Esporte

Alison destaca força de dupla com Bruno para superar rivais de peso até final

16/08/2016 19h29

Rio de Janeiro, 16 ago (EFE).- Alison, que com Bruno Schmidt colocou o Brasil na final do torneio masculino de vôlei de praia dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, destacou nesta terça-feira a campanha da dupla, que foi uma verdadeira "matadora de gigantes".

"Ganhamos do campeão europeu de 2013, que foi a Espanha, ganhamos hoje de um time que foi ex-campeão mundial, do Dalhausser também, que é campeão olímpico. A nossa chave é forte, a gente sabia disso, tínhamos que jogar cada jogo como se fosse uma final. Falta mais um jogo", disse o capixaba.

Após eliminar os espanhóis Adrián Gavira e Pablo Herrera nas oitavas e bater os americanos Phil Dalhausser e Nick Lucena nas quartas, hoje Alison e Bruno superaram os holandeses Alexander Brouwer e Robert Meeuwsen por 2 sets a 1, com parciais de 21-17, 21-23 e 16-14. A dificuldade neste último duelo, para o capitão da dupla, mostra o tamanho do feito até aqui.

"Tinha que ser assim, tinha que ser 2 a 1, tinha que ser sofrido. Porque os grandes times saem de grandes batalhas com cicatrizes que possam te fortalecer. E nossa história é essa. Começamos em 2014 no qualifying e poucos acreditavam na gente. Estamos mostrando para o mundo que o trabalho está sendo bem feito e que estamos superando dificuldades", garantiu.

Para a decisão desta quinta-feira, contra o vencedor do duelo entre os italianos Paolo Nicolai e Daniele Lupo e os russos Viacheslav Krasilnikov e Konstantin Semenov, Alison garantiu contar com a força das arquibancadas para conquistar o ouro.

"A gente precisa muito dessa torcida na final, precisa dela do primeiro ponto ao último. Não só quando a gente estiver na frente. Temos que fazer disso aqui um caldeirão, e fazer deles nosso terceiro jogador", afirmou.

Alison, vice-campeão em Londres 2012, quando jogava com Emanuel, ainda falou sobre a primeira medalha olímpica conquistada pela família do parceiro Bruno, que é sobrinho do ex-jogador de basquete Oscar.

"A família Schmidt é uma referência, tem grandes seres humanos ali. É uma família que ama o esporte. O Oscar sempre defendeu o Brasil com um amor muito grande. Eu fico muito feliz por estar ajudando eles, e por eles terem me ajudado a estar em uma segunda final olímpica e fazer o meu melhor", concluiu.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo