Esporte

"Eu vim para cá para fazer história", diz Isaquias após conquistar prata

16/08/2016 13h44

Rio de Janeiro, 16 ago (EFE).- Medalhista de prata na canoa individual (C1) 1000 metros nesta terça-feira, o brasileiro Isaquias Queiroz disse após a disputa que não pretende parar por aí e que fará de tudo para subir ao pódio nas outras duas provas que ainda disputará, a canoa individual (C1) 200 metros e a canoa dupla (C2) 1000 metros.

"Eu vim para cá para fazer história. A história vai ser escrita e já está sendo escrita com essa medalha de prata", destacou Isaquias em entrevista na zona mista do Estádio da Lagoa.

"A meta de três medalhas continua. No C2 1000 metros, eu e o Erlon estamos remando muito, muito mesmo, mas vai depender do desenrolar da prova e de nós. Não adianta treinar muito e não fazer nada na Olimpíada", acrescentou o baiano.

Isaquias admitiu ter tido receio de enfrentar problemas por treinar para três provas diferentes, mas destacou que até agora tudo vem saindo como planejado e que hoje foi derrotado por um grande adversário, o alemão Sebastian Brendel, que se sagrou bicampeão olímpico.

"É uma sensação fantástica, todo mundo sabe que a prova de 1000 metros é difícil, eu tive de aprender a controlar. Tive medo por estar treinando três provas neste ano para chegar aqui e ganhar três medalhas. Foi muito legal, controlei o ritmo, sabia que seria difícil bater o alemão porque ele é um fenômeno", comentou o canoísta, que já mira a classificação do C1 200, amanhã.

"Meu treinador deve estar louco comigo porque já já temos de estar na água de novo. Agora tenho de mudar a estratégia. Nos mil metros, não importa muito a largada, vale mais o meio e o fim de prova. Nos 200 metros, não, tem de sair muito bem", analisou.

Isaquias também agradeceu o apoio da torcida e afirmou que a presença do público o fez esforçar ainda mais para buscar uma vaga no pódio.

"A torcida é muito importante na vidade de um atleta. Quando estou fora, não tem ninguém gritando meu nome nem gritando 'Brasil!' e fico desfavorecido. Aqui eu tenho um incentivo a mais, até porque eu queria a medalha não para mim, mas para os torcedores que vieram prestigiar o evento. Imagine se eu chegasse em quarto ou quinto, eles diriam 'queria ver uma medalha'".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo