Esporte

Massa se despede de Interlagos em prova que pode dar título a Rosberg

10/11/2016 10h51

Redação Central, 10 nov (EFE).- Com aposentadoria anunciada, Felipe Massa (Williams) fará sua despedida do Grande Prêmio do Brasil neste final de semana, no circuito de Interlagos, em São Paulo, em uma prova que terá como principal atração a chance do alemão Nico Rosberg (Mercedes) conquistar o título antecipadamente.

Após 14 anos na principal categoria do automobilismo mundial, o brasileiro decidiu deixar a Fórmula 1 e fará a última prova em casa com o sonho de chegar ao pódio, uma hipótese pouco provável devido ao desempenho da Williams na reta final da temporada.

Aos 35 anos, Massa tem uma relação de amor e frustração com Interlagos. O brasileiro tem duas vitórias no circuito (2006 e 2008), um segundo lugar (2007) e um terceiro (2014), já no comando de uma Williams, mas guarda lembranças não tão boas da prova.

Em 2008, Massa, na época com a Ferrari, cruzou a linha de chegada em São Paulo como campeão do Mundial de Pilotos. Lewis Hamilton, ainda na McLaren, e a única ameaça ao título, ocupava apenas a sexta posição, o que daria a inédita conquista ao brasileiro.

Com pneus adequados para a pista molhada, porém, Hamilton começou a ultrapassar os adversários e ficar perto da posição que garantia os pontos necessários para roubar o troféu de Massa. Na última volta, nas últimas curvas, o britânico ultrapassou o alemão Timo Glock, da Toyota, que não tinha parado para trocar os pneus, assumiu o quinto lugar e ficou com o título.

Para evitar dar uma chance de Hamilton levar a disputa do Mundial de Pilotos deste ano para a última prova, Rosberg precisa apenas de uma vitória no Grande Prêmio do Brasil para se sagrar campeão.

Com 349 pontos, 19 à frente de seu companheiro de equipe e rival na briga pelo título, o britânico Lewis Hamilton, Rosberg será matematicamente campeão se chegar ao lugar mais alto do pódio, independentemente do resultado do adversário.

Outras combinações de resultado também podem dar o troféu inédito ao alemão de forma antecipada, basta que a distância entre os dois pilotos chegue a 25 pontos. Caso seja segundo colocado, por exemplo, Rosberg terá que torcer para Hamilton cruzar a linha de chegada no quarto lugar. Se for terceiro, o britânico terá que ser quinto.

Caso confirme o título do Mundial de Pilotos, Rosberg será o terceiro alemão da história a se sagrar campeão na Fórmula 1, após Michael Schumacher, maior vencedor da história, e Sebastian Vettel, da Ferrari, que triunfou entre 2010 e 2013 com a Red Bull.

Se realmente terminar o ano como campeão do Mundial de Pilotos, Rosberg repetirá o feito de seu pai, Keke Rosberg, primeiro finlandês a vencer o título (em 1982, com a Williams), e se transformaria no segundo filho de campeão a levantar o troféu, depois do britânico Damon Hill, que "copiou" em 1996, também com a Williams, as conquistas de seu pai, Graham, campeão em 1962 e 1968.

O alemão ainda terá uma última oportunidade para se garantir no primeiro lugar da classificação se deixar escapulir a vitória em Interlagos. Dentro de duas semanas, os pilotos voltam à pista no circuito de Yas Marina, em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos, para encerrar a mais longa temporada da história da F-1.

Os dois pilotos da Mercedes já disputaram o título na última e decisiva em Abu Dhabi prova há dois anos, quando Hamilton acabou batendo o companheiro de equipe.

A escuderia alemã já garantiu o terceiro título consecutivo dos Construtores há um mês, em Sukuza, no Japão, em uma temporada que a Mercedes só deixou de ganhar duas corridas. Ambas foram vencidas por pilotos da Red Bull. Primeiro, o holandês Max Verstappen se tornou o mais jovem vencedor de uma prova da história da categoria ao cruzar o Grande Prêmio da Espanha no primeiro lugar. Depois, o australiano Daniel Ricciardo chegou ao lugar mais alto do pódio na Malásia.

Ricciardo, com 242 pontos, já garantiu o terceiro lugar da classificação. Já Sebastian Vettel (187) e o finlandês Kimi Raikkonen (178), ambos da Ferrari, vão tentar manter suas posições contra Verstappen (177), sexto colocado no Mundial.

Interlagos está acostumado a ser palco de decisão de títulos. Além da conquista de Hamilton, em 2008, o espanhol Fernando Alonso (McLaren) celebrou seu bicampeonato no circuito paulista (2005 e 2006), com a Renault. Depois, em 2007, foi a vez de Raikkonen. Em 2009, foi a vez de Jenson Button (McLaren), na época na Brawn. Três anos mais tarde, em 2012, Vettel se sagrou campeão em São Paulo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo