgio Oliveira (Portugal).

Estádio Olímpico Nilton Santos, no Rio de Janeiro.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo