Esporte

Sétima colocada na marcha, brasileira lamenta: "não é o resultado que queria"

19/08/2016 18h12

Rio de Janeiro, 19 ago (EFE).- Apesar de ter conseguido nesta sexta-feira o melhor resultado da história do Brasil em Jogos Olímpicos na marcha atlética feminina de 20km, a pernambucana Érica Sena lamentou não ter chegado ao pódio, como admitiu que esperava, e disse ter sentido a desclassificação do marido, o equatoriano Andrés Chocho, poucas horas antes, na prova masculina dos 50km.

"Infelizmente não é o resultado que eu queria. É um resultado inédito para o Brasil, nunca uma brasileira ficou em sétimo. Mas eu esperava ter conseguido algo melhor", reconheceu Érica, que mora em Cuenca, no Equador, e é treinada por Chocho.

"Não posso falar que faltou alguma coisa. Eu tive tudo, tive o apoio da torcida, do Comitê Olímpico Brasileiro, da Confederação Brasileira de Atletismo. Treinei muito para estar aqui, me dediquei muito, mas infelizmente outras atletas foram mais rápidas do que eu", afirmou.

Érica também disse não considerar que a prova feminina tivesse sido afetada por fatores climáticas como aconteceu com a masculina, na qual quase 20 competidores desistiram durante o percurso de 50 quilômetros sob forte calor.

"Em relação ao clima, não tenho do que reclamar, estava muito tranquilo, eu esperava que fosse mais quente", disse.

Érica lamentou ter recebido duas advertências, o que a deixou pressionada na prova, já que, se recebesse a terceira, seria eliminada. Algo que ela afirmou jamais ter acontecido em sua carreira internacional.

"É a primeira competição em nível internacional que eu recebi tantas plaquinhas. Tentei não deixar influenciar meu psicológico, porque querendo ou não atrapalha um pouco o atleta", contou.

Sobre a desclassificação de Chocho tanto hoje, nos 50km, como na semana passada, na prova masculina de 20km, a atleta pernambucana reconheceu que a abalou.

"Ele é um atleta excepcional, é muito dedicado, tanto como atleta como treinador. Ele veio muito preparado, estava brigando bem nos 20 quilômetros. Nós contávamos sair daqui com três medalhas, duas dele e uma minha. Infelizmente ele foi desclassificado nas duas provas. É lamentável, com certeza isso mexeu com o meu psicológico, mexeu comigo. Eu vejo a dedicação dele diária. Infelizmente você chega aqui e não tem a chance de finalizar a prova", disse.

Érica Sena sempre esteve entre as líderes durante a disputa, realizada em na região da praia do Pontal, na zona oeste do Rio de Janeiro, mas não resistiu ao forte ritmo imposto no fim pela chinesa Hong Liu, que ficou com o ouro. A mexicana María Guadalupe González ganhou a prata, e a também chinesa Xiuzhi Lu recebeu o bronze.

Além de Érica, outra pernambucana representou o Brasil na prova de hoje, Cisiane Dutra, que completou o percurso na 49ª posição.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo