Esporte

"Olimpíada não é bicho de 7 cabeças", diz Isaquias após garantir 1ª final

15/08/2016 10h11

Rio de Janeiro, 15 ago (EFE).- Uma das principais esperanças de medalha para o Brasil nos Jogos do Rio de Janeiro, o baiano Isaquias Queiroz venceu nesta segunda-feira sua bateria nas eliminatórias da canoa individual (C1) 1.000m e, já com a vaga na grande final, marcada para amanhã, afirmou que "Olimpíada não é um bicho de sete cabeças".

"Não é um bicho de sete cabeças, até porque os atletas eu já competi contra os atletas que estão aqui no Mundial. Estou acostumado com isso, com prova de alto nível, mas estou feliz com o resultado e espero realizar isso de novo na final", comemorou o tricampeão mundial após a vitória na classificatória realizada hoje na Lagoa Rodrigo de Freitas.

Isaquias teve que mudar sua estratégia para conquistar a vitória. A organização da canoagem alterou os critérios de classificação pouco antes da prova, dando ao primeiro lugar vaga direta na final e classificando os demais para as semifinais, que serão disputadas ainda hoje. Com isso, o baiano forçou o ritmo para garantir presença na decisão de forma antecipada e poder descansar para o ouro.

"Mudou (a estratégia). Antes não importava se eu ficasse entre os quatro. Era uma prova que eu teria que descansar, porque os Jogos Olímpicos não são como um Mundial, no qual você faz uma eliminatória de manhã e uma semifinal de tarde. No Mundial, você pode correr forte de manhã e, de tarde, forte de novo. Nos Jogos Olímpicos, você tem que controlar sua eliminatória para na semifinal dar o máximo", explicou Isaquias.

Com seus principais resultados conquistados em água doce, Isaquias disse ter sentido mais leveza nas águas salgadas da Lagoa Rodrigo de Freitas, o que o ajudou a ficar com o primeiro lugar.

"Meu treinador falou que na água salgada, com o sol, o barco anda mais, fica mais rápido. Não sei disso. Espero que fique mais rápido ainda. Acho que não tem muita diferença. Pelo fato de a Lagoa estar mais rasa, chegamos aqui e a água está mais leve. (A preparação) em ajudou bastante na questão de vento e com o clima, que era muito quente lá. Senti a água mais leve", disse o atleta.

Sobre a possibilidade de ganhar o ouro inédito para o Brasil na canoagem em Jogos Olímpicos, Isaquias ressaltou a importância da conquista caso ela seja confirmada na decisão de amanhã.

"Acho que a jornada de um atleta tem muita dificuldade. Não é uma coisa que é fácil, você tem que se matar diariamente para poder chegar no campeonato para ganhar uma coisinha tão pequena que tem muito significado. Não só para mim, mas para uma nação, para qualquer brasileiro. É gratificante chegar em uma Olimpíada e poder ganhar uma medalha. Saber que você ganhou pelo seu esforço, pelo seu treinamento diário", afirmou.

"Ganhar a medalha de ouro significaria muito para mim, até pela minha dificuldade de me manter no meio dos gigantes das provas, como o Sebastian Brendel, campeão olímpico e um cara a ser batido, me inspiro muito nele. Vai ser gratificante para mim e para o Brasil. O brasileiro está esperando essa medalha. Não só minha, mas de outros vários atletas", completou Isaquias.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo