Esporte

Renato Augusto diz que apelou a "deuses do Maracanã" em decisão por pênaltis

20/08/2016 23h01

Rio de Janeiro, 21 ago (EFE).- Um dos principais nomes do ouro inédito do Brasil em Jogos Olímpicos, o meia Renato Augusto ressaltou o ponto de virada da equipe após as críticas pelo início ruim no torneio, afirmou que a vitória sobre a Alemanha servirá para curar cicatrizes recentes da seleção e que pediu proteção aos deuses do Maracanã, palco do triunfo histórico, na hora da disputa de pênaltis.

Perguntado após a vitória na final olímpica se a atuação deste sábado foi sua melhor com a camisa da seleção brasileira, Renato disse que a equipe praticamente deixou a tática de lado e jogou "no coração".

"É difícil de dizer (se essa é minha melhor atuação). Olha, não sei nem falar o que eu fui no jogo. Se vocês perguntarem para mim como foi o jogo tático, hoje eu não vou saber explicar. Acho que o momento foi mais coração, alma e a torcida empurrando. Até quando tomamos o gol, a torcida continuou cantando, empurrando. E nos pênaltis, eu falei: 'os deuses do Maracanã não vão fazer isso comigo", afirmou o meia depois da vitória histórica.

O triunfo veio depois de uma trajetória contestada. O Brasil empatou sem gols contra África do Sul, na estreia, e contra o Irã. Após várias críticas sobre a capacidade de o time chegar ao ouro inédito, para Renato, a equipe engrenou após a goleada sobre a Dinamarca, por 4 a 0, na última partida da fase de grupos.

"Foi o primeiro gol (que fez a chave virar). Se lá em Brasília (contra a África do Sul) a bola tivesse entrado, estaríamos falando de coisas diferentes aqui. O momento mais importante da competição foi o primeiro gol. Quando a bola entrou deu mais tranquilidade, mais paciência para a equipe. Crescemos bastante. Acho que no momento mais difícil você vê um grupo vencedor. O grupo se junta e consegue levar até a final", destacou o jogador.

"Acho que o mais importante foi o que a gente fez em Salvador. Fizemos um grande jogo, isso traz a torcida. Quando chegamos aqui no Maracanã (contra Honduras, na semifinal), marcamos o gol com 15 segundos. A torcida começa a inflamar, a gente sabe como é aqui no Rio. Viemos para final, o torcedor esperava muito isso. Eles apoiaram do início ao fim", completou.

Renato, que deve estar na primeira lista de Tite como técnico da seleção principal que será divulgada na segunda-feira, disse acreditar que a vitória de hoje será importante também para restabelecer a ligação da seleção brasileira com a torcida.

"Acredito sim. É claro que tem coisas que nunca vamos apagar porque fica a cicatriz. Mas eu estou saindo daqui com um orgulho muito grande de ser brasileiro. Acho que quem estava aqui, quem estava em casa e assistiu ao jogo, está sentindo isso também", destacou o meia, que também comentou o fato de Neymar ter anunciado que não será mais capitão da equipe.

"Seria uma honra (ser capitão), mas a forma como ele vai jogar, ou como eu vou jogar não vai mudar por causa de uma faixa. Até porque dentro do elenco há vários que podem usar a faixa de capitão. Ele é o líder técnico da equipe, o cara acima da média, o que chama o jogo, independentemente de faixa ou não, vai ser o diferencial do nosso time", disse Renato.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo