Esporte

Presidente da Argentina crê na volta de Messi: "Ele é o melhor que tivemos"

Victoria Egurza/Telam/Xinhua
Macri elogia Messi e diz que ele vai liderar Argentina na Rússia Imagem: Victoria Egurza/Telam/Xinhua

Da EFE

05/08/2016 16h20

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, disse nesta sexta-feira (5) que acredita que Lionel Messi vai voltar atrás em sua decisão de não vestir mais a camisa da seleção e liderará o conjunto na Copa do Mundo da Rússia de 2018.

"Ele vai liderar a equipe na Rússia e vamos voltar a ficar entre os melhores. Eu acredito que Messi é o maior que já tivemos, temos que lhe dar afeto e o reconhecimento que precisa para se sentir à vontade", disse Macri no estúdio montado pelo canal argentino "ESPN" no Rio de Janeiro.

O presidente, que está no Brasil para assistir à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, contou que telefonou para Messi depois do vice-campeonato na edição de centenário da Copa América para dizer que sente "orgulho" de vê-lo defendendo a seleção.

"Falei com Messi para agradecê-lo e parabenizá-lo. Ele fez tudo o que podia, mas às vezes não dá. Em três campeonatos seguidos, não perdemos uma única partida, e isso é muito louco", disse Macri.

"Não tivemos aquele pouquinho de sorte que é preciso para ganhar. Temos o melhor do mundo e cinco, seis, ou sete jogadores que o acompanham muito bem. Esta equipe precisa ser aproveitada, não perdeu uma partida em três torneios, só perdemos na prorrogação e nos pênaltis", analisou o chefe de Estado, que no passado foi dirigente do Boca Juniors.

Macri disse que não sabe se Messi estará com a seleção no dia 1º de setembro, quando a Argentina receberá o Uruguai pelas Eliminatórias sul-americanas, mas que acredita que o craque retornará "na próxima data Fifa".

Em relação ao novo técnico da 'Albiceleste', o ex-são-paulino Edgardo 'Patón' Bauza, Macri considerou que ele "tem sua maneira" de conduzir uma equipe e que era o que "mais tinha títulos" entre os nomes que estavam disponíveis.

O presidente argentino também falou sobre os Jogos Olímpicos da Juventude, que acontecerão na capital Buenos Aires em 2018. Para Macri, se o evento for bem organizado, isso abrirá possibilidade para que a Argentina possa sediar os Jogos Olímpicos.

"Se fizermos as coisas direitas em 2018, é capaz de que tenhamos chances de ser sede em 2028. Mas é difícil, já que também vamos tentar organizar a Copa do Mundo de futebol de 2030", afirmou o governante.

O presidente argentino disse que "o esporte é uma desculpa muito boa para se divertir e compartilhar experiências", e que espera que os 213 atletas que participarão dos Jogos do Rio representem o país "demonstrando o nível de respeito e de espírito esportivo" dos argentinos.

"O esporte representa muito do país. A Argentina vive um período de crescimento e otimismo, e o esporte tem que acompanhar isso", concluiu Macri.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo