Esporte

Torcida enfrenta longas filas para acompanhar jogos de futebol no Engenhão

04/08/2016 17h12

Rio de Janeiro, 4 ago (EFE).- Torcedores que foram ao Estádio Olímpico Nilton Santos, o Engenhão, nesta quinta-feira para acompanhar o primeiro dia do torneio de futebol masculino dos Jogos do Rio de Janeiro tiveram que enfrentar uma longa fila e espera de aproximadamente uma hora, para chegar às arquibancadas.

Apenas os portões leste e oeste foram abertos para os torcedores, que tinham que passar por máquinas de raio-x antes de acessar as instalações, parte do esquema de segurança do evento. O tempo requerido para o processo, porém, acabou gerando longas filas, que contornavam o estádio já no momento do pontapé inicial de Honduras e Argélia, preliminar de Portugal e Argentina.

Acompanhado da família que veio do Rio Grande do Norte especialmente para os Jogos Olímpicos, Jesse James disse à Agência Efe que chegou ao Engenhão dez minutos antes do início do primeiro jogo, marcado para 15h. No entanto, trinta minutos depois, ainda estava na fila para tentar entrar no estádio.

"O jeito é acompanhar o segundo tempo", bricou James.

Também faltava informação sobre a existência de uma fila preferencial para idosos e gestantes. Voluntários direcionavam quem tinha direito ao acesso especial apenas perto dos portões. Apesar do acesso privilegiado, o tempo de espera não melhorava muito.

O argentino Massa José, de 86 anos, era um dos que aguardava a entrada no fim da fila comum, sem saber da existência da preferencial, o que era indicado por alguns voluntários.

"Fui aos Jogos de Pequim e vou às Copas do Mundo desde a da Alemanha, em 1974. Achei um pouco desorganizado, mas o que fazer? As pessoas ficam cansadas, mas temos que esperar", afirmou.

Houve quem até circulasse os dois portões para ver qual fila estava menor. Foi o caso do também argentino Mat Mancera, que chegou à entrada para tentar descobrir com representantes da organização por onde seria mais rápido o acesso ao estádio.

"Estou com medo até de perder o jogo da Argentina", disse o torcedor, que já estava no Engenhão por volta de 15h40 para a partida de 18h entre a 'Albiceleste' e Portugal.

Já o holandês Michael Lansink, que estava acompanhado de sua mulher e seus dois filhos, se disse surpreso com a demora para conseguir chegar à arquibancada.

"Chegamos por volta de 14h45 e, 45 minutos depois, ainda estamos aqui. É a primeira vez que eu venho a um Jogos Olímpicos e estou um pouco surpreso por estar demorando tanto", afirmou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo