Esporte

Nadal vibra com ouro nas duplas, mas se diz em desvantagem em simples

13/08/2016 00h50

Rio de Janeiro, 12 ago (EFE).- Primeiro tenista a ser campeão olímpico em simples e duplas desde que a modalidade voltou à programação dos Jogos, em 1988, o espanhol Rafael Nadal vibrou bastante conquista obtida ao lado de Marc López nesta sexta-feira, mas reclamou do horário de seu jogo contra o argentino Juan Martín del Potro, neste sábado, pelas semifinais do individual dos Jogos do Rio.

"Foi uma grande experiência, principalmente por ter jogado com um grande amigo como Marc. É algo inesquecível conquistar uma medalha de ouro hoje, depois de dois meses e meio sem treino e sem a preparação correta", comemorou Nadal em entrevista coletiva.

No entanto, nem tudo foi celebração por parte do ex-número 1 do mundo. O espanhol acredita que sua partida contra 'Delpo' poderia acontecer mais tarde. O duelo será o segundo da quadra central, cuja programação começará às 12h com a outra semifinal, entre o japonês Kei Nishikori e o britânico Andy Murray, que defende o título.

"Estou em desvantagem, principalmente por me colocarem no segundo jogo do turno das 12h, como foi hoje. Não sei o motivo do horário, já que amanhã não tenho outra partida. A ITF e as pessoas que fazem os horários da ITF costumam fazer coisas como esta e é preciso aceitar", resignou-se.

Mesmo com a medalha de ouro no peito, Nadal não sorriu muito durante a coletiva e inclusive deu algumas respostas atravessadas. Perguntado sobre seu entusiasmo, ele preferiu falar sobre o que acontece dentro de quadra e deixou no ar a possibilidade de estar em sua última Olimpíada.

"Acho que estou sempre entusiasmado, às vezes mais, às vezes menos. Jogo com paixão, emoção. É um evento muito especial, único para mim, e que acho para todos os atletas. Joguei com muita paixão, pode ser minha última edição de Jogos Olímpicos. Torço para que não seja, mas há a chance. Não pude competir em Londres, e ter a chance de conseguir duas medalhas aqui é especial", comentou.

Marc López, por sua vez, estava bem mais animado. Se disse feliz com tudo que viveu no Rio nos últimos dias e afirmou que o entrosamento da dupla foi rápido.

"É um sentimento incrível, disputar os Jogos Olímpicos é uma oportunidade única para mim. Estar na Vila Olímpica e ter Rafa do meu lado é especial, e desde o começo nos demos muito bem. Depois de passar a tensão de cada partida, ir passando de fase até chegar a esta medalha de ouro faz de mim o homem mais feliz do mundo", vibrou.

O momento mais divertido da coletiva foi quando López relembrou o dia em que conheceu Nadal. "Conheci Rafa quando tinha 14 anos e me disseram que era muito bom. Já despontava, e joguei um set com ele. Venci por 6-0" lembrou Marc entre risos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo