Esporte

Juan Martín del Potro é recebido como herói em retorno à Argentina

15/08/2016 21h09

Buenos Aires, 15 ago (EFE).- O tenista Juan Martín del Potro foi recebido na Argentina nesta segunda-feira como herói após a conquista da medalha de prata no torneio de tênis dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no último domingo.

"Só agora está caindo a ficha. É algo maior do que eu poderia imaginar no começo, ainda mais quando vi o sorteio (sua estreia foi diante do sérvio Novak Djokovic)", disse del Potro, derrotado na final olímpica pelo britânico Andy Murray.

Após se submerter a recorrentes cirurgias nos punhos, três delas somente no esquerdo, o tenista nascido em Tandil contou um pouco do seu sofrimento no retorno ao país natal.

"Foram meses muito difíceis. Quase não volto a jogar, muitas vezes passou isso pela minha cabeça. Achava minha situação muito complicada. Para um tenista, estar fora das competições é a pior coisa do mundo", disse del Potro.

"Mas minha família nunca deixou que eu desistisse. Tentei mais uma cirurgia e tudo deu certo", contou o argentino, visivelmente emocionado durante entrevista coletiva em hotel no centro de Buenos Aires.

O tenista foi ovacionado no voo que veio do Rio de Janeiro, e na chegada ao Aeroparque Metropolitano, na capital argentina, disse ter se emocionado muitas vezes desde o último domingo.

"Nunca chorei tantas vezes em tão poucos dias. Me emocionou o apoio das pessoas na quadra, das que escreviam nas redes sociais", lembrou del Potro.

Sobre a estreia olímpica diante do atual número um do mundo, o argentino contou que se surpreendeu com a própria atuação diante de Novak Djokovic.

"A direita ia forte até quando eu já não tinha mais força. Não sei se alguma vez joguei tênis tão bem como nessa partida contra Djokovic", avaliou o jogador, que ainda lembrou da conversa com Murray no pódio olímpico.

"Murray me disse que eu merecia, que reconhecia o quanto eu tinha sofrido. Demos um abraço muito sincero. O ouro dele foi bastante merecido. Minha medalha também é como um ouro para mim. Agora estou entendendo tudo que gerei nestes 10 dias. Ainda não posso acreditar. Quando entregaram as medalhas, os torcedores aplaudiam mais a mim que a ele", recordou.

"Eu estava vivendo um pesadelo há 14 meses. Quero me recuperar", concluiu del Potro, que pediu um convite para participar do US Open, certamente um de seus objetivos no futuro próximo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo