Esporte

Pareto classifica como "incrível" ouro em esporte majoritariamente masculino

06/08/2016 22h29

Rio de Janeiro, 6 ago (EFE).- A judoca argentina Paula Pareto, atual campeã mundial na categoria ligeiro (até 48 kg) e que ganhou neste sábado a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio, afirmou, após se tornar a primeira mulher de seu país campeã olímpica individual, que é "incrível" a conquista em um esporte que na Argentina costuma ser de praticantes masculinos.

A judoca, de 30 anos, afirmou em sua entrevista coletiva após o combate final que para ela foi importante ganhar no Brasil por ser um país vizinho e, por isso, a presença no torneio de muitos familiares e amigos.

Pareto reconheceu que o difícil para ela ao se dedicar ao judô de alto nível é sair da Argentina e deixar seus familiares, além de acumular muitas horas de treinos.

"Pensei em todos os esforços, em tudo pelo que lutei", destacou a judoca, acrescentando que está "orgulhosa" de atrair para seu esporte muita gente que não o conhecia.

Pareto, estudante de medicina, também afirmou que quis demonstrar que é "possível estudar e fazer esporte", realizando ambas as atividades ao mesmo tempo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo