Esporte

Barcelona diz que provará inocência de todos os envolvidos no Caso Neymar

AFP PHOTO/ JAVIER SORIANO
Imagem: AFP PHOTO/ JAVIER SORIANO

Da EFE

Em Barcelona

23/09/2016 15h47

O Barcelona lamentou nesta sexta-feira a decisão da justiça espanhola de reabrir a ação sobre fraude na transferência de Neymar do Santos para o clube, e garantiu que provará que não houve qualquer ilegalidade.

"O FC Barcelona manterá as teses que sempre defendeu ao longo do processo e demonstrará a inocência de todos os investigados", diz comunicado divulgado pela diretoria 'blaugrana'.

Hoje, a Audiência Nacional da Espanha revogou a decisão do juiz José de la Mata de arquivar o processo contra Neymar e seu pai, além do Santos, do Barcelona e seu ex-presidente Sandro Rossell, acusados de registrar valor incorreto da transferência do atacante brasileiro

A decisão atendeu a um recurso do Ministério Público espanhol em conjunto com a Federação das Associações de Atletas Profissionais (Faap) e o grupo de investidores DIS, que tinha direito a 40% do valor dos direitos econômicos do jogador.

A quarta seção da sala penal da Audiência Nacional, que julgou o recurso, avaliou em primeiro lugar dois contratos assinados em 15 de novembro e 6 de dezembro de 2011 para tomar conhecimento das condições de transferência do jogador e concluiu que há indícios do crime de corrupção.

Através do primeiro contrato, o Barcelona se comprometeu a pagar um total de 40 milhões de euros pela transferência e a dar a Neymar um salário de 36,1 milhões em 5 anos, tudo isso a partir de 2014, ano no qual o jogador deixaria de estar vinculado ao Santos e quando o grupo DIS já não teria direitos sobre o atacante.

O segundo documento consistiu em um falso contrato de empréstimo pelo qual o Barça repassou a Neymar 10 milhões de euros, mas, segundo o promotor do caso, José Perals, a quantia seria, na realidade, uma antecipação para garantir a contratação.

O tribunal entendeu assim que o Barcelona, representado por Rosell, fez um acordo com Neymar e a N&N Consultoria, empresa dos pais do atacante, para contratar o jogador por 40 milhões de euros.

Em relação a outros contratos assinados em 2013 para que o Barcelona antecipasse a contratação de Neymar sem esperar o fim de seu vínculo com o Santos (em julho de 2014), os magistrados constataram que o clube paulista negociou os direitos federativos do jogador por 17,1 milhões de euros. A operação foi comunicada ao grupo DIS, que recebeu 40% deste último valor - e não dos 40 milhões.
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo