Esporte

Sem Messi, Argentina sofre e só empata com a Venezuela nas Eliminatórias

06/09/2016 22h51

Redação Central, 7 set (EFE).- Poupando Lionel Messi, com dores no púbis, a Argentina sofreu para arrancar um empate fora de casa com a Venezuela nesta terça-feira por 2 a 2, no Estádio Metropolitano de Mérida, um resultado que fez a 'Albiceleste' perder a liderança das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

Das arquibancadas, lotadas apesar da crise política e econômica vivida pela Venezuela, veio o grito de "sí, se puede" (sim, é possível). E o "sonho" dos torcedores locais começou a se tornar realidade graças a Juan Pablo Añor. O meia, de apenas 22 anos, recebeu na entrada da área aos 36 minutos, limpou a marcação e acertou um belo chute no ângulo direito de Sergio Romero, sem chances de defesa.

Com a desvantagem no placar, a equipe do técnico Edgardo Bauza, ex-São Paulo, partiu para cima dos anfitriões, mas cedeu espaço para os contra-ataques e levou o segundo. O atacante José Salomón Rondón foi à linha de fundo pela esquerda e cruzou rasteiro para Josef Martínez, que, com muita frieza, enganou Romero e ampliou.

Poucos dias antes da partida, a Associação do Futebol Argentino (AFA) pediu "garantias" ao governo da Venezuela para jogar no país por temor dos protestos contra e a favor do presidente Nicolás Maduro. O pedido foi atendido, mas dentro de campo outro tipo de dificuldade surgiu, talvez inesperada: a seleção da casa deu muito trabalho aos atuais vice-campeões do mundo e da Copa América, que atuavam sem Messi, poupado da partida por causa de dores sentidas na região do púbis.

Com a ausência do principal nome da seleção, coube a Lucas Pratto a responsabilidade de marcar gols. E o atacante do Atlético-MG não decepcionou. Cinco minutos depois, aos 13, diminuiu para a 'Albiceleste'. O artilheiro recebeu pela direita da área, teve seu primeiro chute bloqueado pelos zagueiros, mas não o segundo, que morreu no fundo do gol defendido Dani Hernández.

A Argentina seguiu pressionando em busca do empate e teve chances criadas pela própria empolgação do adversário. Aos 30 minutos da etapa final, a Venezuela deixou apenas três jogadores na defesa para uma cobrança de escanteio na frente. No contra-ataque, Pratto encontrou Ángel Di María na área. O meia do Paris Saint-Germain limpou a marcação, mas acabou chutando fraco.

O castigo para os anfitriões veio aos 38. Após cobrança de escanteio de Di María, a bola passou por quase toda a pequena área, mas não pelo zagueiro Nicolás Otamendi, que se esticou e tocou para o gol, livre.

Ainda deu tempo para Romero quase entregar a vitória de bandeja para os venezuelanos aos 43 minutos. O goleiro bateu roupa após cobrança de falta na área. Villanueva pegou o rebote e fuzilou a trave, para alívio do arqueiro da 'Albiceleste'.

Com o resultado, a Argentina foi a 15 pontos e perdeu a liderança das Eliminatórias para o Uruguai, que chegou a 16 pontos ao golear o Paraguai por 4 a 0. Já a Venezuela soma agora três pontos e continua na lanterna.

No outro jogo disputado hoje no mesmo horário, o Chile decepcionou e empatou sem gols com a Bolívia em casa, no Estádio Nacional de Santiago. Desta forma, os atuais bicampeões da Copa América continuam na sétima posição das Eliminatórias, com 11 pontos. Os bolivianos aparecem na oitava colocação, com sete pontos. EFE

lvl/id

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo