Esporte

Futebol italiano teve prejuízo de 525,5 milhões de euros em 2014-2015

29/10/2016 20h15

Roma, 29 out (EFE).- O futebol da Itália registrou na temporada 2014-2015 um prejuízo de 525,5 milhões de euros, segundo o primeiro estudo financeiro sobre o movimento futebolístico do país, apresentado em Roma pela federação de futebol do país (FIGC).

O estudo, realizado em parceria com a auditora Deloitte e chamado "Conta econômica do futebol italiano", reflete que o futebol italiano arrecadou 3,7 bilhões de euros na temporada 2014-2015 e gastou cerca de 4 bilhões.

Além disso, o trabalho ressalta sua importância em nível internacional, pois a indústria do 'calcio' representa 11% do Produto Interno Bruto (PIB) do futebol mundial.

O documento leva em consideração os dados relativos às divisões profissionais e de base, masculinas e femininas, do futebol de campo, de salão e de praia.

Segundo o estudo, 98,7% dos prejuízos registrados foram gerados pelas ligas profissionais (que incorreram em cerca de 519 milhões de euros).

A FIGC, por outro lado, foi a única entidade que fechou a temporada com lucro líquido - de 4 milhões de euros, quantia que acabou limitando o prejuízo a 525,5 milhões.

Quanto ao faturamento, as ligas profissionais contribuíram com 70% (2,6 bilhões).

A receita líquida da FIGC representou 4% do total, com 153,5 milhões de euros, e a das ligas administradas pela competição, 2% (68 milhões).

O estudo também destaca que na temporada 2014-2015 somente 12 das 86 clubes analisados conseguiram um resultado econômico positivo e que só 7 dos 20 que integram a primeira divisão tiveram lucro líquido.

Em relação aos custos, estes ficaram próximos de 4 bilhões de euros, e deles, 77% foram produzidos pelo setor de profissionais. Além disso, cerca de 2 bilhões de euros foram destinados a despesas de pessoal.

O estudo mostrou ainda que os clubes profissionais italianos dependem cada vez mais dos direitos de televisão, que subiram constantemente no quinquênio 2010-2015.

Neste sentido, os clubes italianos registraram um crescimento constante quanto a receitas geradas por direitos televisivos entre 2010 e 2015: passaram de 105,9 milhões do primeiro ano para 172,6 milhões do último considerado, totalizando 692,7 milhões.

Esta quantia é comparável ao valor arrecadado pela primeira divisão alemã (701,9 milhões), mas ainda está longe do de competições como os campeonatos Inglês (846,7 milhões) e Espanhol (866,4 milhões).

A pesquisa também analisa a situação dos estádios e a presença de torcedores, e afirma que ultrapassa 50% da capacidade só nas partidas da primeira divisão. Na segunda, a ocupação é de 41%, e na terceira é de 24%.

Na temporada 2014-2015, até 8,4 milhões de ingressos não foram vendidos, um número muito maior que o de outras ligas europeias de elite, como a alemã (1,3 milhão não vendidos) e a inglesa (1,4 milhão).

Uma das razões principais que explicam estes dados negativos está na qualidade dos estádios, que seguem sem ser remodelados: os das equipes da elite têm em média 64 anos de idade, e os da segunda divisão, 68 anos.

O presidente da FIGC, Carlo Tavecchio, reconheceu que o estudo evidencia alguns problemas significativos do futebol italiano, mas destacou que são análises como esta que levam a progressos.

"Estamos fazendo uma grande avaliação estatístico-científica do sistema futebolístico italiano. Apresentamos o que é o futebol, um jogo que tem inevitavelmente situações colaterais que incidem no sistema econômico, social e ético do país", afirmou.

"Mas se acrescentarmos estrelas à nossa marca com estudos como este, podemos nos transformar cada vez mais em uma referência", concluiu.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo