Esporte

Artista francês muda a cara do Rio com retratos de anônimos durante os Jogos

09/08/2016 10h12

Rio de Janeiro, 9 ago (EFE).- Milhares de rostos anônimos ficarão em calçadas e fachadas do Rio de Janeiro como parte de um projeto desenvolvido pelo artista plástico francês JR em sua primeira experiência olímpica, o projeto "Inside Out".

Através de fotos registradas em cabines espalhadas por 130 países, os mais de 30 mil participantes do projeto podem se expressar e apoiar uma ideia ou mensagem. Em 2014, o artista cobriu o Panteão de Paris com milhares de retratos.

JR protege sua identidade com cuidado, mas não esconde a ambição utópica de mudar o mundo através dos retratos. Os projetos já lhe renderam até mesmo um prêmio da fundação TED, que organiza eventos sobre ideias inovadoras ao redor do planeta.

Agora, JR se abre ao "espirito olímpico" com a chegada de sua caminhonete personalizada ao Rio de Janeiro.

Nas vésperas da cerimônia de abertura dos Jogos, o carro que contém uma cabine fotográfica ficou durante uma semana no Maracanã registrando os rostos dos responsáveis pelos bastidores do Rio 2016.

Desde o último sábado, a caminhonete está instalada no Boulevard Olímpico, uma via temática localizada na revitalizada zona portuária do Rio. Lá, além de participar do projeto, os visitantes têm suas fotos impressas e se tornam parte da iniciativa na mesma hora.

Aos poucos, os rostos já começam a formar um imenso tapete de anônimos no solo do Boulevard e vão cobrindo também a fachada de um dos armazéns do porto localizados na via revitalizada.

No próximo dia 15, o destino será a Vila Olímpica, na Barra da Tijuca, local onde estão hospedados os cerca de 15 mil atletas do mundo todo que participam do Rio 2016.

Por dia, passam entre 300 e 350 pessoas pela caminhonete de JR. Elas aguardam em filas de até duas horas para posarem para fotografias que depois recebem por e-mail.

Todas as fotografias têm o mesmo formato e fundo preto e branco. A diferença entre elas está nos improvisos dos modelos, que costumam mostrar seus trejeitos, suas emoções ou mensagens.

Um dos colabores do projeto, Jass, explicou que o sucesso nos primeiros dias desta experiência no Rio promete números surpreendentes ao final dos Jogos Olímpicos.

O francês não é um novato no Rio. O fotógrafo chamou atenção na cidade em 2008, quando estampou em 40 fachadas cariocas retratos gigantes de mulheres do Morro da Providência que perderam seus filhos de forma violenta.

O trabalho rendeu a JR reconhecimento internacional e foi definitivo para que o artista fosse premiado em 2011 pela fundação TED, o que lhe valeu US$ 100 mil.

Dias antes do início dos Jogos, JR também instalou duas obras gigantes com imagens de atletas olímpicos sobre os telhados de dois edifícios, no Flamengo e na Barra de Tijuca.

Outro trabalho bem-sucedido do francês foi o projeto "Face to Face", no qual utilizou fotografias de cidadãos palestinos e israelenses.

Os planos do artista para o futuro envolvem a construção da "maior galeria de arte do mundo" através dos retratos, como indica seu site.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo