Esporte

Brasil faz jogo duro, mas perde para bicampeã olímpica França no handebol

17/08/2016 11h36

Rio de Janeiro, 17 ago (EFE).- A seleção brasileira masculina de handebol fez um jogo duro contra a França, atual campeã mundial e bicampeã olímpica, mas acabou derrotada por 34 a 27, nas quartas de final dos Jogos do Rio de Janeiro e está fora da briga por medalhas.

Diante dos principais favoritos do torneio olímpico, os brasileiros fizeram uma partida equilibrada durante os primeiros 50 minutos. Saíram atrás do placar, tiraram a desvantagem e chegaram a sonhar com a vitória, mas sentiram a força do adversário nos minutos finais, apesar do apoio do público na Arena do Futuro.

Mesmo com a derrota, a seleção masculina do Brasil fez história no Rio de Janeiro, já que nunca antes uma equipe do país tinha se classificado à fase decisiva de um torneio olímpico. Já as meninas brasileiras deram adeus à disputa por medalhas ontem, após perderem, também nas quartas de final, para a Holanda, por 32 a 23, igualando o resultado obtido há quatro anos nos Jogos de Londres.

Os brasileiros começaram bem na partida, mas logo permitiram que os franceses escapassem no marcador, abrindo três gols de vantagem ( 5 a 2). Depois de esboçarem uma reação, chegando a passar na frente do placar (7 a 6), os donos da casa cometeram alguns erros ofensivos que permitiram que o adversário restabelecesse a vantagem.

Nos últimos dez minutos do primeiro tempo, porém, o Brasil equilibrou o jogo. Contando com grandes atuações do armador esquerdo Thiagus Petrus, do goleiro Maik e com o apoio da torcida que lotou a Arena do Futuro, os comandados de Jordi Ribera correram atrás da desvantagem e empataram o jogo antes do intervalo (16 a 16).

O grande equilíbrio se manteve no segundo tempo. Nenhuma das duas equipes conseguia abrir distância no placar. Se os franceses marcavam, os brasileiros empatavam logo na sequência. O mesmo ocorria se os donos da casa passassem na frente.

Passados 13 minutos do segundo tempo, o Brasil começou a enfrentar dificuldades no setor ofensivo. Com Thiagus no banco, os franceses conseguiram voltar a liderar o placar por três gols (25 a 22), forçando o técnico Jordi Ribera a pedir tempo.

A conversa não deu resultado. Sem conseguir manter intenso ritmo ofensivo apresentado até então, o Brasil permitiu que a França ampliasse a vantagem para cinco gols faltando dez minutos para o fim da partida (28 a 23). E, sentindo o baque da eliminação, não conseguiu reagir, dando adeus ao torneio olímpico.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo