Esporte

Com discurso de humildade, brasileiros vão às quartas para tentar surpreender

15/08/2016 19h51

Rio de Janeiro, 15 ago (EFE).- Classificados na terceira posição do grupo B, os jogadores da seleção brasileira valorizaram a inédita vaga nas quartas de final do torneio de handebol masculino nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro com o discurso de que, pela falta de tradição na modalidade, "o Brasil não é favorito em nenhum jogo".

"O país está começando agora a construir uma história que, antigamente, era um pouco ruim. Estamos tentando mudar alguma coisa. O jogo que vier vai ter que ser jogado com muita energia, venha quem for. Vamos tentar ganhar e fazer história para ir às semifinais", disse Léo após a derrota por 30 a 19 para a Suécia nesta segunda-feira, válida pela última rodada da primeira fase.

O favoritismo parece não ter feito muita diferença na primeira fase. Na lanterna do grupo do Brasil, com apenas dois pontos, os suecos são os atuais vice-campeões olímpicos, tendo perdido para a França na disputa pelo ouro em 2012.

Por outro lado, os brasileiros somaram cinco pontos e ficaram com uma das vagas na próxima fase ao conquistarem vitórias inéditas sobre Polônia e Alemanha e um empate com o Egito, além das derrotas para Eslovênia e Suécia.

"Fizemos um bom trabalho contra os melhores times da nossa chave e fizemos jogos ruins contra as equipes teoricamente mais fracas. A gente achou que ia decidir a classificação com Egito e Suécia e acabamos ganhando de Alemanha e Polônia e empatando com o Egito. Chegamos nesse jogo classificados", comentou Léo.

Embora tenha surpreendido até aqui, o elenco brasileiro se incomodou com as derrotas nos dois últimos jogos e o empate com o Egito, que impediram uma classificação em posição superior.

"Não somos favoritos em nenhum jogo. Temos que saber que somos inferiores a todos e dar 200% em quadra porque 100% não está dando mais. Agora precisamos nos recuperar o mais rápido possível porque temos o mata-mata e espero que a gente consiga a classificação", disse João.

Com o terceiro lugar do grupo A, o Brasil enfrentará na próxima fase França, Croácia ou Dinamarca. De acordo com Fábio Chiuffa, os franceses, atuais campeões olímpicos, seriam os adversários menos desejados.

"A França é favorita ao título, já tem um grupo forte há anos. Todos sabem que a França é o time mais forte e não queríamos pegar eles, mas dá para vencer. Ninguém acreditava que a gente ia ganhar da Alemanha, campeã europeia, e ganhamos", afirmou.

A partida do Brasil pelas quartas de final será disputada na quarta-feira, às 13h30 (horário de Brasília).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo