Esporte

Murray vence partida histórica no Rio e se torna 1º bi olímpico no tênis

14/08/2016 21h10

Douglas Rocha.

Rio de Janeiro, 14 ago (EFE).- O britânico Andy Murray fez história nesta domingo e se tornou o primeiro bicampeão olímpico na chave masculina de simples ao vencer o argentino Juan Martín del Potro por 3 sets a 1, com parciais de 7-5, 4-6, 6-2 e 7-5, na final dos Jogos do Rio de Janeiro.

A modalidade esteve na programação do evento esportivo de 1896 a 1924 e retornou em 1988. Durante todos esses anos, nenhum homem havia repetido a medalha dourada, mas o atual número 2 do mundo realizou o feito inédito ao levar a melhor em uma decisão épica que durou 4h02min no Centro Olímpico de Tênis.

Os dois tenistas sobem ao pódio pela segunda vez seguida. Se Murray venceu o suíço Roger Federer na final de Londres 2012, 'Delpo', agora medalhista de prata, faturou o bronze daquela vez batendo o sérvio Novak Djokovic.

O metal menos nobre no Rio ficou com o japonês Kei Nishikori, que derrotou mais cedo o espanhol Rafael Nadal.

A história recente do argentino é inspiradora. O tenista de 27 anos se submeteu a três operações no punho esquerdo, a primeira delas em março de 2014. Depois disso, foi operado em janeiro e em junho de 2015. Ao anunciar a terceira intervenção, chegou a se emocionar e cogitar o fim da carreira.

Ex-número 4 do mundo e atualmente em 141º lugar no ranking, ele deu a volta por cima, retornou ao circuito em março deste ano e no Rio fez campanha praticamente impecável, durrando Djokovic, número 1 do mundo, logo na estreia, e Nadal, campeão em Pequim 2008 e terceiro cabeça de chave.

Na decisão, contudo, prevaleceu o melhor momento de Murray no circuito como um todo e principalmente a parte física. O escocês de 28 anos se mostrou mais inteiro na parte decisiva da final e confirmou o grande momento na carreira, já que no mês passado se sagrou bicampeão de Wimbledon.

O primeiro set foi de passagens ruins pelo serviço. Murray começou confirmando com facilidade e, em game bastante longo, quebrou o serviço do argentino com uma boa subida à rede para fazer 2 a 0.

A quebra até foi devolvida logo em seguida, mas o britânico continuou melhor e fez 4-1, embora a partida não estivesse tão fácil quanto o placar indicava. Prova disso é que logo depois 'Delpo' reagiu, empatou em 4-4 com um ace e ainda colocou o adversário em 0-30 no nono game, mas a quebra acabou não acontecendo.

O árbitro tinha dificuldade para controlar a torcida. Enquanto os brasileiros apoiavam Murray, inclusive com xingamentos em português à 'Torre de Tandil', os argentinos respondiam com "Olê! Olê! Olê! Delpo! Delpo!".

O campeão do US Open de 2009 então sacou duas vezes com a pressão de salvar a parcial. Na primeira, teve vida fácil. Na segunda, encarou dois set points contra, e até salvou o primeiro, mas o atual campeão levou a melhor em disputa de forehands cruzados e obteve o 7-5 a favor depois de 1h14min.

Del Potro não abaixou a cabeça e começou o segundo set com uma quebra em bonita passada de revés, jogada pouco vista após as duas cirurgias no punho. Murray poderia ter empatado em seguida, mas desperdiçou três break points.

A parcial então seguiu serviço a serviço, sem maiores dificuldades. No sétimo game, o vencedor do último torneio de Wimbledon confirmou com direito a dois aces seguidos, mas 'Delpo' respondeu fechando de zero em seguida e fazendo 5-3.

O cântico "Soy argentino, es un sentimiento, no puedo parar" era cada vez mais forte. 'Delpo' correspondeu tendo 0-30 e depois o set point, mas a vitória, por 6-4, e o empate em 1 a 1 na decisão só vieram no game seguinte.

Confirmar o saque já não era um problema, e quem ia para a recepção não passava de 15. Quando estava atrás em 3-2, o sul-americano se viu em 0-30 devido a duas duplas faltas e acabou não conseguindo levantar o game.

Em seguida, Murray aumentou a diferença para 5-2, e os gritos passaram a ser de "Let's go, Andy! Let's go!". 'Delpo' então saiu um pouco do jogo, o escocês se aproveitou e fez 2 a 1 com 6-2, em 36 minutos.

Houve na arena quem acreditou que a partida tinha acabado, mas a esperança argentina ainda não tinha morrido, e prova concreta disso foi que houve quatro quebras nos quatro primeiros games da quarta parcial.

Del Potro parecia extenuado, mas os torcedores tentavam mantê-lo de pé e obtinham êxito. O tenista do Tandil abriu 4-2, depois 5-3 e comemorou muito apontando para uma das partes do público onde vinha o apoio. Na hora de decidir, porém, o braço encolheu, a perna balançou, e Murray empatou em 5-5 na esquerda do argentino na rede.

O defensor do título então levantou um 15-40 com direito a dois aces seguidos e pôs pressão no adversário. Atrapalhado por um torcedor, que inclusive foi retirado da quadra, Murray errou um drop shot, mas mesmo assim fez 7-5 e fechou o jogo histórico.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo