Esporte

Seleção do Kosovo passa a ser nova oportunidade para jogadores locais

01/10/2016 10h05

Mimoza Dhima.

Drenas (Kosovo), 1 out (EFE).- Recentemente integrada a Uefa e Fifa, a seleção de futebol do Kosovo agora representa uma nova oportunidade para dezenas de talentosos jogadores do pequeno país balcânico, que até então só viam a vizinha Albânia como chance de aparecer no cenário internacional.

É o caso de Diar Prokshi, que joga como meia no Feronikel, atual campeão da Superliga kosovar e o favorito a novamente conquistar o título neste ano. O grande objetivo do jovem de 16 anos é representar o Kosovo nas competições internacionais, como a Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

"Tenho que trabalhar muito mais do que antes para poder representar o Kosovo no cenário internacional. Isso é um sonho para mim", contou Prokshi à Agência Efe após um treino no pequeno estádio do Feronikel, na cidade de Drenas, no centro do país.

Para seu companheiro de equipe, o atacante Mark Milicaj, é normal que os jovens sonhem em defender o Kosovo, mas que isso depende do desejo de cada um.

"A Albânia era antes a única possibilidade para os jogadores que sonhavam em representar a nação. Agora temos duas possibilidades e cada um deve optar segundo seu desejo. Somos um povo e dois Estados, e representar Kosovo ou Albânia dá no mesmo", comentou.

De acordo com Fadil Vokrri, presidente da Federação de Futebol do Kosovo (KFF), "levando em conta o momento atual, no qual não é possível a unificação (com a Albânia) no plano político, é um direito legítimo ter duas representações, igual a ter dois governos e dois parlamentos".

O Kosovo, uma ex-província sérvia com 1,8 milhão de habitantes, a maioria composta por albaneses étnicos, declarou independência da Sérvia em fevereiro de 2008. No entanto, o governo sérvio rejeita esta soberania por considerar o território como "berço" de sua religião e cultura.

Durante anos os kosovares eram discriminados pela Sérvia, por isso seus jogadores reforçaram as seleções não só da Albânia, mas de outros países, sobretudo da Suíça, país com grande comunidade kosovar.

Na equipe suíça se destacam os meias Xherdan Shaqiri e Granit Xhaka, cujo irmão Taulant joga pela Albânia, junto a outros nove jogadores de origem kosovar.

A Fifa decidiu impedir que jogadores que já defenderam outras equipes nacionais em partidas oficiais se transfiram para a seleção do Kosovo, o que tranquilizou o técnico da Albânia, o italiano Gianni de Biasi, receoso de que sua equipe desmoronasse.

No entanto, outros jogadores descontentes com De Biasi, que não os convocou, como Amir Rrahmani, Herolind Shala, Milot Rashica, Alban Meha e Samir Ujkani, formam agora parte da seleção do Kosovo, por isso chamados "traidores da mãe pátria".

Com essas inclusões, a reforçada seleção kosovar estreou nas Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2018 com força ao empatar em 1 a 1 fora de casa com a Finlândia em sua primeira partida oficial.

No dia 6 de outubro, os kosovares farão o primeiro jogo como mandante, contra a Croácia, em Shkodra, ao norte da Albânia, devido à falta de um estádio que atenda às exigências da Fifa.

Três dias depois, o Kosovo enfrentará a Ucrânia, que não reconheceu sua independência, motivo pelo qual a partida deverá ser disputada em um país "neutro", embora a Fifa ainda não tenha anunciado o local.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo